A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
AV1 Ética na Saúde

Pré-visualização | Página 1 de 2

Avaliação: SDE0083_AV1_201402333595 » ÉTICA NA SAÚDE
	Tipo de Avaliação: AV1
	Aluno: 201402333595 - MAURO LUIZ ALVES FILHO
	Professor:
	CLAUDIA MARQUES COMARU
	Turma: 9052/C
	Nota da Prova: 7,5 de 8,0         Nota do Trab.: 0        Nota de Partic.: 2        Data: 22/04/2015 20:03:50
	�
	 ��1a Questão (Ref.: 201402414621)
	Pontos: 0,0  / 0,5
	O século XVIII é marcado pelo movimento intelectual denominado de Iluminismo, Exalta-se a capacidade que tem o homem de conhecer e agir por uma luz própria da razão. São criticadas posições éticas que conduzem à heteronomia, debatendo-se, antes, a liberdade da vontade em relação ao determinismo da natureza, ou do vínculo entre leis morais e naturais. A este respeito, podemos afirmar que para Immanuel Kant, a consciência é entendida como:
	
	 
	cognoscente ou moral suscitada em um homem ativo, criador e legislador.
	
	cognoscente ou política suscitada em um homem político.
	 
	cognoscente ou amoral suscitada em um homem restrito e amoral.
	
	cognoscente ou moral suscitada em um homem passivo.
	
	cognoscente ou religiosa suscitada em um homem que acredita em Deus sobretudo.
	
	�
	 ��2a Questão (Ref.: 201402990445)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	A ética é construída por uma sociedade com base nos valores históricos e culturais. Do ponto de vista da Filosofia, a Ética é uma ciência que estuda os valores e princípios morais de uma sociedade e seus grupos. Acerca da relação entre ética e moral, marque Verdadeiro e Falso.
	
	 
	A simples existência da moral significa a presença explícita de uma ética, entendida como filosofia moral, isto é, uma reflexão que discute, problematiza e interpreta o significado dos valores morais.
	
	A ética não tem por objetivo procurar o fundamento do valor que norteia o comportamento, tendo em vista a historicidade presente nos valores.
	
	Durante as Idades Média e Moderna, a ética era considerada uma ciência, portanto, era ensinada como disciplina escolar.Na Idade Contemporânea, a ética assumiu uma nova conotação, desvinculando-se da ciência e da filosofia e sendo vinculada às práticas sociais
	 
	O entendimento ético discorre filosoficamente, em épocas diferentes e por vários pensadores, dando conceitos e formas de alusão ao termo ética.
	
	O conhecimento do dever está desvinculado da noção de ética, pois este é consequência da percepção, pelo sujeito, de que ele é um ser racional e, portanto, está obrigado a obedecer ao imperativo categórico: a necessidade de se respeitar todos os seres racionais na qualidade de fins em si mesmos
	
	�
	 ��3a Questão (Ref.: 201402452988)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	Através da ética industrial, a vida humana passa a ser concebida como objetivando a máxima da qualidade. Isso faz com que o debate ético caminhe no sentido do quanto pode ser feito para que as pessoas:
	
	
	Possam ter menos prazer
	
	Avaliem seus resultados de trabalho
	 
	Possam viver mais e melhor
	
	Tenham mais dinheiro
	
	Se dediquem aos estudos
	
	�
	 ��4a Questão (Ref.: 201402540309)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Lucio está desenvolvendo uma pesquisa com um tipo de material que ainda tem propriedades desconhecidas e os pesquisadores precisam usar equipamentos especiais para lidarem com o material. Lucio está oferecendo todo o suporte aos pesquisadores, que estão utilizando os equipamentos especiais. Se correlacionarmos a caso de Lucio com o Princípio da Precaução, podemos afirmar que:
	
	
	Lucio está agindo equivocadamente, pois tem que se considerar como inexistente um risco desconhecido.
	
	Lucio está agindo equivocadamente, uma vez que deve-se considerar como inexistente um risco desconhecido.
	
	Não há correlação entre o caso de Lucio e o Princípio da Precaução.
	
	Lucio está agindo corretamente, pois tem que se considerar como inexistente um risco desconhecido.
	 
	Lucio está agindo corretamente, pois não se pode considerar como inexistente um risco desconhecido.
	
	�
	 ��5a Questão (Ref.: 201402594312)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Nas pesquisas biomédicas, a noção de risco deve ser entendida como:
	
	
	a dificuldade em escolher uma amostra para estudo.
	
	a neutralidade do pesquisador em pesquisas de duplo cego.
	 
	a possibilidade de dano (previsto ou não) ao sujeito da pesquisa.
	
	a impossibilidade de causar danos ao sujeito da pesquisa.
	
	A facilidade de incentivo financeiro que a pesquisa pode receber.
	
	�
	 ��6a Questão (Ref.: 201402977113)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Entre os motivos para utilização de porcos e não macacos em alguns transplantes, encontra-se:
	
	 
	Em termos genéticos estamos mais próximos aos porcos do que aos macacos, apesar de nossa maior semlelhança física com estes últimos.
	
	o fato de porcos não terem a mesma consciência que os macacos quanto à morte e aos danos causados em seu corpo.
	
	a possibilidade de criação de porcos em cativeiro.
	
	o risco de extinção dos gorilas, que possuem orgãos de tamanho semelhante aos humanos.
	
	alguns orgãos humanos somente são compatíveis com o organismo do porco.
	
	�
	 ��7a Questão (Ref.: 201402417485)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	Ana é uma menina de quinze anos que engravidou quando "ficou" com um menino em uma boate. Como Ana não tem dinheiro para sustentar a criança e nunca mais viu o menino, ela quer fazer um aborto. Relacionando a situação de Ana com a teoria de John Finnis tem-se que a ética não pode ser feita através de cálculos de maximização do prazer como o que era proposto pelos utilitaristas. Fazer isso seria colocar em uma equação matemática incerta probabilidades impossíveis de serem calculadas por pertencerem a variáveis passíveis de transformação em um futuro muitas vezes mais próximo do que se imagina a princípio. O que não pode ser moral e racional, ao menos a priori, e se aceito, no mínimo merece fundamentações mais firmes e convincentes. Isto é significativo de que:
	
	
	tomar como base a maximização da qualidade de vida, ou em realidade do prazer, deve servir como base racional para se resolver questões como: a eutanásia ou o aborto.
	
	o aborto e a eutanásia devem ser resolvidas de acordo com a vontade da pessoa ou da família.
	
	tomar como base a minimização da qualidade de vida, ou em realidade do prazer, pode servir como base irracional para se resolver questões como: a eutanásia ou o aborto.
	
	o aborto e a eutanásia devem ser resolvidas de acordo com a vontade da igreja católica.
	 
	tomar como base a maximização da qualidade de vida, ou em realidade do prazer, não pode servir como base racional para se resolver questões como: a eutanásia ou o aborto.
	
	�
	 ��8a Questão (Ref.: 201402945696)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Leia a reportagem a seguir: "Maria José tinha 25 anos quando a doença de Chagas foi diagnosticada. A enfermidade crônica não tem cura e com o passar dos anos compromete gravemente o funcionamento do coração. (...) Um enfarte veio em dezembro do ano passado e em março deste ano, a internação no Incor. Há oito meses ela aguarda por um novo coração em um quarto do hospital, de onde não pode sair nem de cadeira rodas pois a ordem é não se cansar. (...) Ela conta que alguns corações já chegaram, mas não eram compatíveis" (Câmara Notícias, 19/11/2007). Uma alternativa para o drama vivido por Maria seria a possibilidade de um xenotransplante, técnica ainda não autorizada para a prática clínica. Sobre este tipo de transplante, assinale a alternativa correta:
	
	 
	Os defensores deste tipo de transplante ressaltam que esta possibilidade diminuiria muito o tempo de espera por órgãos e muitas vidas poderiam ser salvas.
	
	Implica no transplante intravivos de órgãos e tecidos específicos de seres da mesma espécie respeitando o preceito ético da não maleficência do doador.