A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
227 pág.
Auto Anônimo - Curso de Direito Administrativo

Pré-visualização | Página 13 de 50

Cada um desses órgãos integra a pessoa jurídica da União 
e se constituem em verdadeiros centros de competência funcional. 
 
Conforme a explicação acima temos então: 
 
ENTIDADE UNIÃO 
 
 
ÓRGÃOS PEU PLU PJU MPU TCU 
 
 
 Gabinetes Câmara STF 
 Ministérios Senado Trib.Superiores 
 Departamentos Comissões Trib.Regionais 
 Secretarias 
 Conselhos 
 
 
 
1.3.Agentes. 
 São as pessoas físicas que, imbuídas do princípio da impessoalidade, 
materializam, concretizam, efetivam a prestação do serviço público, conforme a 
natureza da sua investidura. 
 Os agentes públicos, de acordo com a posição estatal dos órgãos no 
qual atue, ou seja, o nível hierárquico, exercerá maior ou menor volume de 
poderes administrativo, mas seja em que instância for, deverá agir sempre à 
luz do princípio da impessoalidade, o qual descaracteriza a pessoa do agente 
para caracterizar a pessoa do Estado (representado por uma entidade). 
 
 
2.Administração Pública: Natureza jurídica. 
 
É a de um encargo, múnus público. 
Este encargo é atribuído ao Estado que por intermédio de suas 
entidades (pessoas jurídicas de direito público ou privado prestadoras de 
4.Administração Pública 
 43 
 
serviços públicos) assume o papel institucional de defesa, conservação, 
guarda e aprimoramento dos bens, valores e serviços de interesse da 
coletividade. 
Sendo o Estado instituído com finalidades políticas e sociais, conforme 
regramento constitucional estabelecido no artigo 3o da Lei Maior, cabe ao 
Direito organizar as competências sob o prisma jurídico, definindo atribuições e 
estabelecendo limites de atuação funcional, objetivando a realização daquelas 
metas por intermédio de uma disciplina jurídica organizada. Compete, assim, 
ao Estado, através de sua Administração Pública, a missão de zelar pelos 
interesses, bens e valores da comunidade administrada. 
 
 
3.Administração Pública: Fins (teleologia). 
 
Sabe-se pelo Direito Constitucional que o Estado é integrado por quatro 
elementos, entre eles a finalidade. A Administração Pública, que não se 
justifica por si mesma como instituição dissociada de uma realidade social, 
assume o dever jurídico de implementar as atividades vocacionadas à 
concretização das aspirações constitucionais fulcradas no art. 3o. Essa 
perspectiva confere a natureza instrumental ínsita a qualquer entidade 
administrativa, pública ou privada. 
Os preceitos normativos reveladores das finalidades do Estado têm a 
capacidade de vincular (estabelecendo um dever indelegável, indeclinável, 
intransferível e indisponível) toda atividade estatal a um determinado objetivo. 
Portanto, o agir da Administração Pública não fica ao alvedrio, ao talante do 
administrador, pois que assume a natureza de dever juridicamente 
estabelecido em diploma próprio (princípio da legalidade). 
 
 
4.Sentidos. 
 
O termo “administração pública” comporta dois sentidos, portanto, dois 
significados semânticos de natureza técnica, a saber, sentido material e 
sentido formal. 
O que se pretende com esses dois sentidos é mostrar que a expressão 
“administração pública” ora pode ser utilizada num sentido, ora em outro. 
Assim, sabendo-se que em sentido material o termo evoca a idéia 
essencial, ou seja, o significado substancial, conclui-se que “administração 
pública” representa a própria prestação de serviços públicos. 
Explicando melhor: quando se emprega o termo “administração pública 
em sentido material” a pretensão do discurso é enfocar a natureza do serviço, 
4.Administração Pública 
 44 
 
se típico de administração pública ou de administração privada. Assim, por 
exemplo, educação e ensino são, reconhecidamente, serviços de 
administração pública, embora nem sempre prestados pela Administração 
Pública. Observe-se que nesta última frase empregamos a mesma expressão, 
porém com significados diferentes. 
No sentido material o termo enfatiza o próprio serviço, ou seja, a razão 
de ser da estrutura e do aparelho estatal que presta o serviço junto à 
comunidade, sem se preocupar com quem, ou qual estrutura o realiza. 
No sentido formal salienta-se o agente, o órgão ou a entidade 
prestadora do serviço.Neste sentido, educação e ensino podem ser prestados 
tanto pela Administração Pública como pela Administração Privada. 
 
 Serviços DE administração pública 
Educação PELA Administração Pública 
 Serviços prestados 
 PELA Administração Privada 
 
 
 
5.Administração Pública: estrutura básica 
 
Do sentido formal de Administração Pública podemos extrair o 
entendimento da estrutura assumida pelo aparelho estatal. 
Assim, pertence ao estudo do Direito Administrativo a investigação da 
organização administrativa brasileira, o que implica realizar um exame da 
Administração Pública em seu sentido formal. 
A forma assumida pela Administração Pública brasileira é delineada no 
seguinte perfil básico: 
 
 Direta 
Administração Pública 
 Indireta 
 
Compõe o seguimento da Administração direta o conjunto de órgãos 
essenciais de Estado que formam as diversas entidades estatais. 
A Administração indireta é constituída das entidades autárquicas, 
fundacionais e das empresas governamentais (sociedades de economia mista 
e empresas públicas). 
 
 
4.Administração Pública 
 45 
 
 
Assim temos: 
 Direta ⇒ entidades estatais 
Administração Pública Autarquias 
 Indireta Fundaçõer públicas 
 Sociedades de economia mista 
 Empresas Públicas 
 
 
Portanto, podemos concluir que o Estado, na linguagem própria do 
Direito Administrativo, se apresenta como Administração Pública, que, por sua 
vez, possui uma estrutura segmentada em duas vertentes onde cada uma 
delas se vê integrada por entidades públicas. No segmento denominado 
Administração direta o Estado presta diretamente os serviços públicos 
essenciais, que se constituem em atribuições e competências indeclináveis e 
indelegáveis, cabendo ao Estado, por intermédio de seu próprio aparelho 
administrativo (Administração Pública direta) implementar os serviços 
correspondentes. Por outro lado, o Estado se vale das entidades que 
compõem a Administração Pública indireta para, por intermédio delas, prestar 
serviços públicos indiretamente. A rigor, as entidades de Administração indireta 
estarão prestando os serviços por conta própria, já que possuem 
personalidade jurídica própria, o que implica possuir patrimônio próprio, receita 
própria, quadro próprio de pessoal, et cetera. Entretanto, são entidades 
instituídas por comando do Poder Público central, nos termos do artigo 37, 
inciso XIX da CF (vide comentário 5.3.1), e por isso mesmo supervisionadas 
por órgãos de Administração direta. 
Assim temos: 
 dever jurídico de 
 ESTADO BRASILEIRO prestar serviços públicos 
 
 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 
 
 ENTIDADES 
 
 DIRETA INDIRETA 
 
 ESTATAIS AUTÁRQUICAS 
 FUNDACIONAIS 
 SOC.ECON.MISTA 
 EMPRESAS PÚBLICAS 
 
 46 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Organização 
Administrativa Brasileira 
 
• Administração direta 
• Administração indireta 
 
 
 
 
Capítulo 5 
5.Organização Administrativa Brasileira. 
 47 
 
 
1.Introdução 
 
É da natureza de qualquer organismo administrativo, seja público ou 
privado, o constante aprimoramento de suas atividades e estrutura. 
A Administração Pública brasileira ao longo de sua vida registrou 
sucessivos movimentos de reformas administrativas, as mais recentes e de 
maior impacto ocorreram em 1967 e 1998. Tais reformas modificaram valores, 
implantaram novos conceitos