Apostila de TGA
159 pág.

Apostila de TGA


DisciplinaAdministração157.888 materiais1.132.339 seguidores
Pré-visualização42 páginas
não tinham 
medo dos supervisores. O grupo passou por vários testes como períodos de folga, 
salário por produção, etc. Foi verificado que as moças gostavam mais desse grupo, 
e elas até faziam amizades e acabaram desenvolvendo uma equipe. O grupo 
aumentou a produção naturalmente, pois estava mais bem motivado. 
 
Fase 3: Fase das entrevistas. Como os pesquisadores notaram que havia um fator 
psicológico que fazia os funcionários trabalharem melhor num ambiente menos 
rígido, iniciaram uma fase de pesquisas, para ouvir os funcionários, e saber o que 
pensavam. Primeiro fazendo entrevistas diretas e depois indiretamente. 
 
Fase 4: Foi analisado a organização informal entre os funcionários, como punir um 
funcionário do grupo, por esse não seguir as \u201cregras\u201d impostas pelo grupo em geral. 
Conclusões da pesquisa: o nível de produção é resultante da integração social 
(quanto maior a integração do funcionário com o restante do grupo, maior sua 
capacidade de produção); Comportamento social dos funcionários (o funcionário não 
é um ser isolado, ou seja, ele tem que se adequar as normas do grupo, ou pode ser 
punido socialmente, como ser evitado pelos outros); Recompensas e sanções 
sociais (mencionados acima também). Grupos informais: a empresa tem seus 
próprios grupos informais, o conteúdo de cargo não é importante e especialmente. É 
dado ênfase nos aspectos emocionais dos empregados. 
 
- Civilização Industrializada e o homem. 
Do ponto de vista de Elton Mayo, o homem é explorado pela sociedade 
industrial: 
1 - O nível de produção: Nível de integração social; 
2 - Trabalho social; 
156 
Teoria Geral da Administração Professor Alessandre Silva 
 
Professor Alessandre Silva Teoria Geral da Administração 
 
3 - A administração da empresa deve compreender e ter mais comunicação com os 
funcionários; 
4 - O ser humano é movido pela necessidade de estar junto, de ser reconhecido pelo 
grupo; 
5 - Com a industrialização os grupos primários (família, igreja) foram desintegrados, 
sendo que o trabalho se tornou um segundo lar para os operários. Para Mayo e seus 
colaboradores, a organização tem duas funções básicas: 
a) Produzir bens e serviços (função econômica externa) 
b) Distribuir satisfação entre os seus participantes (função social interna) 
 
- Decorrências da Teoria das Relações Humanas. 
Com o estudo de Elton Mayo e seus colaboradores, cai a teoria do homem 
economicus, e entra em cena o homem social. A experiência de Hawthorne 
constatou que a produtividade do homem está ligada a sua integração social, ou 
seja, só um estímulo econômico salarial não é suficiente para aumentar o grau de 
satisfação com a empresa, pois o homem busca também recompensas sociais ou 
econômicas. A teoria das relações humanas também chegou à conclusão de que o 
homem tem necessidades humanas básicas: 
- As fisiológicas (que estão relacionadas às necessidades de sobrevivência); 
- As psicológicas (são necessidades secundárias e exclusivas do homem), entre as 
necessidades psicológicas, as principais são: necessidade de segurança intima; 
necessidade de participação; necessidade de autoconfiança; necessidade de 
afeição; 
- As de autorrealização. 
 
- Ciclo motivacional para necessidades satisfeitas: 
- Equilíbrio; 
- Estímulo; 
- Necessidade; 
- Tensão; 
- Comportamento; 
- Ação; 
- Satisfação; 
- Equilíbrio. 
157 
Teoria Geral da Administração Professor Alessandre Silva 
 
Professor Alessandre Silva Teoria Geral da Administração 
 
No ciclo motivacional, temos o ciclo sempre sendo completado, mas nem 
sempre isso é possível. Quando isso ocorre, existe uma frustração. Essa frustração 
pode ter uma compensação ou uma transferência, ou seja, quando o homem tem 
uma necessidade que não pode ser satisfeita, ela pode compensar com outra coisa. 
Dessa forma, as necessidades humanas podem ser satisfeitas, frustradas ou 
compensadas. 
 
- Ciclo motivacional para necessidades frustradas: 
- Equilíbrio; 
- Estímulo; 
- Necessidade; 
- Tensão; 
- Comportamento; 
- Ação; 
- Barreira. 
Uma pessoa que tem suas necessidades frustradas pode ter seu 
comportamento alterado e apresentar sintomas de: 
- Desorganização de comportamento; 
- Agressividade; 
- Reações emocionais; 
- Alienação e apatia. 
A moral no clima organizacional depende do comportamento dos 
empregados, quando a moral está alta, a produtividade e o clima de trabalho 
também estão em alta e vice e versa. 
 
- Liderança: 
Na Teoria das Relações Humanas, o líder serve para conduzir o grupo, para o 
grupo ter segurança, para que o grupo possa ser melhorado. Traços de 
personalidades dos líderes: físicos, intelectuais, sociais e de tarefas. Essas teorias 
dos traços dos líderes são criticadas, pois não leva em conta a totalidade das ações 
que um líder precisa ter. Estilos de liderança: 
- Autocrática: o líder centraliza as decisões e impõe as regras para o grupo; 
- Liberal: o líder delega decisões ao grupo e os deixa completamente à vontade; 
158 
Teoria Geral da Administração Professor Alessandre Silva 
 
Professor Alessandre Silva Teoria Geral da Administração 
 
- Democrática: o líder conduz e orienta o grupo e incentiva a participação 
democrática das pessoas. 
A teoria situacional das lideranças dizia que um mesmo líder pode usar vários 
tipos de liderança, variando para que fim ele vá usar esse tipo de liderança, ou seja, 
cada tipo de liderança está relacionado a um tipo de tarefa; para cada subordinado 
ou para o mesmo subordinado. 
 
- Comunicação: A comunicação nada mais é que tornar comum uma mensagem ou 
informação. 
- Emissor; 
- Canal; 
- Receptor. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
159 
Teoria Geral da Administração Professor Alessandre Silva 
 
Professor Alessandre Silva Teoria Geral da Administração 
 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS. 
- BERNARDES. Cyro, MARCONDES, Reynaldo C. Teoria Geral da Administração: 
Gerenciando Organizações. 3. Ed. Revista e ampliada. São Paulo: Saraiva, 2003. 
- CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão 
abrangente da moderna administração das organizações. Revisada e atualizada. Rio 
de Janeiro: Elsevier, 2003. 
- MATTOS, Pedro Lincoln C. L. de. "Administração é ciência ou arte?" O que 
podemos aprender com este mal-entendido? Rev. Adm. Empresas, 2009, vol.49, 
n.3, pp. 349-360. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rae/v49n3/v49n3a09.pdf>. 
- MAXIMIANO, Antônio C. Teoria geral da administração: da escola científica a 
competitividade em economia globalizada. São Paulo: Atlas, 2000. 
- MAXIMIANO, Antônio C. Teoria geral da administração: Da Revolução Urbana à 
Revolução Digital. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2012. 
- SILVA, Reinaldo Oliveira da. Teorias da Administração. São Paulo: Pioneira 
Thomson Learning, 2002. 
- WEBER, Max. Ciência e política: duas vocações. São Paulo: Martin Claret, 2003.