E-book STF Teses e Fundamentos separados por matéria (2014)
562 pág.

E-book STF Teses e Fundamentos separados por matéria (2014)


DisciplinaStf174 materiais413 seguidores
Pré-visualização50 páginas
nos lucros ............................................ 565
 IRPF e valores recebidos acumuladamente ..............................................................566
 Seguro DPVAT e Leis 11.482/2007 e 11.945/2009 .....................................................567
 ICMS e redução da base de cálculo ............................................................................569
 PSV: art. 1º do Decreto-Lei 491/1969 e ADCT ..........................................................571
 Incidência da Cofins sobre o ICMS ............................................................................572
 Leasing e incidência de ICMS .....................................................................................573
 IR de pessoa jurídica: fato gerador ............................................................................ 574
 Protocolo/Confaz 21/2011: ICMS e operação interestadual não presencial ............ 576
 ICMS e leasing internacional ......................................................................................579
 Correção monetária de demonstrações financeiras .................................................580
 IR: nova hipótese de incidência e irretroatividade tributária .................................. 581
 Contribuição sobre serviços prestados por cooperados por 
intermédio de cooperativas .......................................................................................582
 Contribuição sindical e fiscalização do TCU ............................................................583
 ICMS e habilitação de celular ....................................................................................584
Siglas e abreviaturas
ADCT Ato das Disposições Constitucionais Transitórias
CC Código Civil
CLT Consolidação das Leis do Trabalho
CNJ Conselho Nacional de Justiça
CNMP Conselho Nacional do Ministério Público
Cofins Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social
CP Código Penal
CPC Código de Processo Civil
CPI Comissão Parlamentar de Inquérito
CPM Código Penal Militar
CPP Código de Processo Penal
CSLL Contribuição Social sobre o Lucro Líquido
CTN Código Tributário Nacional
DJ Diário da Justiça
DJE Diário da Justiça Eletrônico
DOU Diário Oficial da União
DPVAT Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre
EC Emenda Constitucional
ECA Estatuto da Criança e do Adolescente
ICMS Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços
INSS Instituto Nacional do Seguro Social
IPI Imposto sobre Produtos Industrializados
IPVA Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores
IRPF Imposto sobre a Renda de Pessoa Física
LCP Lei de Contravenções Penais
MP Medida Provisória
Pasep Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público
PIS Programa de Integração Social
rel. min. relator o ministro
rel. orig. relator originário
rel. p/ o ac. relator para o acórdão
RICNJ Regimento Interno do Conselho Nacional de Justiça 
RISTF Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal
SUS Sistema Único de Saúde
Siglas de classes e incidentes processuais
2ºJulg Segundo Julgamento
AC Ação Cautelar
ACO Ação Cível Originária
ADC Ação Declaratória de Constitucionalidade
ADI Ação Direta de Inconstitucionalidade
ADPF Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental
AgR Agravo Regimental
AI Agravo de Instrumento
AO Ação Originária
AP Ação Penal
AR Ação Rescisória
ARE Recurso Extraordinário com Agravo
CC Conflito de Competência
ED Embargos de Declaração
EDv Embargos de Divergência
EI Embargos Infringentes
EP Execução Penal
Ext Extradição
Extn Extensão
HC Habeas Corpus
Inq Inquérito
MC Medida Cautelar
MI Mandado de Injunção
MS Mandado de Segurança
Pet Petição
PPE Prisão Preventiva para Extradição
ProgReg Progressão de Regime
PSV Proposta de Súmula Vinculante
QO Questão de Ordem
Rcl Reclamação
RE Recurso Extraordinário
REF Referendo
REsp Recurso Especial
RG Repercussão Geral
RHC Recurso em Habeas Corpus
RMS Recurso em Mandado de Segurança
Rp Representação
RvC Revisão Criminal
SL Suspensão de Liminar
TrabExt Trabalho Externo
D
IR
EI
A
D
M
D
IR
EI
T
O
 
A
D
M
IN
IS
T
R
AT
IV
O
AGENTES PÚBLICOS
DIREITO ADMINISTRATIVO
direito administrativo - agentes públicos
33
Procuradores federais e férias 
Os procuradores federais têm direito a férias de trinta dias (Lei 9.527/1997, 
art. 5º) e não de sessenta dias.
O art. 1º da Lei 2.123/1953 \u2013 que garante aos procuradores das autarquias fe- 
derais as mesmas prerrogativas dos membros do Ministério Público da União \u2013 
e o art.  17, parágrafo único, da Lei 4.069/1962 \u2013 que fixa vencimentos, gratifi-
cações e vantagens aos demais membros do serviço jurídico da União \u2013 foram 
recepcionados pela nova ordem constitucional com status de lei ordinária e não 
com natureza complementar. Por essa razão, foram posteriormente revogados 
pelo art. 18 da Lei 9.527/1997.
A controvérsia envolve a interpretação do art. 131, caput, da Constituição Federal1 e 
sua aplicação aos procuradores federais. O dispositivo não trata da Procuradoria-Geral 
Federal ou dos procuradores federais. Em outras palavras, esse preceito não disciplina a 
representação judicial e extrajudicial das autarquias e fundações públicas (Administra-
ção Indireta), mas apenas da União (Administração Direta). O § 3º2 do artigo refere-se 
à Advocacia-Geral da União e à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. 
Segundo a evolução legislativa da matéria, até o advento da Medida Provisória 
2.229-43/2001, não havia a carreira de procurador federal, e sim cargos diversos cujos 
titulares eram responsáveis pela representação judicial, consultoria e assessoria jurídi-
ca das autarquias e fundações públicas federais. A esses cargos se referiam o art. 1º da 
Lei 2.123/1953 e o art. 17, parágrafo único, da Lei 4.069/1962. A Procuradoria-Geral 
Federal foi criada posteriormente, com a Lei 10.480/2002. 
Assim, à representação judicial e extrajudicial das autarquias e fundações públicas 
federais não se aplica o art. 131 da Constituição Federal, pelo que a Lei Complemen-
tar 73/1993 (Lei Orgânica da Advocacia-Geral da União) limita-se a dispor, em seu 
art. 17, que os órgãos jurídicos das autarquias e das fundações públicas são vinculados 
à Advocacia-Geral da União. 
Portanto, é juridicamente inadequado manter a equiparação dos procuradores au-
tárquicos (hoje procuradores federais) aos membros do Ministério Público Federal. 
Aqueles perderam, desde a vigente Constituição, a função de representantes jurídi-
direito administrativo - agentes públicos
34
cos da União, transferida para a Advocacia-Geral da União, nos termos do art. 131 da 
Constituição Federal.
RE 602.381/AL, rel. min. Cármen Lúcia, julgado em 20-11-2014, acórdão publica-
do no DJE de 4-2-2015. 
(Informativo 768, Plenário, Repercussão Geral)
 \u201cArt. 131. A Advocacia-Geral da União é a instituição que, diretamente ou através de órgão vincula-
do, representa a União, judicial e extrajudicialmente, cabendo-lhe, nos termos da lei complementar 
que dispuser sobre sua organização e funcionamento, as atividades de consultoria e assessoramento 
jurídico do Poder Executivo.\u201d
 \u201cArt. 131. (...) § 3º Na execução da dívida ativa de natureza tributária, a representação da União cabe 
à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, observado o disposto em lei.\u201d
direito administrativo - agentes públicos
35
Art. 84, § 2º, da Lei 8.112/1990: licença para acompanhar cônjuge e 
provimento originário
A licença para acompanhamento de cônjuge ou companheiro de que trata 
o § 2º1 do art. 84 da Lei 8.112/1990 não se aplica em casos de provimento 
originário de cargo público.
Os institutos da remoção e do exercício provisório, ambos para acompanhamen-
to de cônjuge ou companheiro, estão intimamente ligados à quebra da unidade 
familiar gerada pela