A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
130 pág.
Apostila - Resumo

Pré-visualização | Página 8 de 39

19
COMPORTAMENTO HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES
Re
vi
sã
o:
 E
la
in
e 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: L
éo
 -
 0
2/
02
/2
01
1
Sistemas de comportamentos negativos e positivos
Sistema negativo (NÃO OK) Sistema positivo (OK)
PAI CRÍTICO – ( - )
Agressor, autoritário, preconceituoso, desvalorizador 
PAI CRÍTICO – (+)
Firme, sério, justo, correto, ordenador.
PAI PROTETOR – ( - )
Superprotetor, sentimental, impede o desenvolvimento dos outros.
PAI PROTETOR – ( + )
Afetuoso, nutritivo. Permite viver e desfrutar.
ADULTO – ( - )
Não informado ou mal-informado, frio, calculista, impessoal. 
Robotizado.
ADULTO – ( + )
Ético, informado, responsável, autônomo.
CRIANÇA NATURAL ( - )
Egoísta, cruel, brutal, manipuladora. 
CRIANÇA NATURAL ( + )
Alegre, afetuoso, emoções autênticas, criativo, curioso, intuitivo.
CRIANÇA ADAPTADA SUBMISSA ( - )
Desvalorizado, temeroso, ansioso.
CRIANÇA ADAPTADA SUBMISSA (+)
Disciplinado.
CRIANÇA ADAPTADA REBELDE ( - )
Agressivo, rancoroso, desafiante.
CRIANÇA ADAPTADA REBELDE ( + )
Contesta injustiças e arbitrariedades.
Fonte: KERTÉSZ, Roberto. Análise transacional ao vivo. São Paulo: Summus, 1987.
2.3.1.4 Momento de autoconhecimento
O exercício a seguir foi utilizado em treinamento 
realizado pelo IDORT para lideranças, da Secretaria Estadual 
da Educação do Estado de São Paulo no ano de 2005, e tem 
como objetivo levá-lo (a) a conhecer qual o seu estado de 
ego predominante.
EXERCÍCIO
Dentre os itens abaixo, escolha nove que mais se aproximam de sua maneira de ser, sentir ou atuar, 
colocando um círculo ao redor do número correspondente.
1 Gosto de cumprir com os compromissos.
2 Faço aquilo que tenho vontade de fazer.
3 Procuro impor minhas opiniões.
4 Conheço meu campo de trabalho.
5 Não tenho inibições para dizer o que penso.
6 Mantenho meu sangue frio em qualquer situação.
7 Procuro sempre instituir ou fazer cumprir as regras.
8 Dou muitos conselhos.
9 Procuro obter o maior número de informações possível antes de tirar conclusões.
Que tal você se conhecer um 
pouquinho.
Vamos praticar?
20
Unidade I
Re
vi
sã
o:
 E
la
in
e 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: L
éo
 -
 0
2/
02
/2
01
1
10 Gosto de propor inovações.
11 Utilizo o meu tempo de forma eficaz.
12 Confio mais na intuição do que no raciocínio.
13 Procuro sempre a aprovação das pessoas à minha volta.
14 Me expresso de acordo com as situações.
15 Não admito contradições com facilidade.
16 Ser útil é bom.
17 Aceito mal a autoridade.
18 Em geral concordo com aquele que fala por último.
19 Encarrego-me sempre da acolhida e da formação dos novatos.
20 Preparo e planejo trabalhos futuros.
21 Evito temas de conversas pessoais.
22 Sei tomar decisões.
23 Estímulo e aumento o moral das pessoas à minha volta.
24 Não escondo meus ressentimentos.
25 Observo e escuto as pessoas.
26 Evito tomar decisões.
27 Frequentemente faço comentários sobre o trabalho dos outros.
28 Considero a intuição.
29 Não sei recusar pedidos de meus superiores.
30 Os outros podem contar comigo.
I (Pai) II (Adulto) III (Criança)
1 4 2
3 6 5
7 9 10
8 11 12
15 14 13
16 20 17
19 21 18
23 22 24
27 25 26
30 28 29
21
COMPORTAMENTO HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES
Re
vi
sã
o:
 E
la
in
e 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: L
éo
 -
 0
2/
02
/2
01
1
Pontuação do exercício
Para tabular seu exercício marque na tabela anterior os 9 números circulados no exercício. Na última 
coluna some a quantidade de círculos assinalados. A soma das três colunas deve ser igual a 9 (nove).
A primeira coluna se refere ao estado de Ego Pai, a segunda ao Estado de Ego Adulto e a terceira ao 
estado de Ego Criança. Identifique em qual coluna você apresentou maior pontuação. Este é seu estado 
de ego predominante. Se der 3 em cada coluna, não se espante. Está tudo bem.
Você só deve avaliar: se deu pouco o estado de Ego Criança, pode ser um sinal de que está vivendo 
pouco suas emoções, se deu muito Adulto, pode estar muito racional. Volte aos conceitos e interprete o 
seu resultado. Volte às afirmativas e veja se você está mais para o OK ou o Não OK. O ideal é trazermos 
para o OK.
2.3.2 As transações entre as pessoas
A AT permite que a pessoa identifique padrões de transações entre si mesmas e os outros. Pode ajudar 
a determinar qual o estado de ego que está influenciando mais fortemente o nosso comportamento e o 
comportamento da pessoa com a qual interagimos. Existem dois tipos de transações:
• Aberta – (Complementar)
O Estado de Ego endereçado é aquele que responde. A resposta ao estímulo é aquela esperada ou 
prevista. Quando isso ocorre, a comunicação pode continuar.
Exemplos de transações abertas OK - Criança Natural para Criança Natural; Pai Protetor para Criança 
Natural; Adulto para Adulto.
Exemplos de transações abertas não OK – Pai Crítico para Criança Rebelde ou Criança Submissa.
• Bloqueada – (Cruzada)
É aquela que resulta na interrupção, pelo menos temporária, da comunicação. A resposta não é 
apropriada ou esperada. Alguém responde com um Estado de Ego diferente daquele com que a outra 
pessoa estava se dirigindo a ela. Ex. Que horas são? Resposta: Pare de fazer tanta pergunta. Estado de 
Ego nesta situação: Adulto – Pai Crítico.
2.3.3 Posições existenciais
Segundo a AT, desde muito pequena a criança forma um conceito a respeito de si mesma. Este 
conceito será bom ou mal, dependendo de como a criança é tratada na família.
Este conceito pode ser elaborado com pensamentos: pensar mal ou bem de si mesmo, ou com 
imagens: ver-se bem ou mal. Em geral, esse processo se torna consciente entre os 3 e os 6 anos. É uma 
22
Unidade I
Re
vi
sã
o:
 E
la
in
e 
- 
Di
ag
ra
m
aç
ão
: L
éo
 -
 0
2/
02
/2
01
1
tomada de posição sobre a própria pessoa e os outros. Berne chamou-a de Posição Existencial.
Posição existencial é a forma como percebemos a nós mesmos em relação às outras pessoas. Estas 
posições são descritas em termos de estar bem ou não estar bem. Berne estabeleceu quatro posições 
existenciais:
1 Nenhuma pessoa tem valor (“Eu não sou OK e você não é OK”).
2 Você tem valor, mas eu não tenho valor (“Eu não sou OK, você é OK”).
3 Eu tenho valor e você não tem valor (“Eu sou OK , você não é OK”).
4 Ambos temos valor (“Eu sou OK e você é OK”).
Para Berne, segundo Kertész (1987), é a partir da minha posição existencial que me relaciono com o 
outro. A análise transacional também trabalha com as formas de conduta que adquirimos na infância, 
as quais ele chama de impulsores.
2.3.4 Impulsores ou vírus do comportamento
De acordo com Kertész (1987), impulsores são formas de conduta que adquirimos na infância, por 
intermédio de nossos pais ou substitutos, verbais e não verbais, e que forma o argumento de vida ou 
nosso script.
As interações que fazemos com nossos pais ou autoridades nos levam a formular nossas posições 
existenciais e a desempenhar jogos psicológicos. As mensagens que formam o argumento de vida podem 
ser classificadas em cinco categorias:
• Seja forte
• Seja perfeito
• Seja esforçado
• Seja apressado
• Agrade sempre
Seja forte – As pessoas que têm esse argumento de vida não demonstram suas emoções autênticas 
e, caso necessitem de ajuda, nunca pedem. Provavelmente, quando crianças, toda vez que demonstravam 
emoções recebiam ameaças dos pais ou ainda os pais eram pessoas que não demonstravam emoções.
Seja perfeito – As pessoas se esforçam para alcançar a perfeição e sempre estão pensando que não 
fazem as coisas suficientemente bem. Provavelmente, devem ter recebido mensagens do tipo: “tudo o 
23
COMPORTAMENTO HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES
Re
vi
sã
o:

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.