Apostila - Constituição Federal - Comentada pelo STF
574 pág.

Apostila - Constituição Federal - Comentada pelo STF


DisciplinaIntrodução ao Direito I93.033 materiais694.033 seguidores
Pré-visualização50 páginas
contrapeso assimilável aos do modelo constitucional positivo do regime de Poderes\u201d. (ADI 
2.654-MC, Rel. Min. Sepúlveda Pertence, DJ 23/08/02)
 
\u201cAcórdão que, analisando o conjunto probatório dos autos, corrige erro aritmético manifesto no somatório de pontos de 
candidato. Alegada ofensa aos arts. 2º; 5º, XXXV; e 25, todos da Constituição Federal. Hipótese em que o Tribunal a quo se 
limita a exercer seu ofício judicante, cumprindo seu dever de assegurar o direito individual lesado, sem qualquer afronta ao 
princípio da harmonia e independência entre poderes.\u201d (AI 228.367-AgR, Rel. Min. Ilmar Galvão, DJ 23/06/00)
 
\u201cProcesso legislativo da União: observância compulsória pelos Estados de seus princípios básicos, por sua implicação com o 
princípio fundamental da separação e independência dos Poderes: jurisprudência do Supremo Tribunal.\u201d (ADI 774, Rel. Min. 
Sepúlveda Pertence, DJ 26/02/99). No mesmo sentido: ADI 2.434-MC, DJ 10/08/01.
 
file:///K|/STF%20-%20CF.htm (6 of 574)17/08/2005 13:02:39
STF - Constituição
 \u201cSuspensão dos efeitos e da eficácia da Medida Provisória nº 375, de 23.11.93, que, a pretexto de regular a concessão de 
medidas cautelares inominadas (CPC, art. 798) e de liminares em mandado de segurança (Lei 1.533/51, art. 7º, II) e em 
ações civis públicas (Lei 7.347/85, art. 12), acaba por vedar a concessão de tais medidas, além de obstruir o serviço da 
Justiça, criando obstáculos à obtenção da prestação jurisdicional e atentando contra a separação dos poderes, porque sujeita 
o Judiciário ao Poder Executivo.\u201d (ADI 975-MC, Rel. Min. Carlos Velloso, DJ 20/06/97)
 
"Norma que subordina convênios, acordos, contratos e atos de Secretários de Estado à aprovação da Assembléia 
Legislativa: inconstitucionalidade, porque ofensiva ao princípio da independência e harmonia dos poderes." (ADI 676, Rel. 
Min. Carlos Velloso, DJ 29/11/96). No mesmo sentido: ADI 770, DJ 20/09/02; ADI 165, DJ 26/09/97.
 
\u201cAlegada violação ao princípio da independência e harmonia entre os poderes. (...) Orientação assentada no STF no sentido 
de que, não sendo dado ao Presidente da República retirar da apreciação do Congresso Nacional medida provisória que tiver 
editado, é-lhe, no entanto, possível ab-rogá-la por meio de nova medida provisória, valendo tal ato pela simples suspensão 
dos efeitos da primeira, efeitos esses que, todavia, o Congresso poderá ver estabelecidos, mediante a rejeição da medida ab-
rogatória. Circunstância que, em princípio, desveste de plausibilidade a tese da violação ao princípio constitucional 
invocado.\u201d (ADI 1.315-MC, Rel. Min. Ilmar Galvão, DJ 25/08/95)
 
Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:
 
I - construir uma sociedade livre, justa e solidária;
 
II - garantir o desenvolvimento nacional;
 
III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;
 
NOVO "O art. 7º da Lei nº 6.194/74, na redação que lhe deu o art. 1º da Lei nº 8.441/92, ao ampliar as hipóteses de 
responsabilidade civil objetiva, em tema de acidentes de trânsito nas vias terrestres, causados por veículo automotor, não 
parece transgredir os princípios constitucionais que vedam a prática de confisco, protegem o direito de propriedade e 
asseguram o livre exercício da atividade econômica. A Constituição da República, ao fixar as diretrizes que regem a atividade 
econômica e que tutelam o direito de propriedade, proclama, como valores fundamentais a serem respeitados, a supremacia 
do interesse público, os ditames da justiça social, a redução das desigualdades sociais, dando especial ênfase, dentro dessa 
perspectiva, ao princípio da solidariedade, cuja realização parece haver sido implementada pelo Congresso Nacional ao 
editar o art. 1º da Lei nº 8.441/92." (ADI 1.003-MC, Rel. Min. Celso de Mello, DJ 10/09/99)
 
NOVO "Em face da atual Constituição, para conciliar o fundamento da livre iniciativa e do princípio da livre concorrência com 
os da defesa do consumidor e da redução das desigualdades sociais, em conformidade com os ditames da justiça social, 
pode o Estado, por via legislativa, regular a política de preços de bens e de serviços, abusivo que é o poder econômico que 
visa ao aumento arbitrário dos lucros." (ADI 319-QO, Rel. Min. Moreira Alves, DJ 30/04/93)
 
IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. 
 
Art. 4º A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios:
 
I - independência nacional;
 
II - prevalência dos direitos humanos;
 
file:///K|/STF%20-%20CF.htm (7 of 574)17/08/2005 13:02:39
STF - Constituição
\u201cExiste um nexo estreito entre a imprescritibilidade, este tempo jurídico que se escoa sem encontrar termo, e a memória, 
apelo do passado à disposição dos vivos, triunfo da lembrança sobre o esquecimento. No estado de direito democrático 
devem ser intransigentemente respeitados os princípios que garantem a prevalência dos direitos humanos. Jamais podem se 
apagar da memória dos povos que se pretendam justos os atos repulsivos do passado que permitiram e incentivaram o ódio 
entre iguais por motivos raciais de torpeza inominável \u201d. (HC 82.424, Rel. Min. Maurício Corrêa, DJ 19/03/04)
 
III - autodeterminação dos povos;
 
IV - não-intervenção;
 
V - igualdade entre os Estados;
 
\u201cNão pode o Supremo Tribunal Federal avaliar o mérito dos elementos formadores da prova, inclusive a autoria e a 
materialidade dos delitos cometidos, ora em produção perante a autoridade judiciária do País requerente, tema afeto à sua 
soberania\u201d. (Ext. 853, Rel. Min. Maurício Corrêa, DJ 05/09/03)
 
\u201cCabe, assim, à Justiça do Estado requerente, reconhecer soberanamente - desde que o permita a sua própria legislação 
penal - a ocorrência, ou não, da continuidade delitiva, não competindo ao Brasil, em obséquio ao principio fundamental da 
soberania dos Estados, que rege as relações internacionais, constranger o Governo requerente a aceitar um instituto que até 
mesmo o seu próprio ordenamento positivo possa rejeitar\u201d. (Ext 542, Rel. Min. Celso de Mello, DJ 13/02/92)
 
VI - defesa da paz;
 
VII - solução pacífica dos conflitos;
 
VIII - repúdio ao terrorismo e ao racismo;
 
"O repúdio ao terrorismo: um compromisso ético-jurídico assumido pelo Brasil, quer em face de sua própria Constituição, quer perante a 
comunidade internacional. Os atos delituosos de natureza terrorista, considerados os parâmetros consagrados pela vigente 
Constituição da República, não se subsumem à noção de criminalidade política, pois a Lei Fundamental proclamou o repúdio ao 
terrorismo como um dos princípios essenciais que devem reger o Estado brasileiro em suas relações internacionais (CF, art. 4º, VIII), 
além de haver qualificado o terrorismo, para efeito de repressão interna, como crime equiparável aos delitos hediondos, o que o expõe, 
sob tal perspectiva, a tratamento jurídico impregnado de máximo rigor, tornando-o inafiançável e insuscetível da clemência soberana do 
Estado e reduzindo-o, ainda, à dimensão ordinária dos crimes meramente comuns (CF, art. 5º, XLIII). A Constituição da República, 
presentes tais vetores interpretativos (CF, art. 4º, VIII, e art. 5º, XLIII), não autoriza que se outorgue, às práticas delituosas de caráter 
terrorista, o mesmo tratamento benigno dispensado ao autor de crimes políticos ou de opinião, impedindo, desse modo, que se venha a 
estabelecer, em torno do terrorista, um inadmissível círculo de proteção que o faça imune ao poder extradicional do Estado brasileiro, 
notadamente se se tiver em consideração a relevantíssima circunstância de que a Assembléia Nacional Constituinte formulou um claro 
e inequívoco juízo de desvalor em relação a quaisquer atos delituosos revestidos de índole terrorista, a estes não reconhecendo a 
dignidade de que muitas
Wagner
Wagner fez um comentário
Qualquer dúvida, só mandar mensagem aqui pessoal!
1 aprovações
Carregar mais