A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
781 pág.
Gabriel Dezen Junior - 4500 Questões Comentadas de Direito Constitucional - 14º Edição - Ano 2010

Pré-visualização | Página 31 de 50

de Estado e do Distrito Federal e prefeitos são elegíveis para ura segundo mandato no 
mesmo cargo, sem precisar afastar-se do cargo. Estarão inelegíveis para outros cargos 
eletivos se, nos seis meses anteriores ao pleito, estiverem no exercício desse mandato 
executivo. Se, ainda, estiverem já no segundo mandato executivo e, nos seis meses ante­
riores ao pleito, estiverem desempenhando esse mandato, são absolutamente inelegíveis.
461. Falsa. Primeiramente, somente se considera, para fins de ínelegibilidade, a ocupação 
de chefia de Executivo nos seis meses anteriores ao pleito, e não a qualquer época. E, 
também, tais sucessores e substitutos poderão disputar a eleição seguinte para o mesmo 
cargo que estejam ocupando nesse semestre pré-píeito.
462. Verdadeira. É o que consta do § 6° do art 14.
4500 QUESTÕES COMENTADAS OS OIRSTO CONSTTTUCiONAt.
463. Falsa. O cônjuge do prefeito somente é inelegível para cargos dentro do Município 
em questão, a saber: prefeito, vice-prefeito e vereador. O art 14, § T , fala que essa ine- 
legibilidade é “no território de jurisdição do titular*’, sendo esse titular o Presidente da 
República, o governador ou o prefeito, e o território, respectivamente, o Brasil, o Estado 
ou Distrito Federai e o Município. A renúncia, segundo o Tribunal Superior Eleitoral, 
remove a inelegíbilidade do titular do mandato executivo.
464. Falsa- Há. uma exceção no final do § T do art 14: salvo se já titular de mandato 
eletivo e candidato à reeleição.
465. Falsa. Se contar menos de'dez anos de serviço, apenas deverá afastar-se da ativida­
de. Se, contrariamente, contar mais de dez anos, com a candidatura será agregado pela 
autoridade superior e, se eleito, passará, aí sim, no ato de diplomaçâo, automaticamente 
para a inatividade (art 14, § 8o).
466. Falsa. Não é lei ordinária o instrumento que a Constituição exige para a de­
finição de outros casos de inelegíbilidade além dos nela previstos, mas, sim, lei 
complementar (art 14, § 9o). Além disso, é inconstitucional a edição de lei estadual 
sobre o tema, em face do comando objetivo da Constituição Federal, que exige lei 
complementar federal.
467. Verdadeira- É o que consta do art. 14, § 9o.
468. Verdadeira. Teor do art 14, § 10.
469. Verdadeira. E o que afirma o art. 14, § 11.
470. Verdadeira. Teor do art. 15, caput.
471. Falsa. É causa de suspensão, já que'a Constituição é bem clara ao afirmar que será 
apenas “enquanto durarem os seus efeitos” (art 15, III).
472. Verdadeira. Caso do art. 15, L A perda da condição de brasileiro, que é condição 
de elegibilidade (art. 14, § 3o, I), leva à perda dos direitos políticos no Brasil.
473. Verdadeira. É o que comanda o art 16.
474. Falsa. A eleição que vai reger o pleito é a publicada e vigente até doze meses antes 
da eleição. Portanto, uma lei eleitoral publicada em 4 de outubro de 1999 não é aplicável 
ao pleito de 3 de outubro de 2000.
1 1 0
Titulo 0 — Dos Direitas e Garantías Fuadameatais
475. (
476. (
477. {
478. (
479. (
480. (
481. (
4S2, ( 
483. (
CAPÍTULO rv 
Dos Direitos Políticos
SEGUNDO BLOCO
) São formas de exercício da soberania popular o sufrágio universal, o voto direto 
e secreto, com valor igual para todos, o plebiscito, o referendo e a iniciativa 
popular.
) O voto é obrigatório para todos os brasileiros maiores de 18 anos.
) O militar conscrito tem o seu alistamento eleitoral facultativo, mas é inelegível.
) A filiação partidária é condição de elegibilidade para qualquer brasileiro, civil 
ou militar.
) Uma- das condições de elegibilidade é ter idade mínima de 35 anos, paxa o 
cargo de senador, e de 18 anos, para o cargo de vereador.
) O militar em serviço militar obrigatório (conscrito) é inelegível.
) Determinado governador de Estado pretende candidatar-se ao Senado pelo 
Estado que governou. Renuncia ao mandato de governador sete meses antes 
do pleito. A esposa desse governador pode candidatar-se a deputada estadual 
no mesmo Estado que o marido governou.
) A companheira do prefeito pode candidatar-se ao cargo de vereadora para 
mandato no período imediatamente subsequente ao do mandato daquele chefe 
de Executivo, tendo este renunciado ao mandato mais de seis meses antes da 
data do pleito.
) Em um determinado Estado, o governador, A, renunciou ao mandato 6 meses 
antes da data do próximo pleito e pretende concorrer a uma vaga de deputado 
federai. Já dentro do período dos seis meses antes do pleito, o vice-govemador, 
B, ocupou, por rnn dia, oficialmente nomeado, o cargo de governador e, logo no 
dia seguinte, renunciou para postular o mandato de vice-govemador na eleição 
que preencherá o cargo no período imediatamente subsequente ao em curso. 
Ocupou-lhe o lugar o presidente da Assembleia Legislativa, C, sucedendo-o, 
tendo ficado até as vésperas da eleição, na qual tentará reeleição ao caxgo de 
deputado estadual Nessas condições, apenas o governador, A, tem condições 
constitucionais de pleitear o mandato enunciado.
1 1 1
4500 QUESTÕES COMENTADAS DE OIHSTO CQNSTmjCiON/U.
484. ( ) O militar com mais de dez anos de serviço é elegível. Nesse caso, ficará agre­
gado (afastado) desde o registro da candidatura até a diplomação ou o regresso 
à Força Armada. Se eleito, passará automaticamente no ato de diplomação para 
a inatividade.
485. ( ) Lei complementar poderá estabelecer outros, casos de inelegibilidade, além
dos previstos na Constituição Federal.
486. ( ) O interessado em impugnar um mandato eletivo precisará entrar com a res­
pectiva ação em 15 dias, a contar da posse do eleito, na Justiça comum.
487. ( ) A condenação criminal transitada em julgado é hipótese de perda dos direitos
políticos do: condenado.
488. ( ) A improbidade administrativa é hipótese de suspensão dos direitos políticos.
489. ( ) O cancelamento da naturalização, por sentença transitada em julgado, é hipótese
de cassação de direitos políticos.
Gabarito
475. Verdadeira. Termos do art 14, caput e incisos.
476. Falsa. O voto é obrigatório para o brasileiro alfabetizado e não militar conscrito 
entre 18 anos e 70 anos. Para maiores de 70 anos, o voto é facultativo. Ainda, o bra­
sileiro maior de 18 e menor de 70 anos que seja analfabeto tem alistamento eleitoral 
e voto facultativos.
477. Falsa. O militar conscrito é inalistável (art 14, § 2o) e inelegível (art 14, § 4o).
478. Falsa. O Superior Tribunal Federal já decidiu, julgando o Agravo de instrumento 
n° 135.4526, que o militar alistável e elegível não precisa de filiação partidária. Diz o 
acórdão, citando o julgamento -do Recurso n6 8.963/MS, da lavra do Ministro Octávío 
Galotti, que “militar da ativa (subtenente), com mais de dez anos de serviço, sendo alistável 
e elegível, mas nâo filiável, basta-lhe, nessa condição excepcional, como suprimento da 
prévia filiação partidária, o pedido do registro da candidatura, apresentado pelo partido 
e autorizado pelo candidato".
479. Verdadeira. Ê o teor do axt 14, § 3o, a e d
Tftulo H - D « Direitos e Gajaoibus Fundamentais
480. Verdadeira. Os militares conscritos são inalistáveis (art 14, § 2o). E os inalistáveis 
sao inelegíveis (art 14, § 4o).
481. Verdadeira. Com a renúncia, o chefe do Executivo remove a inelegíbilidade do 
cônjuge. Como ela ocorreu a sete meses do pleito, o habilita a disputar outro cargo pú­
blico eletivo. A rt 14, § T.
482. Falsa. O Supremo Tribunal Federal já decidiu que a companheira, para os efeitos de 
inelegíbilidade, equipara-se a cônjuge. Vale para ela, então, a mesma regra que impede 
que a esposa de chefe de Executivo seja candidata na circunscrição eleitoral dominada 
pelo cargo do marido (art 14, § 7o).
483. Falsa. O vice-govemador, B, pode, a partir da nova redação imposta ao § 5o do art. 
14 pela Emenda à Constituição n° 16/1997, postular tanto o cargo de vice-govemador 
quanto o de governador do