Direito do Consumidor
5 pág.

Direito do Consumidor


DisciplinaDireito do Consumidor10.930 materiais45.563 seguidores
Pré-visualização3 páginas
o contrato de consumo. As informações prestadas no momento da oferta integram o contrato de consumo, pois foram decisivas para a vontade de contratar. O fornecedor pode se retratar, voltar atrás? Não! Uma vez ofertado vincula-se e não há possibilidade de retratação, salvo em hipótese de erro crasso (ex.: televisão com preço de 3 reais, erro na digitação dos zeros \u2013 relembra o princípio da boa-fé objetiva, que o consumidor também deve observar). O consumidor pode limitar ao estoque, por exemplo, não pode disponibilizar um estoque irrisório, mas isso deve ser visto caso a caso, produto a produto. No caso concreto deve-se observar a norma e os princípios. 
2)dever informar: as informações prestadas pelo fornecedor devem ser precisas, claras, ostensivas. Artigo 31, CDC. Rol não é exaustivo \u2013 entre outros dados! 
3)reposição: A oferta vincula e opera efeitos mesmo após sua veiculação. Uma vez ofertado determinado produto, o fornecedor se obriga a manter assistência técnica e peças de reposição enquanto durar a fabricação e, depois, por tempo razoável. Tempo razoável é aquele que acompanha a esperada duração do produto. Mesmo que o carro não seja mais fabricado, espera-se que tenham peças de reposição pois ainda circulam muitos veículos desse modelo. 
4)ausentes: a oferta feita entre ausentes (critério \u2013 possibilidade de aceitação imediata), com lapso temporal \u2013 exemplo: por e-mail. 
	a.fornecedor: o CDC diz que o fornecedor deve veicular de modo claro seus dados de identificação, endereço, CNPJ... preciso saber de modo claro quem é que está me ofertando determinado produto.
5)chamada onerosa \u2013 artigo 33, §único. A oferta não pode ser onerosa ao consumidor.
6)solidariedade: o fornecedor responde solidariamente com seus prepostos (funcionários). Perante o consumidor o fornecedor responsabiliza-se pelos atos de seus prepostos.
7)recusa por parte do fornecedor: à escolha do consumidor e alternativamente \u2013 exigir o cumprimento específico; aceitar outro produto ou serviço semelhante em substituição; rescindir o contrato e exigir perdas e danos.
8)publicidade X oferta: toda publicidade é também oferta, então todas as regras da oferta se aplicam para a publicidade. Mas nem toda oferta é publicidade, pois a oferta de regra é direcionada, não tem o intuito de divulgação ampla como a publicidade (panfletagem, comercial, outdoor...). a publicidade ainda tem algumas regras específicas. Artigo 30, CDC.
8)publicidade e propaganda: o código não faz essa distinção, se refere apenas à publicidade e a CF somente à propaganda. Publicidade tem fins comerciais, propaganda tem fins ideológicos, políticos. O objeto de regramento do CDC é a publicidade \u2013 fins comerciais. Propaganda tem caráter político.
8.1)meios de controle: a publicidade sofre duplo controle. Controle da inciativa privada e controle estatal (por meio do Judiciário). CONAR \u2013 conselho dos profissionais de publicidade e propaganda, pela via administrativa, órgão de classe. 
8.2)vinculação: vincula e integra ao contrato também, assim como a oferta. Toda publicidade deve ser facilmente identificada como tal. Não se pode fazer publicidade camuflada, subliminar. Ainda que o merchandising seja uma prática reiterada e aceita socialmente, deve-se informar que aquilo se trata de merchandising.
8.3)identificação
8.4)prova informações
8.5)enganosa
	a.omissão
	b.embalagem
8.6)abusiva
	a.discriminatória
	b.medo superstição 
	c.violência
	d.ambiental
	e.criança
	f.pergioso
8.7)ônus da prova