resumo II unidade kalina
22 pág.

resumo II unidade kalina


DisciplinaCiência Política I37.385 materiais718.754 seguidores
Pré-visualização7 páginas
Formas de governo 
KALINA MORAIS 
Azambuja: As formas de governo são formas de vida do Estado, revelam o caráter coletivo do 
seu elemento humano, representam a reação psicologia da sociedade às diversas e complexas 
influências de natureza moral, intelectual, geográfica, econômica e política. 
Dallari: A organização das instituições que atuam o poder soberano do Estado e as relações 
entre aquelas instituições fornecem a caracterização das formas de governo. 
1. Primeira Classificação 
\uf0b7 Segundo a origem do poder 
- Governo de direito: quando é constituído com os parâmetros legais 
preexistentes. -> hereditariedade; eleição. 
- Governo de fato: estabelecido pelo poder das armas. 
 
\uf076 Pelas relações mantidas com os governados 
\uf0b7 Governo legal: é aquele governo que é constituído pelas normas existentes. 
\uf0b7 Governo despótico: constituído de sua própria vontade. 
 
\uf076 Quanto à extensão do poder 
\uf0b7 Governo constitucional: quando é baseado em uma constituição; império da lei; 
divisão dos poderes; direitos fundamentais. 
\uf0b7 Governo Absolutista: império da força; sem separação de poderes. 
 
Azambuja: Quanto à origem : 
 
Governos democráticos ou populares \u2013 aqueles em que o poder emana do povo, 
isto é, em que o povo é quem governa, quer diretamente, como acontecia nos 
pequenos Estados gregos, quês indiretamente, por meio de representantes, 
como acontece nos Estados modernos. 
Governos de dominação \u2013 são aqueles em que, juridicamente, o poder não 
pertence ao povo, ou porque uma entidade sobrenatural o exerce, como nas 
teocracias, ou porque o individuo(s) que o exerce pretendem tê-lo conquistado, 
adquirido definitivamente, ou recebido de Deus, como queriam as doutrinas do 
Direito sobrenatural. Os governantes não são representantes do povo, 
governam por direito próprio. 
Quanto à organização : 
Governo de fato - modo pelo qual os governantes se investem ou são 
designados, se a ocupação dos postos dirigentes supremos se fez pela força, por 
uma revolução ou golpe de Estado. 
Governo de direito \u2013 aquele em que a substituição se fez normalmente, pode 
ser por hereditariedade, como acontece nas monarquias, ou por eleição, como 
se dá nas democracias. 
Quanto ao exercício: 
Absolutos \u2013 os governos que não obedecem a nenhuma Constituição, a 
nenhuma norma jurídica. 
Constitucionais \u2013 os que exercem o poder de acordo com uma Constituição,ou 
leis estabelecidas. 
 
2. Classificação de \u201cAristóteles\u201d 
Várias são as formas de governo dividido em dois fatores: pluralidade do sujeito e a 
conduta ética. 
\u201cPois que as palavras constituição e governo significam a mesma coisa, pois governo é a 
autoridade suprema nos Estados, e que necessariamente essa autoridade suprema deve estar 
nas mãos de um só, de vários, ou a multidão usam da autoridade tendo em vista o interesse 
geral, a constituição é pura e sã; e que, se o governo tem em vista o interesse particular de um 
só, de vários ou da multidão, a constituição é impura e corrompida.\u201d Aristóteles. 
 
 Monarquia: governo de um só 
Formas puras / governos normais Aristocracia: governo de vários 
 Democracia: governo do grupo 
 
 Tiranias: corrupção da monarquia 
Formas impuras / governos anormais Oligarquia: corrupção da aristocracia 
 Demagogia: corrupção da democracia 
 Quando o governo é exercido por um só, tendo em vista o bem geral, é a monarquia, 
ou a realeza; quando é um só que governa, mas no interesse próprio, desprezando o interesse 
geral dos governados, oprimido-os e espoliando-os, temos a forma corrupta ou anômala da 
monarquia, que é a tirania ou despotia. Quando o governo é exercido por uma minoria 
privilegiada, pela nobreza, em beneficio de toda a sociedade, temos a aristocracia; se o poder 
é exercido por essa minoria em proveito próprio, aparece a forma impura ou degenerada da 
aristocracia, que é a oligarquia. Se o poder é ou pode ser exercido por todos os cidadãos, para 
o bem comum. Temos a democracia; se o governo está nas mãos d multidão revoltada ou esta 
domina diretamente os governantes, implantando um regime de violência e de opressão, 
surge a forma corrupta da democracia, que é a demagogia. Não há uma forma de governo 
absolutamente pura e simples, o que há uma mistura, no entanto esses exemplos serve para 
demonstrar que as formas reais de governo são simples aproximações dos tipos definidos na 
classificação. 
3. Classificação de \u201cMaquiavel\u201d 
Azambuja: Maquiavel rejeitou preliminarmente a distinção entre formas puras e 
corruptas. Para ele os governos dos Estados se sucedem em ciclos fatais e é inútil distingui-los 
em bons e maus, pois as formas corrompidas são apenas alterações de outras. Em síntese, 
foram estas as ideias de Maquiavel sobre formas de governo e não é exato que ele tenha 
proposto uma classificação própria, dicotômica, distinguindo somente dois tipos: monarquia e 
república. 
Dallari: Maquiavel desenvolve uma teoria procurando sustentar a existência de ciclos 
de governo. O ponto de partida é um estado anárquico, que teria caracterizado o inicio da vida 
em sociedade. Para se defenderem escolheram um chefe, obedecendo-o. Ao ver que as 
escolhas que o chefe, viram que aquelas características não resultaram em bons chefes, 
passando a dar preferências ao mais justo e sensato. Essa monárquica eletiva converteu-se 
depois em hereditário, e algum tempo depois os herdeiros começaram a degenerar, surgindo a 
tirania. Para coibir os seus males, os tinham mais riquezas, nobreza e animo valoroso 
organizaram conspirações e se apoderaram do governo, instaurando-se a aristocracia, 
orientada para o bem comum. Entretanto, os descendentes dos governantes aristocratas, que 
não haviam sofrido os males da tirania e não estavam preocupados com o bem comum, 
passaram a utilizar o governo em seu proveito própria, convertendo a aristocracia em 
oligarquia. O povo, não suportando mais a desgraça da oligarquia, mas, ao mesmo tempo, 
lembrando-se dos males da tirania, destituiu os oligarcas e resolveu governar-se a si mesmo, 
surgindo o governo popular ou democrático. Mas o próprio povo, quando passou a ser 
governante, sofreu um processo de degeneração, e cada um passou a utilizar em proveito 
pessoal, voltando-se ao estagio inicial e recomeçando-se o ciclo, que já foi cumprido muitas 
vezes na vida de todos os povos. A única maneira de evitar as degenerações, quebrando-se o 
ciclo, seria a conjugação da monarquia, da aristocracia e da democracia em um só governo. 
 
3.1 Monarquia \u2013 Dallari: É a forma de governo que já foi adotada, há muitos séculos, 
por quase todos os Estados do mundo. Com o passar dos séculos ela foi sendo 
gradativamente enfraquecida e abandonada. 
Azambuja: No conceito clássico, monarquia é a forma de governo em que o poder 
está nas mãos de um individuo, de uma pessoa física. \u201cMonarquia é o Estado 
dirigido por uma vontade física. Esta vontade deve ser juridicamente a mais alta, 
não deve depender de nenhuma outra vontade.\u201d Disse Jellinek. Apenas nos 
governos absolutos se encontra o Estado dirigido por uma única vontade 
individual, que seja a mais alta e nãodependa de nenhuma outra. 
3.1.1 Histórico 
3.1.2 Características \u2013 Dallari: Vitaliciedade: O monarca não governa por um 
tempo certo e limitado, podendo governar enquanto viver ou enquanto tiver 
condições para continuar governando. Hereditariedade: A escolha do monarca se 
faz pela simples verificação da linha de sucessão. Quando morre o monarca