A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
TGP  - 1 A 16 AULA - 4º SEMESTRE ATUALIZADO NOVO CPC 2015

Pré-visualização | Página 4 de 4

DE SÃO PAULO 
AV. MORUMBI, 8.724 – BROOKLIN. CEP: 04703002 
jonasfs.juridico@gmail.com 
TGP NOVO CPC 2015 
 
Página 9 de 11 
 
2ª Questão. Em ação de conhecimento, pelo procedimento comum, fundada em dispositivo 
contratual, o autor pede o cumprimento de obrigação de fazer pactuada e descumprida 
voluntariamente pelo contratado, ora réu. O réu, na contestação, alega incompetência 
absoluta do juízo e requer seja avaliada a nulidade da mesma cláusula contratual sobre a qual 
se funda a pretensão do autor. Nesse contexto, identifique, pela ordem, as seguintes questões 
suscitadas: I) incompetência; II) nulidade da cláusula; e III) cumprimento da obrigação de 
fazer: 
a) preliminar, prejudicial e principal; 
b) prejudicial, preliminar e principal; 
c) principal, preliminar e prejudicial; 
d) principal, prejudicial e preliminar; 
e) preliminar, principal e prejudicial. 
 
Aula 14 
1ª Questão. O que é desconsideração inversa da personalidade jurídica? 
RESPOSTA: o que nada mais é do que a utilização dos bens da pessoa jurídica para o 
pagamento de obrigações contraídas por seus sócios, e, para isso, existe a quebra da 
autonomia patrimonial. A conveniência do instituto surge se o devedor esvazia o seu 
patrimônio, transferindo os seus bens para a titularidade da pessoa jurídica da qual é sócio. 
 
2ª Questão. Dentre os poderes / deveres do magistrado assegurados no art. 139 do NCPC, 
assinale a única alternativa incorreta: 
f) determinar todas as medidas indutivas, coercitivas, mandamentais ou sub-rogatórias 
necessárias para assegurar o cumprimento de ordem judicial, inclusive nas ações que 
tenham por objeto prestação pecuniária; C 
g) promover, a qualquer tempo, a autocomposição, preferencialmente com auxílio de 
conciliadores e mediadores judiciais; C 
h) dilatar os prazos processuais e alterar a ordem de produção dos meios de prova, 
adequando-os às necessidades do conflito de modo a conferir maior efetividade à tutela 
do direito; C 
i) determinar o suprimento de pressupostos processuais e o saneamento de outros vícios 
processuais; C 
j) proibir uma das partes de se manifestar nos autos caso pratique ato incompatível com 
a logística da boa fé e da colaboração, princípios insculpidos nos arts. 5° e 6° do NCPC. 
 
 
 
CASOS CONCRETOS 1 - 16 RESOLVIDOS 
4º SEMESTRE 
 
TGP – NOVO CPC - 2.2015 
 
 
 
CENTRO UNIVERSITARIO ESTACIO UNIRADIAL DE SÃO PAULO 
AV. MORUMBI, 8.724 – BROOKLIN. CEP: 04703002 
jonasfs.juridico@gmail.com 
TGP NOVO CPC 2015 
 
Página 10 de 11 
 
Aula 15 
1ª Questão. Em que consiste a figura do amicus curiae e, de acordo com o art. 138 do NCPC, 
em que hipóteses pode ser autorizada a sua intervenção? 
RESPOSTA: Amicus curiae é alguém que, mesmo sem ser parte, em razão de sua 
representatividade, é chamado ou se oferece para intervir em processo relevante com o 
objetivo de apresentar ao Tribunal a sua opinião sobre o debate que está sendo travado nos 
autos, fazendo com que a discussão seja amplificada e o órgão julgador possa ter mais 
elementos para decidir de forma legítima. É uma forma de intervenção anômala de terceiros. 
O amicus curiae pode ser convocado, de ofício, pelo Tribunal, ou, então, pleitear sua 
participação no processo. 
ATENÇÃO: Não se admite intervenção de terceiros: 
A. Juizados Especiais (por força do art. 10, Lei 9.099/95); 
B. ADI e ADC (arts. 7º e 18, Lei 9.868/99). 
 
2ª Questão. A regra do art. 1.005 do NCPC se aplica, apenas, ao litisconsórcio: 
a) voluntário; 
b) necessário; 
c) simples; (Art 509 CPC) 
d) unitário. 
 
Aula 16 
1ª Questão. Eduardo promove em face da Fazenda Pública Estadual ação visando a 
condenação do réu a fornecer remédios para tratamento de doença (AIDS). Na inicial postula, 
ainda, a concessão de tutela antecipada, diante do risco de dano irreparável. O juiz, ao 
examinar inicial concede a tutela reclamada, que foi objeto de recurso por parte do réu. 
Indaga-se: 
 
a) É admissível a concessão de tutela antecipada em face da Fazenda Pública Estadual? 
Justifique. 
RESPOSTA: Sim, a priori é preciso estabelecer que para incidir sobre as tutelas antecipadas 
concedidas em desfavor da Fazenda Pública nos casos em que estiverem presentes os 
requisitos legais autorizadores da antecipação (Art. 273 do Código de Processo Civil) e, não 
exista expressa vedação legal (Lei 9.494/97) para sua concessão. 
 
 
 
CASOS CONCRETOS 1 - 16 RESOLVIDOS 
4º SEMESTRE 
 
TGP – NOVO CPC - 2.2015 
 
 
 
CENTRO UNIVERSITARIO ESTACIO UNIRADIAL DE SÃO PAULO 
AV. MORUMBI, 8.724 – BROOKLIN. CEP: 04703002 
jonasfs.juridico@gmail.com 
TGP NOVO CPC 2015 
 
Página 11 de 11 
 
b) Como se comporta a jurisprudência do STJ sobre a possibilidade ou não de concessão de 
tutela antecipada em face do Estado? 
RESPOSTA: A jurisprudência já se manifestou positivamente na possibilidade de antecipação 
de tutela antecipada sem que haja ofensa ao princípio do contraditório, conforme ementa do 
Tribunal de Justiça do Estado do Paraná infra: 
Tutela antecipada – Provimento ante a presença dos requisitos exigidos no art.273 do Código 
de Processo Civil – Concessão liminar sem oitiva da parte contrária – Possibilidade – Faculdade 
reservada ao julgador – Possibilidade, na espécie, frente ao iminente risco de frustração do 
objetivo visado na medida – Inexistência de afronta ap princípio do contraditório. 
**Necessário lembrar que a antecipação da tutela sem a oitiva da parte contrária é possível 
apenas em casos excepcionais, como bem ensina José Roberto dos Santos Bedaque, “embora 
admissível a antecipação antes de o réu integrar o contraditório, tal solução mostra-se 
absolutamente excepcional, pois o juiz terá, como elementos de informação, apenas a visão 
unilateral do fenômeno apresentada pelo autor.” 
 
2ª Questão. Considerar as seguintes afirmações, indicando, adiante, a alternativa correta: 
I - O instituto da antecipação da tutela não se aplica às causas em que for ré a Fazenda Pública. 
II - Segundo a disciplina legal do instituto da antecipação de tutela, é vedada a concessão de 
medidas liminares satisfativas, ou seja, que importem, de algum modo, a fruição do direito 
material pleiteado pelo autor. 
III - Em se tratando de obrigação de fazer ou não fazer, e estando configurados os requisitos da 
relevância do direito e do fundado receio de ineficácia do provimento final, é cabível medida 
cautelar inominada para impor ao demandado o cumprimento do ato ou da omissão a que 
está obrigado. 
a) As três afirmações estão inteiramente corretas. 
b) Apenas as afirmações I e II estão inteiramente corretas. 
c) Apenas as afirmações II e III estão inteiramente corretas. 
d) Nenhuma das afirmações está inteiramente correta.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.