O Pequeno Hans e o Homem dos ratos
182 pág.

O Pequeno Hans e o Homem dos ratos


DisciplinaConstituição do Sujeito Psíquico8 materiais80 seguidores
Pré-visualização50 páginas
e foi tão engraçado; o cocheiro chicoteou também. - O cocheiro não chicoteou não, 
porque Hanna tinha o chicote. - O cocheiro tinha as rédeas - Hanna também tinha as rédeas.\u201d (Em 
todas as ocasiões nós fomos numa carruagem da estação até em casa. Hans estava, aqui, tentando 
reconciliar fato e fantasia.) \u201cEm Gmunden nós suspendemos Hanna e a tiramos do cavalo, e ela 
subiu os degraus sozinha.\u201d (No ano passado, quando Hanna estava em Gmunden, ela tinha oito 
meses de idade. No ano anterior a este - e a fantasia de Hans evidentemente referia-se a essa época 
- sua mãe estava com cinco meses completos de gravidez quando chegamos a Gmunden.) 
\u2018Eu: \u201cNo ano passado Hanna estava lá.\u201d 
\u2018Hans: \u201cNo ano passado ela viajou na carruagem; mas no ano anterior a este, quando ela 
estava morando conosco\u2026\u201d 
\u2018Eu: \u201cEla já estava conosco nessa época?\u201d 
\u2018Hans: \u201cEstava. Você sempre esteve aqui; você costumava ir sempre no barco comigo, e 
Anna era nossa empregada.\u201d 
\u2018Eu: \u201cMas isso não foi no ano passado. Hanna não estava viva então.\u201d 
\u2018Hans: \u201cSim, ela estava viva nessa época. Mesmo quando ela ainda estava viajando na 
caixa, ela podia correr por aí e podia dizer \u2018Anna\u2019.\u201d (Ela só foi capaz de agir assim nos últimos quatro 
meses.) 
\u2018Eu: \u201cMas ela não estava conosco de jeito nenhum naquela época.\u201d 
\u2018Hans: \u201cOh, sim, ela estava; ela estava com a cegonha.\u201d 
\u2018Eu: \u201cQue idade ela tem, então?\u201d 
\u2018Hans: \u2018\u2018Ela vai fazer dois anos no outono. Hanna estava aqui, você sabe que ela estava.\u201d 
\u2018Eu: \u201cE quando é que ela estava com a cegonha, na caixa da cegonha?\u201d 
\u2018Hans: \u201cMuito tempo antes de ela viajar na caixa, muito tempo mesmo.\u201d 
\u2018Eu: \u201cHá quando tempo Hanna sabe andar, então? Quando ela estava em Gmunden, ela 
ainda não sabia andar.\u201d 
\u2018Hans: \u201cNão no ano passado; mas em outras vezes ela sabia.\u201d 
\u2018Eu: \u201cMas Hanna só esteve em Gmunden uma vez.\u201d 
\u2018Hans: \u201cNão. Ela esteve duas vezes. Sim, é isso mesmo. Eu me lembro muito bem. Pergunte 
à mamãe, ela vai lhe dizer logo.\u201d 
\u2018Eu: \u201cDe qualquer maneira, não é verdade.\u201d 
\u2018Hans: \u201cSim, é verdade. Quando ela esteve em Gmunden da primeira vez ela sabia andar e 
montar, e mais tarde, ela precisava ser carregada. - Não. Foi só mais tarde que ela montou, e no ano 
passado ela precisava ser carregada.\u201d 
\u2018Eu: \u201cMas só há muito pouco tempo é que ela está andando. Em Gmunden, ela não sabia 
andar.\u201d 
\u2018Hans: \u201cSabia sim. Pode escrever isso. Eu me lembro muito bem. - Por que é que você está 
rindo?\u201d 
\u2018Eu: \u201cPorque você é um impostor; porque você sabe muito bem que Hanna só esteve em 
Gmunden uma vez.\u201d 
 
\u2019Hans: \u201cNão, não é verdade. Da primeira vez ela foi montada a cavalo\u2026 e da segunda vez\u2026\u201d 
(Ele mostrou sinais de evidente incerteza.) 
\u2018Eu: \u201cTalvez o cavalo fosse mamãe?\u201d 
\u2018Hans: \u201cNão, um cavalo de verdade, num coche.\u201d 
\u2018Eu: \u201cMas nós costumávamos ter sempre uma carruagem com dois cavalos.\u201d 
\u2018Hans: \u201cBom, então, era uma carruagem e uma parelha.\u201d 
\u2018Eu: \u201cO que é que Hanna comia dentro da caixa?\u201d 
\u2018Hans: \u201cBotavam pão com manteiga lá para ela, e arenque, e rabanetes\u201d (o tipo de coisa que 
costumávamos ter na ceia em Gmunden), \u201ce no caminho Hanna passava manteiga no seu pão com 
manteiga, e comia cinqüenta refeições.\u201d 
\u2018Eu: \u201cHanna não gritava?\u201d 
\u2018Hans:: \u201cNão.\u201d 
\u2018Eu: \u201cE o que é que ela fazia, então?\u201d 
\u2018Hans: \u201cFicava sentada bem quietinha lá dentro.\u201d 
\u2018Eu: \u201cEla não ficava batendo?\u201d 
\u2018Hans: \u201cNão, ela ficava comendo o tempo todo e não se agitou nenhuma vez. Ela bebeu duas 
canecas grandes de café - pela manhã tinha acabado tudo, e ela deixou os pedaços atrás, dentro da 
caixa, as folhas dos dois rabanetes e uma faca para cortar os rabanetes. Ela engolia tudo como uma 
lebre: num minuto estava tudo terminado. Foi uma brincadeira. Hanna e eu realmente viajamos 
juntos na caixa; eu dormi a noite inteira na caixa.\u201d (Nós, de fato, há dois anos, fizemos a viagem para 
Gmunden de noite.) \u201cE mamãe viajou na carruagem da estrada de ferro. E nós ficamos comendo o 
tempo todo, quando estávamos viajando na carruagem também; foi divertido. - Ela não foi montada a 
cavalo, não\u2026\u201d (ele agora se tornou indeciso, pois sabia que tínhamos viajado com dois cavalos) 
\u201c\u2026ela foi sentada na carruagem. Sim, foi assim mesmo, mas Hanna e eu fomos por nossa conta\u2026 
mamãe foi num cavalo, e Karoline\u201d (nossa empregada no ano passado) \u201cno outro\u2026 quero dizer, o 
que estou lhe dizendo não é nem um pouco verdade.\u201d 
\u2018Eu: \u201cO que não é verdade?\u201d 
\u2018Hans: \u201cNada disso é verdade. Quero dizer, vamos pôr Hanna e eu dentro da caixa e eu vou 
fazer pipi na caixa. Eu vou fazer pipi nas calças; não me importo nem um pouco; não há nada de 
vergonhoso nisso. Quero dizer, não é uma brincadeira, você sabe: mas é muito divertido, mesmo 
assim.\u201d 
 
\u2019Depois ele me contou a história de como a cegonha veio - a mesma história de ontem, só 
que ele deixou de fora a parte sobre a cegonha levar o chapéu quando ia embora. 
\u2018Eu: \u201cOnde foi que a cegonha guardou a chave do trinco?\u201d 
\u2018Hans: \u201cNo bolso dela.\u201d 
\u2018Eu: \u201cE onde é o bolso da cegonha?\u201d 
\u2018Hans: \u201cNo bico dela.\u201d 
\u2018Eu: \u201cÉ no bico dela! Eu ainda não tinha visto uma cegonha com uma chave no bico.\u201d 
\u2018Hans: \u201cDe que outro jeito ela poderia ter entrado? Como foi que a cegonha entrou pela 
porta, então? Não, não é verdade; e eu cometi um erro. A cegonha tocou a campainha da porta da 
frente e alguém a fez entrar.\u201d 
\u2018Eu: \u201cE como foi que a ela tocou a campainha?\u201d 
\u2018Hans: \u201cEla tocou a campainha.\u201d 
\u2018Eu: \u201cComo foi que ela fez isso?\u201d 
\u2018Hans: \u201cEla pegou seu bico e a apertou com ele.\u201d 
\u2018Eu: \u201cE ela fechou a porta de novo?\u201d 
\u2018Hans: \u201cNão, uma empregada fechou. Ela já estava de pé, você sabe, e abriu a porta para a 
cegonha, e a fechou.\u201d 
\u2018Eu: \u201cOnde é que a cegonha mora?\u201d 
\u2018Hans: \u201cOnde? Na caixa onde ela guarda as menininhas. Em Schönbrunn talvez.\u201d 
\u2018Eu: \u201cEu nunca vi nenhuma caixa em Schönbrunn.\u201d 
\u2018Hans: \u201cDeve ser mais longe então. - Você sabe como é que a cegonha abre a caixa? Ela 
pega seu bico - a caixa tem uma chave também -, ela pega o bico, levanta um\u201d (isto é, uma metade 
do bico) \u201ce a destranca assim.\u201d (Ele demonstrou na fechadura da escrivaninha.) \u201cTambém há um 
cabo na caixa.\u201d 
\u2018Eu: \u201cUma menininha como essa não é pesada demais para ela?\u201d 
\u2018Hans: \u201cOh, não.\u201d 
\u2018Eu: \u201cEscuta, um ônibus não se parece com uma caixa de cegonha?\u201d 
\u2018Hans: \u201cSim.\u201d 
\u2018Eu: \u201cÉ uma carroça de mudanças?\u201d 
\u2018Hans: \u201cE também um vagãozinho\u201d (\u201cscallywag\u201d - termo para os abusos das crianças 
levadas). 
 
\u201917 de abril. Ontem Hans levou a cabo seu esquema, longamente premeditado, de 
atravessar o pátio em frente. Ele não faria hoje, pois havia uma carroça parada na rampa de 
carregamento, exatamente em frente aos portões de entrada. \u201cQuando uma carroça fica parada aí\u201d, 
disse-me ele, \u201ceu tenho medo de importunar os cavalos e de eles caírem e fazerem um barulhão com 
as suas patas.\u201d 
\u2018Eu: \u201cComo é que se importuna os cavalos?\u201d 
\u2018Hans: \u201cQuando você está zangado com eles, você os importuna, e quando você grita \u2018Vira 
para a direita\u2019.\u201d 
\u2018Eu: \u201cVocê já importunou os cavalos?\u201d 
\u2018Hans: \u201cSim, muitas vezes. Eu tenho medo de fazê-lo, mas eu não o faço, realmente.\u201d 
\u2018Eu: \u201cVocê alguma vez importunou os cavalos em Gmunden?\u201d 
\u2018Hans: \u201cNão.\u201d 
\u2018Eu: \u201cMas você gosta de importuná-los?\u201d 
\u2018Hans: \u201cOh, sim, muito.\u201d 
\u2018Eu: \u201cVocê gostaria de chicoteá-los?\u201d 
\u2018Hans: \u201cGostaria.\u201d 
\u2018Eu: \u201cVocê gostaria de bater nos cavalos como a mamãe bate em Hanna? Você gosta disso 
também, você sabe.\u201d 
\u2018Hans: \u201cNão acontece nada de mal aos cavalos quando se bate neles.\u201d (Eu lhe disse isso 
uma vez, para mitigar o seu medo de ver os cavalos serem chicoteados.) \u201cUma vez eu bati. Uma vez 
eu tinha o chicote, e chicoteei o cavalo, e ele caiu e fez um barulhão com suas patas.\u201d 
\u2018Eu: \u201cQuando?\u201d 
\u2018Hans: \u201cEm Gmunden.\u201d 
\u2018Eu: \u201cUm cavalo de verdade? Arreado a uma carroça?\u201d 
\u2018Hans: \u201cNão foi na carroça.\u201d 
\u2018Eu: \u201cOnde foi, então?\u201d 
\u2018Hans: \u201cEu apenas o segurei, para que ele não pudesse fugir.\u201d (É claro que tudo isso soava 
muito improvável.) 
\u2018Eu: \u201cOnde foi isso?\u201d 
\u2018Hans: \u201cPerto do bebedouro.\u201d 
\u2018Eu: \u201cQuem o deixou? O cocheiro tinha deixado o cavalo parado lá?\u201d 
\u2018Hans: \u201cEra apenas um cavalo das estrebarias.\u201d 
 
\u2019Eu: