A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
4 Área de denagem e Tempo de Concentração

Pré-visualização | Página 1 de 1

RECURSOS HÍDRICOS E 
GESTÃO DE BACIAS 
HIDROGRÁFICAS 
 
Profª. Me. Mirtes Tatiane Neisse Boldrin 
 
professora-mirtes.webnode.com 
 
Ciclo Hidrológico 
As redes de drenagem 
Toda elevação entre dois rios, quer meça poucos metros 
ou milhares, forma um divisor de águas. 
 
• PADRÕES DE DRENAGEM 
 
Área de drenagem da Bacia Hidrográfica 
 
Área de drenagem da Bacia Hidrográfica 
Área de drenagem da Bacia Hidrográfica 
DRENAGEM URBANA 
- Objetivo principal de remover as águas 
pluviais em excesso; 
 
- Medidas estruturais (onerosas e não 
representam as soluções mais eficazes e 
sustentáveis); 
 
- Integrar as relações entre os sistemas que 
compõe o ambiente urbano. 
 
Soluções para Drenagem Urbana 
Dependem de: 
 
- Políticas públicas voltadas a esse assunto 
e que sejam eficientes; 
 
- Processos de Planejamento adequados; 
 
- Educação Ambiental. 
DRENAGEM URBANA 
Impactos da urbanização: 
 
- Impermeabilização 
- Lixo 
- Redes de esgoto deficientes 
- Desmatamento 
- Desenvolvimento Indisciplinado 
 
 
Tempo de Concentração 
É o tempo necessário para a água 
precipitada no ponto mais alto da bacia, 
deslocar-se até a seção principal. 
 
Imagine uma gota de água. 
Tempo de Concentração 
 
 
 
 
 
Tempo de Concentração 
6,6 Km 
1,2 km 
Exercício 
Determine o tempo de concentração para 
uma bacias com as seguintes características: 
 
 
Comprimento do Talvegue: 6,6 Km 
Declividade: 20 m. 
 
 
 
Tc = 57 * (6,6³/20)0,385 
Tc = 57 * (14,37) 0,385 
Tc = 57 * 2,790 
 
Tc = 159,05 minutos 
 
Tc = 2,6 horas 
Exercício 
 
 
Comprimento do Talvegue: 1,2 Km 
Declividade: 15 m 
 
Comprimento do Talvegue: 1,2 Km 
Declividade: 15 m 
Tc = 57 * (1,2³/15)0,385 
Tc = 57 * (0,11) 0,385 
Tc = 57 * 0,43 
Tc = 24,80 minutos 
 
Tc = 0,41 horas 
Drenagem Subterrânea 
Pode ser calculada através da equação: 
 
 K=1,15 r [log(h(1)+r/2)-log(h(2) +r/2)] /[ t(2)-t(1) ] 
 
K = Condutividade Hidráulica; 
r = raio do furo; 
h = nível de água no furo. 
Drenagem Subterrânea 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Figura 1 – Área de estudo e localização dos furos de ensaio e dos poços medidos. 
 
Tempo (min.) Nível d'água Altura d' água (h) hora (h(1)+r/2) Log(h(1)+r/2) K (intervalo 1) 
0 0 100 08:30 104,0 2,0 0,01502 
60 21 79 08:31 83,0 1,9 0,01040 
120 33 67 08:32 71,0 1,9 0,00903 
180 42 58 08:33 62,0 1,8 0,00798 
240 49 51 08:34 55,0 1,7 0,00914 
320 58,2 42 08:35 45,8 1,7 0,00902 
380 64 36 08:36 40,0 1,6 0,00512 
420 66 34 08:37 38,0 1,6 0,00939 
480 71 29 08:38 33,0 1,5 0,00860 
540 75 25 08:40 29,0 1,5 0,01015 
600 79,1 21 08:41 24,9 1,4 0,00245 
660 80 20 08:42 24,0 1,4 0,00889 
720 83 17 08:44 21,0 1,3 
0,00939 
Tabela 1 – Condutividade hidráulica e classificação por 
furo. 
 
Figura 3 – Mapa de condutividade hidráulica da área de estudo em 2D. 
 
Com base na foto responda: 
 
Referência Bibliográficas 
CAUDURO, F. A.; DORFMAN, R.; SANTALÓ, J. B. Manual de ensaios 
de laboratório e de campo para irrigação e drenagem. In Apostila 
Métodos Hidrológicos e Hidrogeológicos de Campo, Mestrado em 
Recursos Hídricos, UFMT, 2011. 
 
TUCCI, C. E. M. (Organizador). Hidrologia – Ciência e Aplicação. 
Editora de Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2002. 
 
Material de Aula da Profª. Etiene Belique Covre.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.