A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
Direito Grego

Pré-visualização | Página 2 de 2

sozinhos, formando uma 
Oligarquia. 
 
• Empobrecimento dos georgois aliado à insatisfação dos 
comerciantes e artesãos ricos e insatisfeitos 
 
 
 
 
• Partido Popular 
 
 
 
• Partido Aristocrático 
 
• A crise era grave porque a aristocracia não tinha mais o 
monopólio de armas. Com a introdução de armas mais 
baratas, os pobres puderam armar-se também, 
participar do exército e, (porque não?), exigir também 
maior participação política. 
 
• No meio desta luta entre os dois partidos, um 
aristocrata, de nome Cílon (623 a.C.), tentou tomar – 
sem sucesso – o poder à força e, como a resposta do 
Partido Popular foi imediata, a oligarquia se viu 
obrigada a lhes oferecer, para acalmá-los, reformas. 
 
• Tais reformas, vieram a partir dos legisladores, sendo o 
primeiro chamado Drácon. 
• Drácon – 621 a.C. 
 
• Eupátrida . 
• Leis. 
• Todo erro era uma ofensa às divindades. 
• Crime religioso. 
• Limitação de acesso à Justiça. 
• Lista dos devedores públicos. 
• Lista dos culpados por delitos. 
• Havia democracia. 
• Órgãos do governo. 
 
• Arcontado – possuía nove membros, que eram 
eleitos pela Assembleia. Administrava a Cidade. 
• Senado – possuía quatrocentos membros, e eram 
os consultores dos arcontes. Eram escolhidos 
pelas tribos e referendados pela Assembleia. 
• Areópago – era composto pelos ex-arcontes, e a 
ele cabia rever as decisões da Assembleia. 
• Assembleia – órgão composto pelos eupátridas. 
• Drácon não resolveu o problema social e nem o 
problema político. 
• Partido Popular exige reformas. 
 
• Sólon – 594 a.C. 
• Aristocrata de nascimento e comerciante de 
profissão. 
• Tomou várias decisões apaziguadoras, trazendo a 
paz e o desenvolvimento à Atenas. 
 
 
PRINCIPAIS MEDIDAS: 
 
• Redivisão dos homens livres, em quatro categorias, 
conforme a renda. 
• Eunomia – igualdade de todos perante a lei. Está em 
todos os artigos que escreveu. Atingiu toda a economia, 
sociedade e política. 
• Regulamentou a cobrança de juros. 
• Redução dos impostos. 
• Boulé, órgão deliberativo e executivo por excelência, 
controlava a organização militar da cidade e as finanças 
do Estado, presenciava as vendas dos bens confiscados, 
vigiava a cobrança dos impostos e determinava as 
despesas em função das receitas existentes etc. 
• Previu o testamento. 
• Determinou que a herança fosse dividida entre todos os 
irmãos, excetuando as filhas. Antes a herança era 
exclusiva dos primogênitos. 
• Proibição de venda das filhas pelo pai. 
• Os pais foram obrigados a ensinar os filhos a ler e 
escrever. 
• Maior acesso à Justiça, tendo em vista que qualquer 
pessoa que se sentisse ofendida poderia queixar-se, e 
com isso, houve maior equilíbrio entre as classes. 
• Incentivo à ida de artesãos estrangeiros para Atenas, 
barateando desse modo, os custos dos produtos e 
tornando-a uma Cidade-Estado exportadora. 
 
 
• Sistema de pesos e medidas único. 
• Concedeu anistia, perdoando os crimes políticos. 
• Decretou a SEISACHTEIA, a qual consistia na 
suspensão dos marcos de hipoteca, devolução das 
terras aos antigos proprietários e proibição da 
escravidão por dívidas. 
• Política – comando dos mais ricos. Sólon pensava 
através da economia. Desse modo, no comando 
efetivo ficaram os mais ricos e abaixo situavam-se 
aqueles que possuíam menos riquezas. 
• Atenas produziu Sócrates, Platão e acolheu Aristóteles. 
• Sócrates é conhecido pelos escritos de seus discípulos 
Platão e Xenofonte. Sócrates foi o pioneiro do que 
atualmente se define como Filosofia Ocidental. 
Nascido em Atenas, por volta de 470 ou 469 a.C. Ele 
desprezava a política e não se adaptava à vida pública, 
embora tenha exercido algumas funções no quadro 
político, inclusive como soldado. Seu método filosófico 
ideal era o diálogo, através do qual ele se comunicava 
da melhor forma possível com seus contemporâneos, 
no esforço de transmitir seus conhecimentos para os 
cidadãos gregos. Foi condenado à morte em 399 a. C. 
pela busca da verdade. 
 
 
• Platão – conclui que a corrupção em Atenas era 
incorrigível. É considerado um dos principais 
pensadores gregos, pois influenciou 
profundamente a filosofia ocidental. Segundo 
Platão, o espírito humano se encontra 
temporariamente aprisionado no corpo material, 
no que ele considera a ‘caverna’ onde o ser se 
isola da verdadeira realidade, vivendo nas 
sombras, à espera de um dia entrar em contato 
concreto com a luz externa. Para ele, tudo nasce, 
se desenvolve e morre. O Homem deve, porém, 
transcender este estado, tornar-se livre do corpo 
e então ser capaz de admirar a esfera inteligível, 
seu objetivo maior.Em 387 a.C, fundou a 
Academia, uma escola de filosofia com o 
propósito de recuperar e desenvolver as ideias e 
pensamentos socráticos. 
• Aristóteles - é considerado um dos principais filósofos 
da Antiguidade, ao lado de Sócrates e Platão. Nasceu 
na Estagira, em Calcídica, situada no litoral norte do 
Mar Egeu, no ano de 384 a.C. Com aproximadamente 
dezesseis ou dezessete anos, ele partiu para o centro 
cultural da Grécia, Atenas, optando pela Academia 
fundada por Platão. 
• Aristóteles é considerado um dos mais fecundos 
pensadores de todos os tempos. Suas investigações 
filosóficas deram origem a diversas áreas do 
conhecimento. Entre outras, podem-se citar a biologia, 
a zoologia, a física, a história natural, a poética, a 
psicologia, sem falar em disciplinas propriamente 
filosóficas como a ética, a teoria política, a estética e a 
metafísica. 
 
• No ano de 343 a.C., Aristóteles é convidado pelo Rei 
Filipe II para exercer o cargo de preceptor do Príncipe 
Alexandre, posto no qual ele permanece até 336 a.C., 
quando o nobre assume o trono. Retornando a Atenas, 
treze anos depois de sua partida, ele inaugura sua 
própria escola, próxima ao templo de Apolo Lício, 
sendo por isso conhecida como Liceu. Ela também era 
apelidada de peripatética, dado ao hábito do filósofo 
de transmitir seus ensinamentos em uma palestra 
ministrada durante tranquilo passeio pelas veredas do 
Ginásio de Apolo. Este estabelecimento de ensino seria 
a real sucessora da Academia platônica.