linha guia
210 pág.

linha guia


DisciplinaCaderno de Atenção Básica38 materiais354 seguidores
Pré-visualização50 páginas
a presença de HAS secundária 
Tratamento prévio da HAS, resposta 
terapêutica 
Útil no planejamento da estratégia terapêutica 
Medicações que possam influenciar na 
PA (p.ex., contraceptivos orais, 
simpaticomiméticos, esteróides 
adrenais) ou dieta com excesso de sal 
Fatores modificáveis que podem reduzir a PA sem o 
emprego de medicamentos 
História familiar de HAS, doença ou 
óbito prematuro por doença 
cardiovascular, doença renal, diabetes 
ou feocromocitoma 
Importante no diagnóstico de HAS primária e avaliação 
de risco cardiovascular 
Sintomas sugestivos de causas 
secundárias 
Importante para determinar a investigação de 
componentes específicos que contribuem para elevação 
da PA 
Sintomas de lesão de órgão alvo (p. ex., 
cefaléia, fraqueza ou cegueira 
transitória, diminuição da acuidade 
visual, dor torácica, dispnéia ou 
claudicação) 
Utilizado para avaliar possível lesão de órgão alvo; 
funciona como um guia grosseiro para a gravidade da 
HAS 
Outros fatores de risco (p. ex., 
tabagismo, diabetes, dislipidemia, ou 
sedentarismo 
Fatores modificáveis que contribuem para o risco 
cardiovascular 
Estilo de vida (p.ex., ingestão de sal, 
álcool e gordura saturada; estresse no 
trabalho; achados de apnéia do sono) 
Fatores modificáveis que contribuem para elevação da 
PA 
Onde: HAS = hipertensão arterial sistêmica; PA = pressão arterial. Fonte: VI Dir Bras HAS, 
2010.² 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
40 
 
 
SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS 
 
Quadro 13. Dados de exame físico e comentários relevantes na avaliação de hipertensos 
Dados do exame físico Comentários 
Aferição da PA em ambos os 
braços (e inicialmente na perna) 
Possibilita afastar a presença de lesão vascular importante, tal 
como coarctação da aorta 
Aspecto geral, lesões de pele 
distribuição da gordura corporal 
Pode identificar usuários com alto risco para diabetes ou 
dislipidemia 
Fundo de olho Avalia o grau de comprometimento vascular e reflete a 
gravidade da hipertensão 
Exame de pescoço (palpação das 
carótidas e da tireóide; ausculta de 
sopros) 
Identifica os usuários com alto risco cardiovascular e 
possibilita a suspeita de doença cardiovascular 
Exame cardiopulmonar para 
ausculta de estertores, freqüência, 
ritmo, sopros e galopes cardíacos 
Detecta as consequências da HAS em órgãos-alvo (HVE ou IC): 
B3 sinaliza disfunção sistólica; B4 sinaliza disfunção diastólica 
de VE. 
Exame do abdome para massas 
renais e sopros abdominais e nas 
artérias femorais 
Rins aumentados, palpáveis em usuário com HAS indicam 
doença renal policística do adulto; sopro abdominal pode 
indicar doença renovascular; sopro femoral pode ser 
observado nas doenças vasculares de membros inferiores 
Determinação do índice tornozelo 
braço 
Possibilita a identificação precoce do comprometimento das 
artérias dos membros inferiores 
Exame neurológico para sinais de 
AVC prévio (hiperreflexia, 
espasticidade, sinais de Babinsky) e 
atrofia e distúrbios da marcha 
(sinais motores) 
Identifica usuários com lesão de órgão alvo, tal como AVC 
prévio 
Onde: PA = pressão arterial; HVE = hipertrofia ventricular esquerda; IC = insuficiência cardíaca; 
B3 = terceira bulha; B4 = quarta bulha; VE = ventrículo esquerdo; HAS = hipertensão arterial 
sistêmica; AVC = acidente vascular cerebral. Fonte: VI Dir Bras HAS, 2010.² 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
41 
 
 
SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS 
Exames complementares 
 
Uma investigação complementar inicial básica é indicada para todos os usuários hipertensos. O 
quadro 14 expõe a avaliação mínima recomendada pela SES/MG para esta avaliação. 
 
Quadro 14. Avaliação complementar inicial básica do hipertenso recomendada pela SES/MG 
e comentários relevantes 
Avaliação Comentários 
Análise de urina (simples) Albuminúria se associa com risco aumentado de DCV, HAS, 
DRC. Albuminúria e/ou hematúria e/ou piúria pode ser o 
primeiro sinal de doença renal secundária à HAS. 
Hemoglobina ou hematócrito Anemia é fator de risco para DCV, preditor de morte na IC 
e fator agravante da DRC. 
Potássio plasmático Baixos níveis de potássio podem indicar excesso de 
aldosterona (investigação de hipertensão secundária) 
Creatinina plasmática (estimar TFG) Possibilita estimar a TFG 
Glicemia jejum Permite identificar intolerância à glicose e diabetes 
mellitus 
Colesterol total, HDL-colesterol, 
Triglicérides* 
A dislipidemia é duas vezes mais prevalente nos 
hipertensos 
Eletrocardiograma (ECG) HVE é fator de risco cardiovascular independente. 
Prioriza o diagnóstico de HVE através dos índices de 
Sokolov-Lyon ou Cornell. 2,29 
Onde: * O LDL-C (colesterol LDL) é calculado pela fórmula: LDL-C = colesterol total - (Colesterol 
HDL + triglicérides/5) (quando a dosagem de triglicérides for abaixo de 400 mg/dL); DCV = 
doença cardiovascular; HAS= hipertensão arterial; DRC = doença renal crônica; IC = 
insuficiência cardíaca; TFG = taxa de filtração glomerular; HVE = hipertrofia ventricular 
esquerda. Fonte: VI Dir Bras HAS, 2010.² 
Uma avaliação adicional é orientada para detectar lesões clínicas ou subclínicas com o 
objetivo de melhor estratificação do risco cardiovascular. Está indicada na presença de 
elementos indicativos de doença cardiovascular e doenças associadas, em usuários 
com dois ou mais fatores de risco e, em usuários acima de 40 anos de idade com 
diabetes mellitus.² 
 
1.4.2. Estratificação de risco cardiovascular 
 
A idade, o sexo, a pressão arterial elevada, o tabagismo, a dislipidemia e o diabetes são 
sabidamente os principais fatores de risco para se desenvolver doença cardiovascular. A 
interação e o agrupamento destes fatores levaram ao desenvolvimento de uma predição 
baseada em algoritmos de análise multivariada, que podem ser utilizados por profissionais de 
 
42 
 
 
SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS 
saúde da atenção primária para avaliar o risco de desenvolver doença cardiovascular, ou seja, 
doença coronariana, AVC, DVP e insuficiência cardíaca. Esta avaliação tem sido defendida por 
estimar o risco cardiovascular global e para guiar o tratamento destes fatores de risco.30 
A avaliação do risco de Framingham original é uma ferramenta validada para brancos e negros 
americanos e é transportável (com a devida calibração) para várias populações da Europa, 
Mediterrâneo e Ásia.30 
A VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão (2010) valorizou a estratificação de risco, baseada no 
reconhecimento dos fatores de risco cardiovasculares, em fatores adicionais para a HAS, na 
identificação de lesões em órgãos-alvo e de lesões subclínicas destes órgãos.² 
Os fatores de risco adicionais para a HAS representam homens com idade acima de 55 anos e 
mulheres acima de 65 anos; o tabagismo; as dislipidemias, especialmente, triglicérides acima 
de 150 mg/dL, LDL-colesterol maior que 100 mg/dL e HDL-colesterol menor que 40 mg/dL; a 
presença de diabetes mellitus associada à história familiar prematura de doença 
cardiovascular em homens com idade menor que 55 anos e mulheres com idade menor que 65 
anos.² 
Como lesões subclínicas de órgãos-alvo, cita-se a presença de HVE ao ECG. Índices 
recomendados são os de Sokolov-Lyon (soma do S de V1 ou V2 e do R de V5 ou V6 acima de 35 
mm) ou Cornell (soma do R de aVL e do S de V3, acima de 28 mm para homens e acima de 20 
mm para mulheres).29 Aliado à presença de HVE, pelo ecocardiograma transtorácico, com 
índice de massa de ventrículo esquerdo (VE) maior que 134g/m2 em homens ou acima de 
110g/m2 em mulheres, a espessura médio-intimal de carótidas acima de 0,9 mm ou a presença 
de placa de ateroma pelo doppler de carótidas; o índice tornozelo-braço menor que 0,9; a 
depuração de creatinina estimada menor que 60 ml/min/1,72 m2; o baixo ritmo de filtração 
glomerular menor que 60 ml/min/1,72 m2; presença de microalbuminúria ou velocidade de 
onda de pulso acima de 12m/s, são outros indicativos de lesões subclínicas de órgãos-alvo.²
Neury
Neury fez um comentário
preciso desse conteúdo em pdf! Pode me enviar?
0 aprovações
Fernando
Fernando fez um comentário
Salvou minha vida!
0 aprovações
Carregar mais