Aulas e exercicios de contabilidade básica
110 pág.

Aulas e exercicios de contabilidade básica


DisciplinaContabilidade Básica29.380 materiais654.454 seguidores
Pré-visualização50 páginas
CELTA, no valor de R$ 
2.000.000,00. 
Parte significativa da capacidade produtiva da investida 
destina-se à produção autorizada pelo detentor da marca ou 
patente. 
Estando próximo o término do prazo de concessão e não 
havendo previsão de renovação do direito de uso da marca, a 
investida deverá desativar 25% de sua linha produtiva, o que 
implicará em perda definitiva na mesma proporção pela 
investidora. 
Cálculo da perda: 
25% de R$ 2.000.000,00 = R$ 500.000,00 
Contabilização: 
 Despesa c/ Perda em Investimento (Desp. Não Operacional) 
a Provisão para Perdas em Investimento R$ 500.000,00 
Representação no Balanço Patrimonial: 
Ativo Permanente 
Investimento 
Participação Societária - Cia. CELTA R$ 2.000.000,00 
(-) Provisão p/ Perdas em Investimento (R$ 500.000,00) 
O valor da provisão será baixado por ocasião da alienação 
da participação societária. 
Se no período seguinte o investimento vier a ser alienado à 
vista pelo valor de R$ 1.400.000,00, a contabilização da 
respectiva operação será: 
a) Pela venda a vista: 
 Bancos c/ Movimento 
a Receita de Investimentos Permanente R$ 1.400.000,00 
b) Pela baixa do investimento: 
 Custo do Investimento (não operacional) 
a Participação Societária - Cia. CELTA R$ 2.000.000,00 
c) Pela baixa da provisão: 
 Provisão para Perdas em Investimento 
a Custo do Investimento R$ 500.000,00 
d) Pela apuração do resultado não operacional: 
d.1) pela transferência da receita: 
 Receita de Alienação de Investimento Permanente 
a Resultado Não Operacional R$ 1.400.000,00 
d.2) pela transferência do custo: 
 Resultado Não Operacional 
a Custo do Investimento R$ 1.500.000,00 
e) Pela transferência para o resultado do exercício: 
 Resultado do Exercício 
a Resultado Não Operacional R$ 100.000,00 
Razonetes: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Participação Societária Cia. CELTA 
(s) 2.000.000,00 2.000.000,00 (b) 
 
Custo do Investimento 
(b)2.000.000,00 500.000,00 (c) 
 1.500,000,00 1.500.000, (d.2) 
 
Receita Não operacional 
.400.000,00 1.400.000,00 (a) 
 
 
Resultado Não operacional 
(d.2) 1.500,000, 1.400.000, (d. l) 
 100.000, 100.000,00 (e) 
 
Bancos c/ Movimento 
(a) 1.400.000, 
 
 
Prov. para Perdas em Investimento 
(c) 500.000,00 500.000,00 (s) 
 
 
Resultado do Exercício 
(e) 100.000,00 
 
 
 
Onde: (s) = saldo de abertura 
CONTABILIDADE GERAL \u2013 2009 
Fábio Lúcio Moreira Lima 
 
Sugestões, críticas e envio de questões para resolução em sala de aula enviar email para:  Professor  FÁBIO LÚCIO MOREIRA LIMA \u2013 Fabio.lucio.moreira.lima@gmail.com 62
8.2.4 - PROVISÕES CONSTITUTIVAS DE OBRIGAÇÕES 
 
Sempre que a administração da entidade tiver 
conhecimento da possibilidade de ter de assumir um dever ou 
de realizar um pagamento, de cujo valor ou certeza se tenha 
dúvida, forçosamente deverá registrar esta possibilidade de 
obrigação, por ter sido ela a origem de um valor que se 
integrou ao ativo ou que foi consumido na produção dos 
resultados, como no caso das despesas. Neste último caso, ou 
seja, o das despesas, sendo seu valor plenamente conhecido, a 
exemplo dos salários não pagos relativos ao último mês do 
período, temos na realidade uma apropriação de despesas 
incorridas. 
Por outro lado, quando essas despesas, embora incorridas, 
não se têm o seu exato valor definido, mas apenas estimável, 
como no caso da remuneração de férias, que dependerá de 
quanto estiver o empregado auferindo à época de sua 
concessão, trata-se efetivamente de uma provisão constitutiva 
de obrigação, dentro do sentido etimológico da palavra, ou seja, 
o de uma reserva de valores. 
Entretanto, a expressão vem sendo usada, indistintamente, 
nos dois sentidos. Prova disto é a denominação Provisão para o 
Imposto de Renda, que é, na realidade, uma apropriação de 
despesa de valor precisamente definido e inalterável, pois os 
acréscimos legais a que estiver sujeito, como juros, multa e 
variações monetárias passivas, são simplesmente novas 
despesas decorrentes do não pagamento da parcela principal, 
que não tem sua substância modificada. 
A base legal para constituição das provisões passivas, 
alinhado aos princípios de contabilidade, é o art. 184 da Lei n.º 
6.404: 
Critérios de Avaliação do Passivo 
Art. 184. No balanço, os elementos do passivo 
serão avaliados de acordo com os seguintes 
critérios: 
I - as obrigações, encargos e riscos, 
conhecidos ou calculáveis, inclusive Imposto de 
Renda a pagar com base no resultado do 
exercício, serão computados pelo valor 
atualizado até a data do balanço; 
II - as obrigações em moeda estrangeira, 
com cláusula de paridade cambial, serão 
convertidas em moeda nacional à taxa de 
câmbio em vigor na data do balanço; 
III - as obrigações sujeitas à correção 
monetária serão atualizadas até a data do 
balanço. 
 
8.2.4.1 - PROVISÃO PARA FÉRIAS 
 
Pelo regime de competência, as férias transcorridas e ainda 
não gozadas devem ter sua despesa reconhecida ao período 
aquisitivo, portanto, hão de ser provisionadas contabilmente, 
permitindo melhor apuração do resultado. 
Considera-se, pelo regime de competência, que as férias 
são despesas a serem computadas no período em que são 
ganhas pelo empregado e não no momento do pagamento, 
O montante da provisão é calculado com base na 
remuneração mensal do empregado no mês do 
encerramento do período e no número de dias de férias a que 
já tiver direito na data do balanço. O número de dias de férias 
do empregado é regulado pela Legislação Trabalhista. 
 
A contabilização da provisão é feita a débito de uma conta 
de resultado (Custo ou Despesa) e a crédito de "Provisão para 
Férias", integrante do Passivo Circulante, no final de cada 
período-base. A provisão contempla a inclusão dos gastos 
incorridos com a remuneração de férias proporcionais e dos 
encargos sociais, cujos ônus cabe à empresa, bem como deve 
computar o terço constitucional. 
 
* A parte patronal para com o INSS e Terceiros que é 
arrecadada e administrada pelo INSS, é composta pelos 
seguintes elementos: 
Parte patronal (sobre folha de salários) 20,0% 
SAT (seguro acidente trabalho = 1, 2 ou 3%) 3,0% 
Terceiros (SENAI, SENAR, SESI, SENAC,.) 5,7% 
28,7% 
 
Lançamento da provisão: 
 Diversos 
a Provisão para Férias 
 Férias 277,77 
 INSS 77,22 
 FGTS 22,22 377,21 
 
No período subseqüente, a empresa vai debitando a conta 
de "Provisão para Férias", à medida em que estas vão sendo 
gozadas pelos empregados, inclusive quanto ao pagamento dos 
encargos sociais decorrentes. 
 Provisão para Férias 
a Banco c/ Movimento 20,00 
 
Como se trata de um lançamento de provisão, onde a 
empresa se apoia em valores estimados, pode, no decorrer dos 
meses, principalmente no momento do pagamento das férias e 
dos encargos, o valor provisionado no passivo não representar 
o valor exato a ser pago. 
Havendo variação salarial durante o período, a empresa 
deverá efetuar a complementação da provisão, para satisfazer 
plenamente o Princípio da Competência e Prudência. 
 
8.2.4.2 - PROVISÃO PARA 13° SALÁRIO 
O 13° salário pode ser provisionado da mesma forma como 
se provisionam as férias, e, por constituir um encargo 
complementar de salário, pode ser provisionado mensalmente 
como custo ou despesa operacional à razão de 1/12 da 
remuneração de cada empregado. O valor da provisão deverá 
ser reajustado sempre que ocorrerem alterações salariais ou 
pagamentos, nos casos de demissão. 
O provisionamento do 13° salário e dos encargos sociais 
decorrentes deve ser feito mensalmente, em obediência à 
legislação comercial e aos princípios da competência, da 
prudência e da oportunidade. Para empresas que encerram 
balanço em 31 de dezembro e que tenham pago o 13° salário 
Folha de 
Pagamento de 
Salários 
Provisão 
Mensal p/ 
Férias
Rian
Rian fez um comentário
Nosssa, muito bom o material ..... TENHO 18 ANOS, estou cursando o técnico em administração,, durante as aulas sobre escrituração e lançamentos eu estava com um problema de saúde e nao consegui frequentar ... Quando voltei ja estava no razonete e balancete .... Semana que vem tenho prova , e com toda certeza esse material vai me ajuadar muitoooo......... MUITO OBRIGADO .... Veja mais
0 aprovações
Raquell
Raquell fez um comentário
Muito bom o material
0 aprovações
Karima
Karima fez um comentário
ok
0 aprovações
Tamires
Tamires fez um comentário
Muito bom o material!!!!
0 aprovações
Larissa
Larissa fez um comentário
muuuuuito bom este material
2 aprovações
Carregar mais