A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
150 pág.
queijos nacionais

Pré-visualização | Página 43 de 45

de proliferar.
Proliferar: reproduzir-se; multiplicar-se.
Público-alvo: conjunto de pessoas ou empresas que se pretende 
Pulverizado: [ver pulverizar]
Pulverizar: reduzir a pó; cobrir de pó; polvilhar; reduzir a pequenos fragmentos; destruir 
ou refutar completamente. Mercadologicamente diz-se de mercados onde existem 
muitas empresas concorrentes, ou seja, é um mercado pulverizado de marcas.
Queijo Artesanal: queijo produzido através de processo não industrial, queijos cuja pro-
dução mantém os métodos ou processos tradicionais.
E
S
T
U
D
O
S
 
D
E
 
M
E
R
C
A
D
O
 
S
E
B
R
A
E
/
E
S
P
M
1
4
4
Queijo Brie: Queijo de origem francesa, originalmente fabricado utilizando leite cru de 
vaca. Exige maturação de no mínimo 4 semanas. É produzido em formato de disco 
com aproximadamente 27 cm de diâmetro e 3 cm de altura. Sua massa é homogênea, 
densa e elástica. Não deve ser mole. Possui uma casca fina e macia de mofo branco 
(penicillium	candidum), que deve ser comida junto com o queijo. Tem odor intenso e 
frutado. Após o período mínimo de maturação, com o passar do tempo, sua massa vai 
ficando mais cremosa e o produto mais suave e frutado. Sua validade é de 45 dias. 
Queijo Camembert: Originário da Região da Normandia (França), o Camembert é produzi-
do com leite de vaca, geralmente integral. Após 25 horas da retirada da forma, o quei-
jo é pulverizado com uma solução de água e penicillium	candidum. Após 21 dias dessa 
pulverização, o queijo estará coberto de mofo branco (um tipo de casca macia) e pron-
to para ser comercializado. Assim como o Brie, sua casca costuma ser comida junta-
mente com o queijo. Sua maturação por período mais longo costuma pintar a casca de 
cor ferrugem, acentuar um odor amoniacal (de amônia) e deixar a massa com sabor 
picante. Algumas pessoas preferem o Camembert com estas características. 
Queijo Cheddar: Originário de uma vila inglesa chamada Cheddar George, é um dos 
queijos mais importantes da Inglaterra. Entrou nos Estados Unidos em 1851, sendo 
hoje o queijo mais produzido nesse país. É um queijo semi-duro de consistência ma-
cia, sem olhaduras. Tem sabor fresco e delicado, que vai se tornando picante e pro-
nunciado à medida que envelhece. Sua cor varia do amarelo-creme ao laranja. Pode 
ser encontrado em blocos quadriculares ou cilíndricos, em vários tamanhos (de 2 a 30 
kg). É um queijo bastante utilizado na culinária. No Brasil se tornou mais conhecido 
a partir da utilização nos sanduíches do McDonald’s. 
Queijo Cottage: O queijo Cottage é originário dos Estados Unidos, sendo o segundo queijo 
mais consumido naquele país (o primeiro é o Cheddar). Trata-se de um queijo úmido 
e granulado, de cor branca e sabor suave. Tem elevado teor de proteínas, mas poucas 
calorias. Juntamente com a Ricota, faz parte dos chamados queijos magros (abaixo de 
25% de gordura no extrato seco). Por essa razão desempenha papel importante nos 
regimes de emagrecimento. 
Queijo de Coalho: originário do nordeste do Brasil. O início de sua produção remonta há 
mais de 150 anos, com a chegada do gado bovino, trazido pelos Portugueses. O nome 
Coalho advém do uso de coalho natural na sua fabricação. O Queijo Coalho é larga-
mente fabricado principalmente nos estados de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do 
Norte e Paraíba. Nestes estados o queijo de Coalho está entre os principais tipos de 
queijos artesanais comprovadamente incorporados à cultura regional, mas que vem 
ganhando espaço na região Sudeste. A maior parte da fabricação ainda é artesanal, e 
o queijo é feito com leite cru. Em função do grande consumo deste queijo, em vários 
Estados do Nordeste já existe uma Legislação específica para este produto. Nacional-
mente, já está estabelecida a sua identidade e os requisitos mínimos de qualidade que 
deverão ser cumpridos, através do Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade 
de Produtos Lácteos, para o Queijo de Coalho. O Regulamento define como Queijo de 
Coalho, o queijo que se obtém por coagulação do leite por meio de coalho ou outras 
enzimas coagulantes apropriadas, complementada ou não pela ação de bactérias lác-
teas selecionadas. Características: Nestes estados, a maior parte da fabricação ainda é 
artesanal. A forma de produção original do Queijo Coalho pressupõe a utilização de 
leite de vaca cru, coalho industrializado e sal, sem adição de fermentos. Seu processo 
de fabricação é especifico possibilitando ao produto ser cozido, assado ou frito sem 
1
4
5
q
u
e
ijo
s 
n
ac
io
n
ai
s 
– 
le
it
e
 e
 d
e
ri
va
d
o
s
derreter. É classificado como queijo de média a alta umidade, de massa semi-cozida 
ou cozida, apresentando um teor de gordura no extrato seco entre 35,0% e 60%. Apre-
senta consistência semi-dura, elástica; uma textura compacta (sem olhaduras) ou 
aberta com olhaduras mecânicas; a cor é branca amarelada uniforme; o sabor brando, 
ligeiramente ácido e salgado; o odor ligeiramente ácido de coalhada fresca; a casca é 
fina e não muito bem definida; Pode ser encontrado na forma de “palito” – que é o 
queijo com o palito espetado na barra de queijo, pronto para ser assado. 
Queijo Cream Cheese: O Cream	Cheese é um queijo processado. Sua coagulação se dá por 
centrifugação, processo que, neste caso, também separa o soro. Após a centrifugação, 
à massa é adicionado creme de leite, o que confere ao queijo um sabor lácteo e fresco, 
e uma textura cremosa, facilmente espalhável no pão. É produzido puro – natural – 
ou com adição de sabores. O cheese cake, um tipo de torta doce muito apreciado nos 
Estados Unidos, é feito com Cream	Cheese natural. 
Queijo Edam: Queijo de origem Holandesa, o Edam, assim como o Gouda, é de massa 
semi-dura. É produzido a partir de leite padronizado, com menor teor de gordura. 
É um queijo esférico, com peso aproximado de 1,8 kg. Tem consistência firme, com 
massa cheia de olhaduras (no Brasil). Seu sabor é agradável e adocicado. Apresenta 
casca fina de cor natural. 
Queijo Emental: Originário do Vale do Emental na Suíça, e fabricado com leite de vaca. 
Sua massa é semi-dura e apresenta grandes olhaduras (buracos) que podem chegar ao 
tamanho de uma noz. Seu sabor é frutado, amendoado e doce em virtude dos fermen-
tos (propiônicos) utilizados em sua fabricação. Passa por longo período de maturação 
(aproximadamente 180 dias), o que lhe confere uma casca lisa e grossa que o protege, 
permitindo exposição à temperatura ambiente – aproximadamente 25 0C. Sua forma 
é redonda com diâmetro aproximado de 80 cm e altura de 15 a 20 cm, podendo pesar 
até 130 Kg. Geralmente pesa 70 Kg. É um dos queijos utilizados na preparação da 
“Fondue”, mas seu maior consumo é puro. 
Queijo Estepe: É um queijo de massa semi-cozida, sabor suave e amendoado, e textura 
macia. Não possui casca, e sua massa após maturação de 60 dias, apresenta olhaduras 
que podem chegar ao tamanho de uma avelã. É acondicionado em sacos plástico en-
colhíveis (cry-o-vac), e apresenta tamanho avantajado (forma quadrada de 6 kg). 
Queijos Frescos: estão prontos para o consumo logo após sua fabricação – são queijos de 
massa crua, isto é não passam por processo de cozimento – e são os que exigem refri-
geração a temperaturas baixas (a temperatura ideal de conservação vai de 7 a 10 0C). 
Apresentam textura macia.
Queijo Feta: O Feta é originário da Grécia. Trata-se de um queijo branco de consistência 
macia, feito a partir de leite de ovelha (algumas vezes de cabra). 
Queijo Gorgonzola: Originário da Itália, o Gorgonzola é um queijo gordo (45% a 55% de 
gordura no Extrato Seco) de massa crua, feito a partir de leite de vaca, integral, fresco 
e tratado. Após 11 dias de maturação, o queijo é perfurado com agulhas de aço para 
que o penicillium	roqueforti (mofo azul) adicionado antes da coagulação do leite, possa 
respirar