A Revolucao Sexual
175 pág.

A Revolucao Sexual


DisciplinaPsicologia e Política13 materiais95 seguidores
Pré-visualização50 páginas
1
2
PSYCHE
WILHELM REICH
REVOLUÇÃO
SEXUAL
Oitava edição
Tradução:
Ary Blaustein
ZAHAR EDITORES
RIO DE JANEIRO
3
Translated from Die Sexuelle Revolution: Zur Charakterlichev Selbststeuerung des Menschen
published by Europãische Verlaganstalt in a new edition with corrections, © 1966 by Mary Boyd
Higgins as trustee of The Wilhelm Reich Infant Trust Fund. Originally published in German as Die
Sexualitat im Kulturkampf copyright 1936 by SexpolVerlag, Kopenhagen. English language edition
published by Farrar, Straus & Giroux, Inc. under the title The Sexual Revolution: Toward a Self-
Governing Character Structure, copyright © 1945, 1962 by Mary Boyd Higgins as trustee of The
Wilhelm Reich Infant Trust Fund.
© 1968 Zahar Editores
Todos os direitos reservados.
A reprodução não-autorizada
desta publicação, no todo ou em parte,
constitui Violação do copyright. (Lei 5.988)
Edições brasileiras: 1969, 1974, 1976, 1977, 1978, 1980, 1981
Direitos exclusivos para a língua portuguesa Copyright by
ZAHAR EDITORES S.A.
Travessa do Ouvidor, 11
Rio de Janeiro, RJ \u2014 CEP 20040
1982-5 4 3 2
Reservados todos os direitos.
É proibida a duplicação ou reprodução deste volume, ou de partes do mesmo,
sob quaisquer formas ou por quaisquer meios
(eletrônico, mecânico, gravação, fotocópia, ou outros), sem permissão expressa da Editora.
4
Sumário
Prefácio da 4ª Edição (1949)..................................................................................................................7
Prefácio da 3ª Edição (1945)..................................................................................................................9
Prefácio da 2á Edição (1936)...............................................................................................................12
PRIMEIRA PARTE O FIASCO DA MORAL SEXUAL...................................................................18
CAPÍTULO I
OS FUNDAMENTOS CLÍNICOS DA CRITICA SEXUAL-ECONÔMICA....................................19
1. DO PRINCIPIO MORAL AO ECONÔMICO-SEXUAL...........................................................19
2. UMA CONTRADIÇÃO DA TEORIA CULTURAL DE FREUD.............................................22
a) Repressão sexual e abstinência impulsional ............................................................................22
b) Satisfação e abstenção de impulsos .........................................................................................25
3. IMPULSO SECUNDÁRIO E REGULAMENTAÇÃO MORAL ..............................................28
4. "MORAL" SEXUAL-ECONÔMICA .........................................................................................31
CAPÍTULO II
O FRACASSO DA REFORMA SEXUAL .........................................................................................34
CAPÍTULO III
A INSTITUIÇÃO DO CASAMENTO COMO BASE
DAS CONTRADIÇÕES DA VIDA SEXUAL ...................................................................................36
CAPÍTULO IV
A INFLUENCIA DA MORAL SEXUAL CONSERVADORA.........................................................39
1. CIÊNCIA "OBJETIVA, APOLÍTICA".......................................................................................39
2. A MORAL DO CASAMENTO COMO EMPECILHO A QUALQUER REFORMA SEXUAL
..........................................................................................................................................................45
3. O BECO SEM SAÍDA DA EDUCAÇÃO SEXUAL..................................................................51
CAPÍTULO V
A FAMÍLIA COMPULSÓRIA COMO INSTRUMENTO DE EDUCAÇÃO ...................................58
1. A INFLUÊNCIA DA IDEOLOGIA SOCIAL ............................................................................59
2. A ESTRUTURA TRIANGULAR ...............................................................................................60
CAPITULO VI
O PROBLEMA DA PUBERDADE ...................................................................................................63
1. O CONFLITO DA PUBERDADE ..............................................................................................63
2. EXIGÊNCIA SOCIAL E REALIDADE SEXUAL ....................................................................65
3. UMA CONSIDERAÇÃO MÉDICA, NÃO-ÉTICA, SOBRE AS RELAÇÕES SEXUAIS DA
JUVENTUDE ..................................................................................................................................75
5
CAPÍTULO VII
CASAMENTO COMPULSÓRIO E RELAÇÃO SEXUAL PERMANENTE...................................83
1. AS RELAÇÕES SEXUAIS PERMANENTES...........................................................................84
2. O PROBLEMA MATRIMONIAL..............................................................................................90
SEGUNDA PARTE A LUTA PELA «NOVA VIDA» NA UNIÃO SOVIÉTICA..........................102
REAÇÃO SEXUAL NA RÚSSIA ....................................................................................................103
CAPITULO I
A "ABOLIÇÃO DA FAMÍLIA" .......................................................................................................106
CAPITULO II
A REVOLUÇÃO SEXUAL ..............................................................................................................110
1. LEGISLAÇÃO DE TENDÊNCIA PROGRESSISTA ..............................................................110
2. OS OPERÁRIOS PREVINEM..................................................................................................113
CAPÍTULO III
O REFREAMENTO DA REVOLUÇÃO SEXUAL.........................................................................120
1. AS PRESSUPOSIÇÕES PARA O REFREAMENTO..............................................................120
2. MORALIZAR, EM VEZ DE RECONHECER E DOMINAR .................................................122
3. CAUSAS OBJETIVAS DO REFREAMENTO ........................................................................127
CAPÍTULO IV
LIBERAÇÃO E REFREAMENTO DO CONTROLE DA NATALIDADE E DA
HOMOSSEXUALIDADE.................................................................................................................130
1. CONTROLE DA NATALIDADE ............................................................................................130
2. A REINTRODUÇÃO DA CLÁUSULA DA HOMOSSEXUALIDADE.................................137
CAPÍTULO V
O REFREAMENTO NAS COMUNAS DA JUVENTUDE.............................................................140
1. JUVENTUDE REVOLUCIONÁRIA .......................................................................................140
2. COMUNAS DA JUVENTUDE ................................................................................................141
3. PRESSUPOSIÇÕES ESTRUTURAIS NECESSÁRIAS..........................................................153
CAPÍTULO VI
ALGUNS PROBLEMAS DA SEXUALIDADE INFANTIL...........................................................155
1. ESTRUTURAÇÃO COLETIVA...............................................................................................155
2. REESTRUTURAÇÃO NÃO-AUTORITÁRIA NO BEBÊ ......................................................158
3. FALSOS REVOLUCIONÁRIOS, EDUCAÇÃO PASTORAL................................................162
4. NOVAMENTE A QUESTÃO DOS DELINQÜENTES ..........................................................165
CAPÍTULO VII
O QUE SE CONCLUI DA LUTA SOVIÉTICA POR UMA "NOVA VIDA".................................169
6
Amor, trabalho e saber são as fontes
de nossa existência.
Deverão regê-la também.
O redator do Garnrolle, que apresentou a pergunta: "Para que vivemos?", parece ter vontade
de aventurar-se no emaranhado da Filosofia. Talvez tenha sido tomado por um grande temor ante a
insignificância da existência humana. No primeiro caso, ainda