Dicionário de logística e operações
60 pág.

Dicionário de logística e operações


DisciplinaDistribuição Física e Transportes16 materiais99 seguidores
Pré-visualização33 páginas
SCP (Supply Chain Planning). 
Dicionário de Logística e Operações v 1.3 Carlos E. Panitz 40
Número de Lote de Movimentação - Lot Number \u2013 
A atribuição de um único número \u2013 algumas 
pessoas chamam coloquialmente de RG, 
outros de ID - para cada unidade de 
movimentação (Caixa, Palete, Peça) existente 
na planta ou depósito. Por exemplo, se um 
Palete é desmembrado em 10 Caixas durante 
uma operação de separação, o sistema 
deverá ser capaz de gerar 10 novos números 
de lote e manter a vinculação na base de 
dados com o número do lote original. A partir 
desse ponto, cada caixa a ser movimentada 
terá o seu número de lote individual. Esse 
conceito garante que não haverá leituras 
duplicadas para o mesmo item, garantindo a 
aplicação efetiva do FIFO e total 
rastreabilidade dos itens estocados e 
movimentados. Esse conceito é uma 
funcionalidade típica de sistemas de WMS. 
Número de Lote de Produção \u2013 Lot Number \u2013 A 
atribuição de um único número para fins de 
rastreabilidade, para um lote de produção. O 
lote de produção identifica que um conjunto de 
itens foi produzido em condições de processo 
semelhante e normalmente apresenta um 
padrão de qualidade também semelhante. Por 
exemplo, quando uma amostra de um lote de 
produção indica uma não conformidade, 
normalmente todo o lote será quarentenado 
ou devolvido. Nesse momento, o sistema terá 
que valer-se da referência cruzada com os 
lotes de movimentação \u2013 que normalmente 
são gerados no recebimento e são únicos 
para cada unidade de movimentação - para 
localizar todas as caixas que compõem o lote 
de produção. Ou seja, um lote de produção 
pode estar amarrado a n lotes de 
movimentação. Termo relacionado: Número 
de Lote de Movimentação. 
NVOCC - Non-Vessel-Owning Common Carrier - 
Trata-se de um armador sem navio, registrado 
no Departamento de Marinha Mercante. Esse 
registro lhe permite emitir o seu próprio 
Conhecimento de Embarque (Bill of Lading) 
para os seus embarcadores. Ao contrário dos 
armadores, que possuem uma estrutura 
comercial e operativa apenas para atender 
clientes de grande porte, o NVOCC atua no 
varejo de cargas, consolidando a demanda de 
diversos embarcadores, cujas demandas 
possuem a mesma origem e destino. Para 
realizar essa oferta de espaço nos Navios, o 
NVOCC mantém acordos com diversos 
armadores, os quais envolvem tanto a 
utilização de Conteiners como do próprio 
navio. O NVOCC não deixa de ser um Agente 
de Carga internacional (Freight Forwarder). 
Objetos de Custo - Cost Objetcs - É a razão pela 
qual as atividades são realizadas. Produtos, 
serviços, projetos e clientes são exemplos de 
objetos de custo. Um produto é um objeto de 
custo, pois, para que ele seja produzido, 
distribuído e vendido, é necessária a 
realização de diversas atividades que só são 
executadas com o intuito de dispor esse 
produto para o consumidor. Termos 
relacionados: Custeio ABC, Direcionadores de 
Custo, Custo Unitário. 
ODETTE \u2013 Organisation for Data Exchange by Tele-
Transmission in Europe - Organização sem 
fins lucrativos criada em 1984 com o objetivo 
de atender as necessidades de troca 
eletrônicas de empresas européias do setor 
automotivo. Inicialmente os países 
participantes deste padrão foram: Reino 
Unido, França, Bélgica, Alemanha, Itália, 
Suécia, Espanha e Holanda. Este padrão 
segue os mesmos conceitos e métodos 
existentes no padrão UN/EDIFACT. 
OEE - Overall Equipment Effectiveness \u2013 Métrica 
desenvolvida para medir a eficiência efetiva 
de um equipamento, também conhecida como 
Eficiência Global, que leva em consideração 
três fatores: Disponibilidade, Performance e 
Qualidade. Forma de cálculo: OEE = 
Disponibilidade * Performance * Qualidade ; 
Onde: Disponibilidade = Operating Time / Net 
Available Time ; Performance Efficiency = 
(Ideal Cycle Time * Total Products Run) / 
Operating Time ; Quality = (Total Products 
Run \u2013 Total Rejects) / Total Products Run. A 
determinação da capacidade dos 
equipamentos, objetivando o planejamento de 
linhas é definida a partir dos tempos de ciclo 
teóricos e de paradas planejadas 
(necessidades fisiológicas, reuniões, 
manutenções, turnos, etc). A realidade da 
fábrica se comporta diferentemente do 
tabelamento de paradas e tempos de ciclo. A 
variabilidade envolvendo pessoas, máquinas, 
dispositivos e matéria-prima apresenta uma 
realidade muito diferente, culminando em 
Dicionário de Logística e Operações v 1.3 Carlos E. Panitz 41
planejamentos inconsistentes. A medição do 
OEE permite analisar os equipamentos como 
eles são na realidade. Desse modo, é possível 
avaliar a capacidade dos equipamentos, 
levando-se em conta a influência de todas as 
perdas relativas à Disponibilidade, 
Performance e Qualidade. 
OEM - Original Equipment Manufacturer \u2013 Fabricante 
de Equipamentos Original - Um fabricante que 
compra e incorpora o produto de um 
fornecedor no seu próprio produto. Se o 
produto fornecido tiver sido projetado para 
atender características específicas do cliente 
OEM, o fornecedor não terá a opção de venda 
para outros clientes ou canais de distribuição. 
Por exemplo, um fabricante de motores pode 
fornecer um motor para um fabricante OEM 
que o utilizará como unidade motriz para 
fabricar geradores estacionários de energia 
elétrica. Quando existe a impossibilidade por 
contrato ou por características de projeto do 
fornecedor vender para outros clientes, 
normalmente são estabelecidos termos no 
contrato, para garantir a depreciação dos 
investimentos realizados pelo fornecedor para 
atender o cliente OEM (e.g. ferramental, 
maquinário dedicado, projeto de engenharia, 
etc.). 
OLAP - Online Analytical Processing - 
Processamento Analítico em Tempo-Real \u2013 É 
um método de processamento que objetiva 
oferecer respostas rápidas à queries 
complexas na base de dados. Esse tipo de 
análise é usado para a consolidação de 
relatórios gerenciais, indicadores e mineração 
de dados. Base de dados relacionais 
armazenam entidades em tabelas discretas 
devidamente normalizadas que, para queries 
complexas em esquemas de multi-tabelas, 
torna-se demasiado lento. O funcionamento 
OLAP baseia-se em reestruturar as bases de 
dados relacionais num esquema de dados 
dimensional, chamado Cubo. Assim, as 
queries serão executadas nesse novo 
esquema de dados. Para queries complexas, 
as respostas produzidas por OLAP 
correspondem a 0,1% do tempo das 
produzidas em base de dados relacionais. No 
centro está a tabela de fatos que lista os fatos 
principais de que consiste a pesquisa. Várias 
tabelas dimensionais estão ligadas às tabelas 
de fatos. Essas tabelas indicam como as 
agregações de dados relacionais podem ser 
analisadas. O número de agregações 
possíveis é determinado por todas as 
maneiras possíveis em que os dados originais 
podem ser conectados hierarquicamente. Por 
exemplo, um grupo de clientes pode ser 
agrupado por cidade, por distrito ou por país; 
assim, com 50 cidades, 8 distritos e dois 
países há três níveis hierárquicos com 60 
membros. Esses clientes podem ser 
considerados em relação a produtos; se há 
250 produtos com 20 categorias, três famílias 
e três departamentos, então há 276 membros 
de produto. Com apenas essas duas 
dimensões, há 16.560 agregações possíveis. 
À medida que os dados considerados 
aumentam, o número de agregações pode 
facilmente chegar às dezenas de milhões. O 
cálculo de agregações e a base de dados 
combinada fazem um cubo OLAP, que pode 
potencialmente conter todas as respostas 
para cada query. 
Ordem de Compra - Purchase Order (PO) \u2013 A 
autorização do comprador, utilizada para 
formalizar uma transação de compras com um 
fornecedor. Essa autorização pode ser 
formalizada através de um documento 
impresso ou eletrônico. Existem basicamente 
dois tipos de Ordens de compra: Ordens de 
Compra fechadas, as