A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
trabalho

Pré-visualização | Página 1 de 2

8
SUMÁRIO
41.INTRODUÇÃO	
 1.0 Pesquisa sobre os pensadores da psicologia.
	1.1 Resenha sobre o filme Pro dia nascer feliz.
 
2. Pesquisa sobre os pensadores da psicologia	5
3. Resenha sobre o filme Pro dia nascer feliz	6
4.conclusão 	7
 1.0 Pesquisa sobre os pensadores da psicologia.
	 1.1 Resenha sobre o filme Pro dia nascer feliz.
4.referências 	8
� 
�
INTRODUÇÃO
1.0 A educação nos tempos modernos não pode estar presa ao método tradicional onde o professor, trabalha com a transmissão e assimilação de conteúdos, hoje com o surgimento das novas tecnologias, principalmente a internet, a função dos professores se estende mais para o conceito, de se ensinar a como pesquisar, valores e caráter para os alunos, usufruírem dos novos meios de tecnologias e fontes de pesquisas, de forma sadia, mostrando que somos transformadores da sociedades. 
1.1 O documentário dirigido por João Jardim “Pro dia nascer Feliz”, 2006, nos mostra o sistema educacional brasileiro sendo descrito a luz de uma realidade escolar. No documentário podemos visualizar contextos sociais, econômicos e culturais, tudo sob uma perspectiva onde a realidade que constitui a estrutura educacional acaba sendo marcada pelo ponto de vista da instituição, do aluno, do professor e de certa forma, da família. Podemos ainda, entender que a intenção do diretor é o de demonstrar a grande lacuna que se estende entre as escolas públicas e privadas, bem como a relação do jovem estudante com a escola, dando ênfase na desigualdade social e na multiplicação da violência.
.
 
Pesquisa sobre os pensadores da psicologia.
Skinner
 De acordo com as idéias de Skinner (2005), pode-se dizer que aprendizagem é uma mudança na probabilidade da resposta, devendo especificar as condições sob as quais ela acontece. É importante salientar que o mesmo autor garante ainda que a execução de um comportamento é essencial mas não é isso que afirma a existência de uma aprendizagem. Assim, é necessário que se saiba a natureza do comportamento, bem como, entenda-se o seu processo de aquisição. Percebe-se, com isso, que, para este autor, o grande foco dos estudiosos da aprendizagem não devem ser as ações que os indivíduos emitem em si, mas sim as contingências do qual o comportamento é função. Tentando elucidar sua idéia, Skinner (1972, p.4) expõe que “Três são as variáveis que compõem as chamadas contingências de reforço, sob as quais há aprendizagem: (1) a ocasião em que o comportamento ocorre, (2) o próprio comportamento e (3) as conseqüências do comportamento”. Skinner aponta que um dos grandes problemas do ensino atualmente está em criar condições favoráveis para as conseqüências do comportamento. Para que o 18 comportamento seja efetivamente reforçado é importante que a conseqüência esteja associada em um breve tempo com a resposta emitida pelo organismo. Na tentativa de aproximar o aparecimento de um reforçador do comportamento emitido do aluno Skinner criou as máquinas de ensinar. Para ele, essas máquinas deveriam ser colocadas em sala de aula para auxiliar o professor no ensino dos conteúdos. As máquinas são programadas com perguntas de múltipla escolha sobre um determinado assunto, o aluno terá que colocar o botão na casa que corresponde a resposta correta, caso erre, o aluno não consegue passar para a pergunta seguinte. Pode-se acoplar uma luz que acenda toda vez que o estudante apresente a resposta correta. Um fator importante a ser citado sobre a maquina é que, como cada criança teria um aparelho, o ritmo da seqüência de perguntas é controlado por cada aluno (SKINNER, 1972). Para Skinner, o uso das máquinas cessa com o problema da contigüidade do reforço e permite que cada aluno tenha o seu tempo respeitado, podendo cada criança ter um trabalho mais individualizado possível. Este autor expõe também os benefícios que o uso das máquinas trariam ao professor e a forma como deve comportar-se com este novo instrumento em sala de aula. Esta relação do uso de tal instrumento com o professores será descrita no tópico seguinte. A preocupação de Skinner com um trabalho individual que seja coordenado pelo próprio sujeito mostra que, diferentemente do que se divulga em muito materiais didáticos, este autor considera a subjetividade de cada indivíduo. Fica evidenciado, então, que a teoria de Skinner não só aponta para um trabalho individualizado, como também indica formas de fazê-lo.
Piaget 
�
Resenha sobre o filme Pro dia nascer feliz.
É notória a grande diferença social apresentada no documentário, tanto financeira, quanto cultural das escolas e regiões abordadas pelo diretor, entretanto, diante de um olhar mais apurado, percebemos também que os problemas estão presentes em todos os lugares do país, e vão se diferenciar, apenas nos aspectos culturais de uma região à outra. São problemas que certamente iremos encontrar em escolas de periferia do Centro-Oeste, Sul e região Norte do país.
O filme inicia mostrando cenas de 1962, onde o locutor faz a indagação sobre qual seria a melhor educação para os jovens da época! Época marcada por aglomerações de jovens revoltados e incorporados a um vandalismo desenfreado, onde muitos acabam passando por um ciclo em que, poucos conseguem o diploma do 2° grau e menos ainda, poucos conseguem a oportunidade de ingressarem em uma universidade.
  Manari – Pernambuco – Escola Dias Lima.
A escola em Pernambuco apresentada no documentário, vem nos mostrar algo por demasiado assustador. Embora muitos possam esperar tal coisa por se tratar de uma região menos favorecida, é lamentável o que acontece!  Um nível de educação de baixa qualidade, onde até os recursos didáticos são inexistentes. Podemos perceber um corpo docente sem uma formação adequada ou uma especialização que dê um suporte ao educador. Há uma carência muito grande de necessidades básicas, do tipo, a falta de estrutura, tanto das salas de aula como dos banheiros, totalmente inadequados para utilização. Há uma adolescente na ocasião que fala a respeito dessa precariedade, dizendo que não havia descarga no vaso, tampouco papel higiênico.
A realidade é exatamente a que escutamos no início, onde um servidor dizia que o pouco de verba que a escola ainda recebia para manutenção, a maior parte acabava indo para pagamentos de contador, para a própria prefeitura, IPTU, bem, impostos e mais impostos. Enfim, não sobrava praticamente nada para o investimento das escolas.
Vimos então, que a partir daí começa certo desinteresse dos estudantes em relação aos estudos, da mesma forma também, os professores em dar aulas. É difícil comentar um trecho em que Valéria diz que seus trabalhos não eram valorizados, pois os professores, com pouco conhecimento, simplesmente não acreditavam que era ela a autora de tais atividades. Isso mostra que há um claro despreparo em certas escolas, onde encontramos alunos que têm um alto padrão crítico e com muita sede de conhecimento!
  Duque de Caxias – Rio de Janeiro – Colégio Estadual Guadalajara.
O documentário retrata a realidade dessa escola em uma perspectiva bem crítica. É interessante acompanhar a trajetória do aluno Deivison Douglas e de como o conselho escolar se posicionou a respeito do aluno. Isso traz a tona uma questão de importância relevante, haja vista ser o assunto palco de muitas discussões, debates e até conferências.
Órgãos competentes recomendam que o aluno não seja reprovado, pelo menos nos três primeiros anos do ensino fundamental, avaliam a questão e como fica? O desafio então seria fazer com que os alunos aprendam. Voltando ao tal conselho de classe, percebia-se uma dúvida muito grande, onde a solução era reprovar Douglas e transformá-lo em um “monstro”, ou aprová-lo através de uma recuperação, dando assim, a motivação necessária para que a mudança fosse algo real em sua vida!
Apesar do relato