APOSTILA DE ESTATÍSTICA EXPERIMENTAL UFRRJ PROF JANGARELLI
73 pág.

APOSTILA DE ESTATÍSTICA EXPERIMENTAL UFRRJ PROF JANGARELLI


DisciplinaEstatística I28.949 materiais135.926 seguidores
Pré-visualização15 páginas
de citrato no fígado foram tomadas amostras de sangue 
da veia hepática de 10 indivíduos normais e amostra de sangue arterial de outros 10 
indivíduos normais, obtendo-se as seguintes determinações de citrato em cada amostra (em 
mg/ml): 
Veia Hepática 20,2 24,6 18,3 19,0 29,5 12,6 18,2 30,8 22,2 25,4 
Sangue Arterial 26,4 32,2 37,8 25,0 28,4 26,2 31,3 35,0 29,7 27,4 
IC283 \u2013 Bioestatística e IC284 \u2013 Estatística Experimental 
Professor Marcelo Jangarelli \u2013 DEMAT \u2013 ICE - UFRRJ 
 50 
 
 Verificar se existe diferença significativa entre o conteúdo médio de citrato do sangue 
arterial e da veia hepática, adotando \u3b1 = 1%. 
 
 
6 \u2013 Modificações foram implementadas na linha de produção de determinado artigo, utilizado 
em motores agrícolas, com o objetivo de reduzir a porcentagem de peças defeituosas 
produzidas nas diversas máquinas da linha. Considerando os dados abaixo e \u3b1 = 1%, testar a 
hipótese H0 e concluir: 
 
Máquina 1 2 3 4 5 6 7 8 
% defeito antes (X) 3,8 4,2 2,3 3,3 3,4 3,1 3,0 2,5 
% defeito após (Y) 2,5 4,2 2,5 2,2 2,0 1,8 2,0 2,0 
 
 
7 \u2013 Um nutricionista, desejando comparar dois produtos com relação ao teor de Vitamina C, 
retira 10 amostras de cada produto e obtém os teores listados abaixo: 
 
Produto Teores de Vitamina C (mg) 
A 20,2 25,3 21,3 27,0 22,0 26,0 20,0 21,2 23,1 29,3 
B 27,3 28,4 29,5 27,0 28,0 29,8 30,1 30,5 28,5 29,1 
 
 Testar H0 e concluir para \u3b1 = 5%. 
 
 
8 \u2013 Os dados abaixo referem aos pesos, em gramas, de ratos machos da raça Wistar com 15 
dias de idade, segundo a condição normal e submetidos à extirpação do timo aos 4 dias de 
idade. Verificar se a timectomização piora o ganho de peso destes animais, usando \u3b1 = 5%. 
 
Condição Normal 40,3 40,0 39,6 35,2 32,0 
Timectomizado 18,6 20,3 23,6 22,2 20,9 
 
 
9 \u2013 Para verificar o efeito da suplementação de alfafa no ganho de peso (kg), considerou-se 8 
pares de coelhos, cujos resultados são dados a seguir: 
 
Sem Suplementação 0,32 0,49 0,51 0,45 0,70 0,52 0,35 0,60 
Com Suplementação 0,72 0,90 0,67 0,83 0,67 0,93 0,80 0,75 
 
 Há evidência que a suplementação aumenta o desempenho, considerando \u3b1 = 5%? 
 
 
10 \u2013 Para verificar o efeito da suplementação de alfafa no ganho de peso (kg), considerou-se 8 
coelhos, cujos resultados são dados a seguir: 
 
Sem Suplementação 0,32 0,49 0,51 0,45 0,70 0,52 0,35 0,60 
Com Suplementação 0,72 0,90 0,67 0,83 0,67 0,93 0,80 0,75 
 
 Há evidência que a suplementação aumenta o desempenho, considerando \u3b1 = 5%? 
 
 
IC283 \u2013 Bioestatística e IC284 \u2013 Estatística Experimental 
Professor Marcelo Jangarelli \u2013 DEMAT \u2013 ICE - UFRRJ 
 51 
 
CONTEÚDO IV \u2013 Delineamentos Experimentais e Teste de Comparação de Médias 
 
1 \u2013 Para comparar a produtividade de quatro variedades de milho, tomou-se 20 parcelas 
similares e distribuiu, inteiramente ao acaso, cada uma das quatro variedades em cinco 
parcelas experimentais. A partir dos dados fornecidos abaixo, é possível concluir que existe 
diferença significativa entre as variedades com relação à produtividade, utilizando o nível de 
5% de significância. 
 Variedades 
 A B C D 
 25 31 22 33 
 26 25 26 29 
 20 28 28 31 
 23 27 25 34 
 21 24 29 28 
Totais 115 135 130 155 
 
 
2 \u2013 Um treinador de corrida rústica, objetivando melhorar o desempenho de seus atletas, 
testou três novas técnicas de preparação. Para tanto trabalhou com um grupo de 15 atletas 
completamente homogêneos para características essenciais. A designação das técnicas de 
preparação aos atletas foi feita totalmente ao acaso, de tal forma que o número de atletas 
avaliados em cada uma das técnicas fosse o mesmo. Os resultados obtidos, após determinado 
período de tempo de aprendizado das técnicas pelos atletas, foram os seguintes: 
 
 Técnicas de Preparação 
Repetições 1 2 3 
1 130 125 127 
2 129 131 129 
3 128 130 131 
4 126 129 128 
5 130 127 130 
Totais 643 642 645 
 
 De acordo com os resultados, pede-se: 
 
a) Quais foram os princípios básicos da experimentação utilizados pelo pesquisador neste 
experimento? 
b) Qual/quem foi a unidade experimental utilizada nesta pesquisa? 
c) É possível concluir que exista diferença entre as técnicas de preparação? (\u3b1 = 1%) 
d) Qual seria a técnica a ser recomendada? 
 
 
3 \u2013 Com o objetivo de diminuir o consumo dos motores à gasolina, determinada indústria 
petroquímica testou quatro novas formulações de gasolina, as quais se diferenciavam pelo 
tipo de aditivo que era acrescentado à mesma durante o seu processo de fabricação. Para 
efetuar o teste, a indústria petroquímica utilizou carros completamente homogêneos para 
todas as características. A designação das formulações aos carros foi feita inteiramente ao 
acaso. Após os testes de rodagem, os resultados obtidos foram (km/l): 
 
IC283 \u2013 Bioestatística e IC284 \u2013 Estatística Experimental 
Professor Marcelo Jangarelli \u2013 DEMAT \u2013 ICE - UFRRJ 
 52 
 
 Aditivos a base de: 
 Ácido Forte Ácido Fraco Base Forte Base Fraca 
Médias 14,81 6,56 10,06 10,09 
Nº de carros 10 10 10 10 
 Dado: SQResíduo = 6,0264 
 
 Com base nas informações fornecidas, pede-se: 
 
a) Existe diferença entre os quatro tipos de formulações? 
b) Estabeleça um contraste entre o grupo à base de formulação ácida contra o grupo à 
base de formulação básica. Obtenha a estimativa para este contraste. 
c) Estabeleça um contraste para comparar aditivos de formulação ácida. Obtenha a 
estimativa para este contraste. 
d) Estabeleça um contraste para comparar aditivos de formulação básica. Obtenha a 
estimativa para este contraste. 
 
 
4 \u2013 Com a finalidade de comparar o efeito do tempo de pastejo no desempenho de suínos, 
foram comparados 16 animais distribuídos em três tempos. Os ganhos de peso (kg) no final 
do experimento são dados a seguir: 
 
Tempos Ganhos de Peso (kg) 
4 h 7,12 6,91 6,80 6,72 6,34 6,45 
6 h 8,45 8,53 9,02 8,94 8,35 - 
8 h 6,58 7,04 7,15 7,38 7,23 - 
 
 Existe algum tempo de pastejo no qual o ganho de peso médio diferiu dos demais, ao 
nível de 5% de significância? 
 
 
5 \u2013 Dez reprodutores foram separados em dois grupos independentes e alimentados com 
rações diferentes, obtendo-se os seguintes ganhos de peso (kg): 
 
Ração A 5,0 6,0 7,0 4,0 3,0 
Ração B 8,0 9,0 6,0 7,0 10,0 
 
 Verifique se as rações influenciam no ganho de peso, ao nível de 5% de significância, 
utilizando a análise de variância para experimentos inteiramente casualizados. Concluir a 
respeito das duas rações fornecidas. 
 
 
6 \u2013 Com o objetivo de avaliar a utilização de farelo bruto foi realizado um experimento com 
uma duração de 28 dias, composto de quatro tratamentos e cinco repetições por tratamento. 
Cada parcela foi constituída de 50 pintos de um dia de idade, da linhagem \u201cRoss\u201d, sendo 25 
machos e 25 fêmeas. Os resultados dos ganhos de peso médio por parcela são dados a seguir: 
 
 
 
 
 
IC283 \u2013 Bioestatística e IC284 \u2013 Estatística Experimental 
Professor Marcelo Jangarelli \u2013 DEMAT \u2013 ICE - UFRRJ 
 53 
 
0% de Farelo 10% de Farelo 20% de Farelo 30% de Farelo 
0,60 0,82 0,79 0,82 
0,62 0,85 0,83 0,81 
0,61 0,78 0,82 0,79 
0,64 0,79 0,81 0,80 
0,63 0,80 0,82 0,79 
 
 Ao nível de 5% de significância qual tratamento, em média, propiciou o maior ganho 
de peso? 
 
 
7 \u2013 Para os dados fornecidos a seguir aplicar o teste de Tukey e concluir adequadamente (\u3b1 = 
5%). 
3701
^
=m 3382
^
=m 3803
^
=m 3204
^
=m 3255
^
=m 3676
^
=m 
\u2206 = 33 
 
 
8 \u2013 Com os dados abaixo, oriundos do delineamento inteiramente casualizado (DIC), aplicar o 
teste de Tukey e concluir ao nível de 5% de probabilidade. 
r1 = r2 = r3 = 4 r4 = r5 = 5 \u2211 =
ji
ijY
,
2 51,446.22 
T1 = 120,6 T2 = 130,7 T3 = 140,8 T4 = 180,6 T5 = 115,6
Estudante
Estudante fez um comentário
Pois é Paulo o Passei Direto ta diferente, também não consigo baixar de outros estudantes além de mim.
0 aprovações
Carregar mais