DESEMPENHO DA AGROPECUÁRIA NOS ANOS 90
8 pág.

DESEMPENHO DA AGROPECUÁRIA NOS ANOS 90


DisciplinaSetor Agrario e Org.social no Brasil45 materiais343 seguidores
Pré-visualização2 páginas
que a análise de que o produtor tem que usar mais tecnologia para ser mais eficiente, torna-se verdadeira. Quem tem dinheiro para usar mais teconologia: grande produtor. Pequeno e grande produtor são opostos ao ambiente econômico desfavorável, facilidade de importação/dificuldade de exportação.
O crescimento da área de pastagem plantada, e consequentemente da atividade pecuária bovina. É nesse momento que a atividade pecuária bovina fica tão importante para o país.
Macroeconomia: os eventos acontecem em flutuação, e não de uma vez.
O que temos até 95, é uma evolução bastante incomum. De 95 até os anos 2000, temos uma flutuação com tendência à elevação. 
O que acontece com a produção de grãos: aumenta muito até 94. De 94 até 98: há uma flutuação com tendência de elevação. Em 98, isso aumenta um pouco mais. Flutua de 98 a 2000, com tendência de elevação. Em 2004, há um novo aumento na flutuação. Mantém até 2008, que aumenta mais, e em seguida em 2012. Esse quadro de sobe e desce é normal. 
Por que a produção aumenta muito até 94? E depois de 94 ela se estabiliza. O que aconteceu de tão dramático? O plano real. O plano real fortaleceu a moeda e foi mais difícil exportar.
Temos, nessa década, uma instabilidade na produção de grãos. Na primeira metade, há crescimento substantivo da produção, até o plano real; na segunda metade, um crescimento insignificante, flutuante.
País pobre com melhora de renda: as pessoas comem mais.
A produção NÃO aumentou pra todo mundo.
Produção de algodão/ produção de trigo: caem.
Produtor de trigo não consegue competir com os produtes de outros países por causa do clima.
Arroz, feijão AUMENTAM A PRODUÇÃO. O povo come mais agora.
SOJA: puxa o aumento de produção! Muito utilizada para alimentação como fonte de proteína!
Produção de mandioca também cai! 
Quem aumenta a produção: cana, laranja e soja. Foram culturas subsidiadas na época da modernização.
Produção de tomate também aumenta, e muito, porque há crescimento de alimentos processados.
RELAÇÃO DE TROCA: AGROPECUÁRIA X INDÚSTRIA
Essa relação mede o poder de compra relativo desses setores da economia. É o quanto eu preciso de produto agropecuário pra comprar insumo da indústria, e vice-versa. Quanto menor é essa relação, maior o poder de compra.
Então, essa análise soma aos custos produtivos, o poder de compra. Não adianta o produtor ganhar mais, se é mais caro produzir também.
Analiza quanto fica dentro da propriedade. Quanto da riqueza gerada pelo setor que se transforma em renda para o produtor.
Com isso, o indicador ao longo dos anos tem mais valor do que o indicador de um ano. Dá pra medir se o produtor ganha ou perde poder de compra. Se ele ganha poder de compra, indica que a atividade está mais lucrativa. 
Nos anos 90, o produtor ganha poder de compra. 
O poder de compra é analizado na relação de troca, analizado com base na relação: índice de preço pago (média de quanto o produtor paga pelo insumo agropecuário), índice de preço recebido (quanto vale o produto agropecuário).
Quanto pago pelo insumo/ quanto recebo pelo produto: quanto menor a relação, maior o poder de compra. 
Nos anos 90, a produção de soja e cana puxa esse resultado para cima (do poder de compra), porque o resultado é a média.
Produção agrícola dá mais lucro do que a pecuária. 
Valor de insumos mais caro que o produto: produtor ganha menos, e se quiser manter sua renda, ele precisa produzir mais. LEI DE OFERTA E PROCURA NÃO FUNCIONA NESSE MERCADO.
Único mercado que a produção de aves brasileira não consegue entrar: Chile, porque o frango de lá é alimentado com farinha de peixe (gosto). O frango brasileiro não é alimentado com a mesma farinha, logo, o gosto é diferente.
SEGUNDA PARTE DA AULA
Quando acaba a política de modernização agrícola? Em 1979. Porém, em 90 aumentou o uso de tecnologias e de assistência técnica. Reflete diretamente na preocupação do produtor com a produtividade.
A produtividade do grão é diretamente proporcional à quantidade de fertilizante que é utilizada. Como a produtividade aumentou durante esse período, esperava-se que a venda de fertilizantes aumentasse, e muito. Porém, aumentou pouco, quase nada. Isso ocorreu, porque os produtores passaram a usar insumos da forma mais eficiente possível. 
O uso de veneno também aumenta bem pouco, porque é usando de forma consciente.
A partir de 2000, aumenta o uso de fertilizantes e agrotóxicos.
Energia elétrica \u2013 boa parte da tecnologia necessita dela para funcionar. Além disso, ela é básica para a qualidade de vida.
Em 96, menos de 40% das propriedades rurais possuíam energia elétrica. Em 2006, menos de 70% das propriedades com energia elétrica. Atraso do campo no Brasil.
Produtivismo: ideologia que fala que todos os problemas do campo se acabam com o simples aumento de produção. Anos 90, produção cada vez maior.
Produção de bovino manteve a eficiência, nos anos 90. Praticamente o único setor da pecuária que não ganha eficiência.
Até os anos 80, tem o processo de modernização e caificação da economia. Indústria de insumo \u2013 produtor \u2013 indústria de processamento. 
A análise, agora, é feita do AGRONEGÓCIO: produtor, setor industrial que vem depois do produtor, e setor de distribuição. 
Quem domina o agronegócio: SETOR DE DISTRIBUIÇÃO.
Conclusões ao longo dos anos 90
Políticas desfavoráveis à agropecuária.
Políticas: abertura comercial, valorização cambial e ausência de política agrícola (mais importante).
Não confundir política agrícola com ações políticas para o meio rural.
PEQUENO e GRANDE produtor são prejudicados. Porém, o pequeno produtor fica mais pobre e o grande fica menos rico.
O resultado econômico é ruim para os pequenos produtores.