FISICA UNB
5 pág.

FISICA UNB


DisciplinaFísica Experimental I4.865 materiais30.630 seguidores
Pré-visualização1 página
Universidade de Brasília 
Campus-Darcy Ribeiro
Relatório VI: Umidade do Ar
  
  
  
Disciplina: Física Experimental Para Ciências Agrárias  
Professora: Mônica Wolf Cadilhe Grupo 14:   
Ana Carolyna-15/0116721  
Hércules Guimarães \u2013 15/0129335  
Igor Almeida \u2013 15/0129891  
Isabella Pereira \u2013 15/0130716  
Jeremias Almeida \u2013 15/0131518  
    
  
Brasília \u2013 DF  
19 de outubro de 2015  
Introdução
O vapor de água existente na atmosfera exerce uma pressão, denominada pressão parcial de vapor de água pv, que é proporcional à massa de vapor de água existente (pressão do vapor de água). Quando o espaço acima da superfície da água se torna saturado é chamada de pressão do vapor. Ponto de orvalho é a temperatura para a qual a pressão parcial de vapor de água se torna igual à pressão de vapor saturado. A umidade do ar diz respeito à quantidade de vapor de água presente na atmosfera  o que caracteriza se o ar é seco ou úmido e varia de um dia para o outro. A alta quantidade de vapor de água na atmosfera favorece a ocorrência de chuvas. Já com a umidade do ar baixa, é difícil chover. Umidade relativa do ar é a relação entre a quantidade de água existente no ar (umidade absoluta) e a quantidade máxima que poderia haver na mesma temperatura (ponto de saturação). Ela é um dos indicadores usados na meteorologia para saber como o tempo se comportar. A umidade relativa é definida como a razão entre a pressão parcial de vapor de água existente na atmosfera e a pressão de vapor saturado da água, à temperatura ambiente.
OBJETIVO
Este trabalho tem como objetivo verificar experimentalmente e calcular a umidade relativa do ar a partir da pressão do vapor em função da temperatura.
MATERIAIS  
Água
Recipiente Metálico
Termômetro
PROCEDIMENTO
1)Foi medido a temperatura ambiente e obteve-se a pressão de vapor tabelado no roteiro.
2) Foi colocado cerca de ¼ de água à temperatura ambiente dentro do recipiente metálico. E adicionado água gelada, até atingir o \u201cponto de condensação\u201d. 
PARTE EXPERIMENTAL
Temperatura ambiente: 29,5°C 
Temperatura da água: 28,5°C
Temperatura de condensação: 14°
Tabela de Pressão do Vapor de Água
	t(°C)
	0
	1
	2
	3
	4
	5
	6
	7
	8
	9
	0
	
	4,9
	5,3
	5,7
	6,1
	6,5
	7,0
	7,5
	8,0
	8,6
	10
	9,2
	9,8
	10,5
	11,2
	12
	12,8
	13,6
	14,5
	15,5
	16,2
	20
	17,5
	18,7
	19,8
	21,1
	22,4
	23,8
	25,2
	26,7
	28,4
	30,1
	30
	31,8
	33,7
	35,7
	37,7
	39,9
	42,2
	44,6
	
	
	
Definição Umidade Relativa do Ar (UR)
Foi feito o cálculo que é a razão entre Pp e Pv. Onde Pp é a pressão parcial do vapor que a água exerce e Pv é a pressão do vapor da água.
UR = Pp/Pv
UR=12/30,1= 0,4 
Umidade Relativa do Ar nessa parte experimental foi igual a 40%
A temperatura abaixa e com isso a pressão do vapor também, condensando o recipiente do metal.
Conclusão
Com o auxílio da tabela determinamos a pressão de vapor que é igual à pressão parcial de vapor no ambiente do ar fazendo a razão entre as pressões obtidas. O curioso é que mesmo quando a temperatura está baixa (mais ou menos 24ºC), se a umidade relativa do ar for muito alta, você sente calor do mesmo jeito, porque o suor evapora de sua pele com mais dificuldade o que faz com que a sensação térmica seja mais alta. Da mesma forma, se estiver muito quente e a umidade relativa do ar muito baixa, você conseguirá suportar até 37ºC sem passar mal porque seu suor evaporará mais rápido resfriando seu corpo.
Referências Bibliográficas
 Texto de Apoio disponibilizado pela professora Mônica Wolf Cadilhe:
https://ifserv.fis.unb.br/moodle/pluginfile.php/98761/mod_resource/content/1/roteiro-umidade_relativa.pdf
file:///C:/Users/win7/Downloads/E6%20-%20Notas%20de%20aula%20(1).pdf
<http://www.cpa.unicamp.br>Acessado dia 17/11/2015
<http://www.if.ufrgs.br/cref/?area=questions&id=711>Acessado dia 17/11/2015