Apostila Dir Financeiro I
22 pág.

Apostila Dir Financeiro I


DisciplinaDireito Financeiro3.356 materiais14.840 seguidores
Pré-visualização7 páginas
financeiros necessários ao atendimento de metas politicamente estabelecidas. 
\u2022 Serviços Públicos \u2013 funcionamento \u2013 sem despesas 
- Mesas na eleição 
- Membros de júri popular 
Gratuidade função pública \u2013 exceção 
8 - CLASSIFICAÇÃO DAS D ESPESAS PÚBLICAS 
Kiyoshi Harada, 
? Ordinárias \u2013 rotina dos serviços públicos e que são renovadas anualmente a cada 
orçamento. 
? Extraordinária \u2013 destinadas a atender caráter esporádico, não se renovam a cada 
ano. 
Despesa pública corresponde a toda saída de numerários. É onde o Estado despende 
recursos públicos, empenhados ou compromissados. As despesas orçamentárias 
classificam-se em: 
a) Classificação da Lei n° 4320/64 
- DESPESAS CORRENTES: produzem variação negativa no patrimônio líquido, ou seja, 
redução do valor do ativo. 
As despesas correntes são divididas em: 
a) Despesas de manutenção/custeio: despesas destinadas à manutenção 
dos serviços criados anteriormente a lei orçamentária. Incluem-se entre as 
despesas de custeio os gastos com obras de conservação e de adaptação de 
bens imóveis. 
Profa. Juliana Ribeiro 7 
 
b) Transferências Correntes: são despesas orçamentárias para as quais não 
corresponde uma contraprestação dire ta de bens ou serviços. São as 
subvenções sociais destinadas a cobrir despesas de custeio de instituições 
públicas ou privadas, de caráter social ou cultural, sem finalidade lucrativa; são 
as subvenções econômicas que se destinam a cobrir despesas de custeio de 
empresas públicas de caráter industrial, comercial, agrícola ou pastoril. 
- DESPESAS DE CAPITAL: representam simples trocas de valores do ativo. São divididas 
em: 
a) Despesas de Investimento: são despesas necessárias ao planejamento e à 
execução de obras, à aquisição de instalações, de equipamentos, material 
permanente, constituição ou aumento de capital de empresas que não sejam de 
caráter comercial ou financeiro. Incluem-se as aquisições de imóveis 
considerados necessários à execução de obras. 
b) Inversões Financeiras: são despesas com aquisição de imóveis, de bens 
de capital já em utilização, aquisição de títulos representativos de capital de 
entidades de qualquer espécie, já constituídas, quando tal operação não importa 
aumento de capital; constituição ou aumento de capital de entidades que visem 
objetivos comerciais ou financeiros, inclusive operações bancárias ou de 
seguros. 
c) Transferências de Capital: consistem na transferência de bens numerários 
a outras entidades que devem realizar investimentos ou inversões financeiras. 
Essas transferências denominam-se auxílios ou contribuições. Incluem-se entre 
as despesas de transferências de capital aquelas destinadas à amortização da 
dívida pública. 
- DESPESAS EXTRA-ORÇAMENTÁRIAS constituem dos pagamentos que não dependem 
de autorização legislativa, aqueles que não estão vinculados ao orçamento público. 
Correspondem à restituição ou a entrega de valores arrecadados a título de receita extra-
orçamentária. 
Exemplo: devolução de caução, fiança, salários e vencimentos não reclamados, pagamento 
de restos a pagar, restituições a pagar. 
9 - ESTÁGIO DAS DESPESAS PÚBLICAS 
\u2022 EXECUÇÃO DAS DESPESAS PÚBLICAS 
Art. 167 da CF/88 \u2013 veda expressamente a realização de despesas sem dotação 
orçamentária. 
A abertura de créditos orçamentários suplementares ou especiais depende de autorização 
legislativa e da indicação de recursos correspondentes \u2013 art. 167, V da CF/88. 
A transposição ou remanejamento de receita depende de prévia autorização legislativa \u2013 
art. 167, VI da CF/88. 
Realização de despesas \u2013 presunção da observância do princípio da legalidade. 
Inobservância pelo agente político \u2013 crime de responsabilidade. 
Apostila de Direito Financeirol I 8 
 
\u2022 As despesas percorrem seis estágios: 
* programação da despesa; 
* licitação; 
* empenho; 
* liquidação; 
* suprimento; 
* pagamento. 
Cada um divide-se em conjuntos de operações menores, as quais denominam-se fases da 
despesa. 
* Programação da despesa: é o primeiro estágio da despesa pública. Após a 
publicação da lei orçamentária, o Poder Executivo, através de decreto, traçará um 
programa de utilização dos créditos orçamentários aprovados para o exercício. Essa 
programação visa disciplinar os gastos, à mesma medida que se realizam as 
receitas. Se não houvesse a programação da despesa, os órgãos poderiam utilizar, 
logo nos primeiros meses do ano, todos os recursos orçamentários, gerando 
problemas de insuficiência de caixa, uma vez que a receita se realiza ao longo dos 
doze meses do exercício financeiro. 
* Licitação: o segundo estágio da despesa, só terá início depois de decretada a 
programação da despesa, com a fixação das cotas trimestrais. 
Nenhuma aquisição de material, contratação de serviços ou de obras, se realizará 
sem a licitação. 
Licitação é o procedimento administrativo que tem por objetivo verificar, entre 
vários fornecedores habilitados, quem oferece condições mais vantajosas. 
* Empenho: o terceiro estágio da despesa consiste no ato emanado de autoridade 
competente que cria para o Poder Público a obrigação de pagamento. É o empenho 
que gera a obrigação de pagar. Empenhar uma despesa é emitir um documento 
denominado Nota de Empenho. 
* Liquidação: consiste na verificação do direito adquirido pelo credor, tendo por base 
os títulos e documentos comprobatórios do respectivo crédito. Essa verificação tem 
por fim apurar a origem e o objeto do pagamento, a importância exata e a quem se 
deve pagar para extinguir a obrigação. A liquidação da despesa, por fornecimentos ou 
serviços prestados, terá por base o contrato, o ajuste ou acordo respectivo, a nota de 
empenho e os comprovantes de entrega do material ou da prestação efetiva do 
serviço. 
* Suprimento: é o estágio da despesa em que o Tesouro Público entrega aos agentes 
pagadores os meios de pagamento para liquidação dos compromissos financeiros 
marcados para determinado dia ou período. Entrega de meios de pagamento para os 
agentes pagadores (tesourarias, caixas e outros órgãos públicos; não há agentes 
pagadores privados). 
* Pagamento: o pagamento é o último estágio da despesa. O credor comparece 
perante o agente pagador, identifica-se, recebe seu crédito e dá a competente 
quitação. 
Profa. Juliana Ribeiro 9 
 
 
10 - DESPESAS PÚBLICAS E A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL 
LEI COMPLEMENTAR 101/00 
DA DESPESA PÚBLICA 
Seção I 
Da Geração da Despesa 
Art. 15. Serão consideradas não autorizadas, irregulares e lesivas ao patrimônio público a 
geração de despesa ou assunção de obrigação que não atendam o disposto nos arts. 16 e 
17. 
Art. 16. A criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete 
aumento da despesa será acompanhado de: 
OBS: O equilíbrio orçamentário para os próximos dois anos deverá conter: 
A) estimativa do impacto orçamentário-financeiro no exercício em que deva entrar em 
vigor e nos dois subseqüentes; 
A estimativa será acompanhada das premissas e metodologia de cálculo utilizadas. 
B) declaração do ordenador da despesa de que o aumento tem adequação 
orçamentária e financeira com a lei orçamentária anual e compatibilidade com o plano 
plurianual e com a lei de diretrizes orçamentárias. 
C) adequação com a lei orçamentária anual, a despesa objeto de dotação específica e 
suficiente, ou que esteja abrangida por crédito genérico, de forma que somadas todas 
as despesas da mesma espécie, realizadas e a realizar, previstas no programa de 
trabalho,
Carregar mais