A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
depress+úo em idosos final

Pré-visualização | Página 1 de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO
INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO ARAGUAIA
CURSO DE ENFERMAGEM
 DEPRESSÃO EM IDOSOS
Acadêmica: Maria Aparecida S. Oliveira
Orientadora: Alisséia Guimarães Lemes
Barra do Garças-MT, 2014.
1
INTRODUÇÃO
Depressão é um problema de saúde pública. 
Acomete cerca de 15 a 25% da população geral.
No Brasil cerca de 24 a 30 milhões de pessoas apresenta ou apresentarão pelo menos um episódio de depressão na vida. 
(CAMARGO, 2014; MAURICIO, 2010) 
Fonte: https://www.google.com.br/search?q=IDOSO
2
A depressão é considerada a doença psiquiátrica mais comum entre os idosos, frequentemente sem diagnóstico e sem tratamento. 
É de responsabilidade dos profissionais de saúde prevenir a depressão no idoso. 
3
INTRODUÇÃO
(MELLO, TEIXEIRA, 2011)
Fonte: https://www.google.com.br/search?q=IDOSO
INTRODUÇÃO
Envelhecimento
Fase inevitável, irreversível e gradativa dia após dia.
Diante disso, preparar-se para uma velhice serena e saudável, deve ser uma preocupação de todos. 
(DRAGO, MARTINS, 2012)
4
Fonte: https://www.google.com.br/search?q=IDOSO
A depressão não pode ser vista como uma doença comum no idoso, devido aos aspectos negativos de vida do idoso. 
O profissional de saúde devem estar aptos a perceberem os sintomas da doença e com isso realizar a abordagem devida de forma a prevenir ou diminuir os agravos que a doença poderá causar no idoso. 
5
INTRODUÇÃO
(MELLO, TEIXEIRA, 2011)
Fonte: https://www.google.com.br/search?q=IDOSO
JUSTIFICATIVA
A necessidade de identificar fatores que desencadeiam a depressão em idosos, de forma que os profissionais de saúde possam atuar visando a prevenção e/ou tratamento precoce dos episódios, garantido assim, uma melhor qualidade de vida aos idosos. 
6
Fonte: https://www.google.com.br/search?q=IDOSO&es_sm
OBJETIVOS
7
REVISÃO DE LITERATURA
 ASPECTOS DO ENVELHECIMENTO 
Culturalmente, também existem várias formas de conceituar o envelhecimento. 
Países orientais: os idosos eram considerados objetos de adoração, por serem sabios e experientes;
Egito: 300 a.C: viver mais de 100 anos era considerado um premio, por ter uma vida mais equilibrada;
Na China: quanto mais idoso, era possível se tornar imortal. 
 
8
(ARAUJO, 2010) 
8
9
REVISÃO DE LITERATURA
(IBGE, 2010)
PROCESSO DE ENVELHECIMENTO 
10
(MERLIM, KURA, BERTOLIN, 2013)
REVISÃO DE LITERATURA
11
POLÍTICAS PÚBLICAS PARA O IDOSO
REVISÃO DE LITERATURA
Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa
Foi criada no ano de 2006;
Tendo como meta na atenção à saúde de todo cidadão e cidadã brasileiros com 60 anos ou mais;
Como propósito principal de recuperar, manter e promover à autonomia a independência dos idosos, através de medidas coletivas e individuais de saúde, em consonância com os princípios e diretrizes do SUS. 
12
REVISÃO DE LITERATURA
(MARTINS et al.,2010)
13
(SOUZA, 2014)
REVISÃO DE LITERATURA
14
(LINCK, 2009; Mitchell, 2009)
REVISÃO DE LITERATURA
DEPRESSÃO NO IDOSO
15
(GARCIA , 2006; Pimentel ,2010)
REVISÃO DE LITERATURA
15
 A GERONTOLOGIA PARA A ENFERMAGEM 
16
(BARATA, DINIZ, 2014)
REVISÃO DE LITERATURA
 METODOLOGIA
17
RESULTADOS E DISCUSSÕES
Tabela 01 Características Sócio demográfico dos idosos. Agosto a Outubro de 2014. Barra do Garças - MT, Brasil.
VARIAVEIS
f
%
IDADE
60 – 75 anos
25
83
76 – 85 anos
4
13
86 – 95 anos
01
3
GÊNERO
Feminino
21
70
Masculino
9
30
ESCOLARIDADE
Não alfabetizada
01
3
Primário incompleto
13
43
Fundamental incompleto
06
20
Médio completo
05
17
Médio incompleto
02
7
Superior completo
03
10
Os dados do IBGE corroboram com a pesquisa aqui apresentada, sendo que o grupo com 60 a 70 anos é o que mais cresce proporcionalmente no Brasil
O estudo de Hoffmann et al.,(2010), demonstrou que 65,1% da amostra são do gênero feminino 
Esse baixo nível de escolaridade prejudica a compreensão das ações preventivas ou curativas voltadas à saúde (FERREIRA e FREITAS, 2012). 
18
18
ESTADO CIVIL
Casado
16
53
União Estável
01
3
Divorciado
04
13
Viúvo
08
27
Solteiro
01
3
PROFISSÃO
Aposentado
24
80
Nãoaposentado
06
20
SITUAÇÃO DE MORADIA
Esposo
09
30
Esposo e filho
07
23
Filho
05
17
Neto
01
3
Sozinho
07
23
Outras pessoas
01
3
Tabela 01 Características Sócio demográfico dos idosos. Agosto a Outubro de 2014. Barra do Garças - MT, Brasil.
VARIAVEIS
f
%
Para Pinho et. al. (2009), os idosos casados apresentaram risco menor de desenvolver quadros depressivos do que aqueles que não eram, ou nunca foram casados. 
A renda familiar está significativamente voltada à aposentadoria, fato este que não supre as necessidades mensais dos idosos, sendo esta uma realidade brasileira (FERREIRA, FREITAS, 2012). 
No Ceará 22,9% dos responsáveis pelo sustento familiar são idosos, enquanto representam 8,83% da população geral (IBGE, 2010). 
19
RENDA FAMILIAR
≤ 1 Salário mínimo
04
13
1 a 3 salários mínimos
24
80
≥ 4 saláriosmínimos
02
07
POSSUI RELIGIÃO
Sim
27
90
Não
03
10
DOENÇA CRÔNICA
SIM
25
83
Não
05
17
TOTAL
30
100
f = Frequência % Porcentagem
Cont. Tabela 01 Características Sócio demográfico dos idosos. Agosto a Outubro de 2014. Barra do Garças - MT, Brasil.
VARIAVEIS
f
%
A população idosa tem um alto custo com farmácias e atendimentos que envolvem saúde, o que nem sempre é garantido esse acesso pelo SUS, e acaba por comprometer uma grande fração da renda familiar mensal 
(FERREIRA, FREITAS, 2012). 
Para Duarte e Rego (2007) estar diretamente ligado a uma religião e segui-la parece representar mecanismo de apoio importante às pessoas idosas no enfrentamento de seus problemas cotidianos.
Estudos de Ferreira e Freitas (2012), semelhantemente, demonstram uma prevalência de idosos com doenças crônicas num total de 83%. 
20
Gráfico 01 Dados relacionados ao histórico familiar e pessoal para Depressão em idosos. Barra do Garças - MT, Brasil, 2014 (n=30).
Para Carvalho (2012) o envolvimento genético na depressão, ocorre através de mecanismo de transmissão complexo, semelhante a outros transtornos mentais. 
21
VARIÁVEIS
Sim
F
%
Não
F
%
Total
%
Morte de alguém importante
12
40
18
60
30
100
Recentemente mudança de casa ou cidade
01
03
29
97
30
100
Recentemente aposentou-se
05
17
25
83
30
100
Dificuldade financeira
10
33
20
67
30
100
Abandono por parte de familiares
04
13
26
87
30
100
Problemas de saúde familiares
08
27
22
73
30
100
Tabela 02 Fatores de risco para Depressão em Idosos. Agosto a Outubro 2014, Barra do Garças - MT, Brasil. 
f = Frequência % Porcentagem
Para Carvalho (2012) alguns fatores de risco para o surgimento das depressão estão relacionados, principalmente, com a morte do cônjuge ou de um entre querido, perda do emprego, aposentadoria, isolamento social, dificuldades financeiras.
22
Gráfico 02 Relação da Doença Crônica x Gênero. Barra do Garças-MT, Brasil, 2014. 
Variações hormonais, casamento insatisfatório, abandono por parte dos companheiros, relações familiares insatisfatórias e traumas, também contribuem para justificar o maior número de mulheres depressivas (ALMEIDA e MURAI, 2010). 
23
18
07
Tabela 03 Avaliação Geral da Escala Geriátrica de Depressão (EGD). Agosto a Outubro 2014. Barra do Garças - MT, Brasil.
DESCRIÇÃO
SIM (f)
(%)
NÃO
(f)
(%)
1. Satisfeito com sua vida
26
87
04
13
2. Abandono do interesse e atividade
17
57
13
43
3. Sente a vida vazia
08
27
22
73
4. Sente frequentemente aborrecido
11
37
19
63
5. Tem fé no futuro
21
70
09
30
6. Pensamentos negativos
08
27
22
73
7. Bom humor na maioria do tempo
23
77
07
23
8. Tem medo que algo de mal vai lhe acontecer
20
67
10
33
9. Feliz na maioria do tempo
28
93
02
07
10. Frequentemente desamparado, adoentado
05
17