Apostila Dir Administrativo 2
134 pág.

Apostila Dir Administrativo 2


DisciplinaDireito Administrativo I66.935 materiais1.168.776 seguidores
Pré-visualização50 páginas
competência aos Ministros de Estado para a concessão de aposentadoria a funcionários; assim, a aposentadoria é concedida tendo em vista o ato de delegação, na administração federal por portaria de Ministro do Estado.
O controle das atividades da Administração Federal é exercido em todos os níveis e em todos os órgãos. Porém, devem ser suprimidos os controles que se evidenciarem como puramente formais ou cujo custo seja evidentemente superior ao risco.
2) REFORMA ADMINISTRATIVA DE 1992
Imbuída do espírito do enxugamento da máquina administrativa do Estado, a reforma de 1992, operacionalizou a fusão de alguns ministérios e de secretarias, a extinção de outros, além de propor a extinção de órgãos específicos.
A Administração Pública Federal compõem-se, dentro desta nova sistemática, de órgãos como a Presidência da República com seus Ministérios, além de órgãos de assessoramento imediato (Conselho de Governo; Estado Maior das Forças Armadas, etc.) e de assistência direta e imediata ao Presidente (Secretaria de Assuntos Estratégicos; Secretaria de Administração Federal; etc.), consoante dispõe a Lei n° 8.490, de 09 de novembro de 1992, que dispõe sobre a organização da República e dos Ministérios. De acordo com o art. 14 desta Lei, são os seguintes os atuais Ministérios:
a) da Justiça;
b) da Marinha;
c) do Exército;
d) das Relações Exteriores;
e) da Fazenda;
f) dos Transportes;
g) da Agricultura, do Abastecimento e da Reforma Agrária;
h) da Educação e do Desporto;
i) da Cultura;
j) do Trabalho;
l) da Previdência Social;
m) da Aeronáutica;
n) da Saúde;
o) da Indústria, do Comércio e do Turismo;
p) de Minas e Energia;
q) da Integração Regional;
l) das Comunicações;
m) da Ciência e Tecnologia;
n) do Bem-Estar Social;
o) do Meio Ambiente.
E, como dispõe o parágrafo único deste artigo, são considerados Ministros de Estado, além dos titulares dos Ministérios supramencionados, mais o da Casa Civil da Presidência da República, da Secretaria-Geral da Presidência da República, da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Coordenação da Presidência da República, da Casa Militar da Presidência da República, do Estado Maior das Forças Armadas, da Secretaria de Assuntos Estratégicos e da Secretaria da Administração Federal.
Administração Federal Direta:
A Administração Federal Direta é constituída dos serviços integrados na estrutura administrativa da Presidência da República e dos Ministérios, consoante o já estudado.
A Presidência da República é o órgão supremo e independente, representante do Poder Executivo da União, enfeixando todas as atividades administrativas superiores de âmbito federal, de política, planejamento, coordenação e controle do desenvolvimento sócio-econômico do País e da segurança nacional.
É constituída de:
a) Casa Civil, a qual compete assistir direta e imediatamente ao Presidente da República no desempenho de suas atribuições, em especial na coordenação da ação governamental e no relacionamento com o Congresso Nacional;
b) Secretaria-Geral, cuja competência é a de assistir direta e imediatamente ao Presidente da República no desempenho de suas atribuições e, especificamente, na coordenação das ações administrativas da Presidência, através de serviços de secretaria particular e ajudância de ordens;
c) Secretaria de Planejamento, Orçamento e Controle, destinada a assistir ao Presidente da República na coordenação do sistema de planejamento e orçamento, formulação de estudos e pesquisas sócio-econômicas, elaboração e acompanhamento dos planos nacionais e regionais de desenvolvimento, do plano plurianual, da lei de diretrizes orçamentárias e das leis orçamentárias anuais, bem como na supervisão dos sistemas cartográfico e estatístico nacionais.
d) Casa Militar, que compete assistir, direta e imediatamente ao Presidente, sobre assuntos referentes à administração militar, zelar pela sua segurança e pela dos titulares de órgãos essenciais da Presidência, bem como das respectivas residências e dos palácios presidenciais.
Os Ministérios são órgãos autônomos da cúpula da Administração federal, situados logo abaixo da Presidência da República. Os Ministérios são chefiados por Ministros de Estado, auxiliares imediatos do Presidente de República, cabendo-lhes, dentre outras, as seguintes atribuições: orientação, coordenação (supervisão dos órgãos e entidades da administração federal na área de sua competência, referendando os atos e decretos assinados pelo Presidente da República; expedir instruções para execução das leis, decretos e regulamentos; apresentar ao Presidente da República relatório anual de sua gestão no Ministério; praticar os atos pertinentes às atribuições que lhe forem outorgadas ou delegadas pelo Presidente da República.
Veremos, a seguir, as áreas de competência dos Ministérios:
a) Ministério da Justiça: ordem jurídica, nacionalidade, cidadania, direitos políticos, garantias constitucionais; segurança pública; Polícia Federal, Rodoviária e Ferroviária Federal e do Distrito Federal; administração penitenciária; estrangeiros; documentação, publicação e arquivo dos atos oficiais; defesa da ordem econômica; índios; ouvidoria-geral; defesa dos direitos do consumidor. A Polícia Federal dentre outras atribuições, exerce as funções de polícia marítima, aérea e de fronteiras.
b) Ministério da Educação e do Desporto: educação; ensino civil e do magistério; política nacional do desporto e fomento e supervisão do desenvolvimento dos desportos no País.
c) Ministério das Relações Exteriores: política internacional; relações diplomáticas; programas de cooperação nacional; prestação de serviços consulares; participação em negociações comerciais, econômicas, financeiras, técnicas e culturais com países e entidades estrangeiras.
d) Ministério da Saúde: política nacional de saúde e coordenação do Sistema Único de Saúde; saúde ambiental; ações de promoção, proteção e recuperação da saúde individual e coletiva, inclusive a dos trabalhadores e dos índios; as informações de saúde; os insumos críticos para a saúde; vigilância da saúde, especialmente drogas, medicamentos e alimentos; pesquisa científica e tecnológica e ordenação da formação de recursos humanos na área da saúde.
e) Ministério da Agricultura, do Abastecimento e da Reforma Agrária: política agrícola abrangendo produção, comercialização, abastecimento, armazenagem e garantia de preços mínimos: produção e fomento agropecuário; mercado, comercialização e abastecimento agropecuário, inclusive com formação de estoques reguladores estratégicos; informação agrícola; defesa sanitária vegetal e animal; fiscalização de insumos utilizados nas atividades agropecuárias e da prestação de serviços no setor: classificação e inspeção de produtos e derivados animais e vegetais; proteção, conservação e manejo do solo e água voltados ao processo produtivo agrícola e pecuário; pesquisa tecnológica em pecuária e agricultura; reforma agrária, meteorologia e climatologia; desenvolvimento rural, cooperativismo e associativismo; energização rural, agroenergia e eletrificação rural; assistência técnica e extensão rural.
f) Ministério do Trabalho: assuntos do trabalho e sua fiscalização; mercado de trabalho e política de empregos; política salarial, de imigração, formação e desenvolvimento profissional; relações do trabalho; segurança e saúde no trabalho.
g) Ministério da Previdência Social: previdência social e previdência complementar.
h) Ministério da Fazenda: moeda, crédito, instituições financeiras, capitalização, poupança popular, seguros privados e previdência privada aberta; política e administração tributária e aduaneira; fiscalização e arrecadação; administração orçamentária e financeira, controle interno, auditoria e contabilidade públicas; administração das dívidas públicas interna e externa; administração patrimonial; negociações econômicas e financeiras com governos e entidades estrangeiras e internacionais; preços e tarifas públicas e administradas; fiscalização e controle do comércio exterior.