A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
914 pág.
Manual de Licitações e Contratos do TCU - 4 Edição - 2011

Pré-visualização | Página 9 de 50

conforme a Lei de Licitações.
Permite-se a participação de possíveis licitantes que não tenham sido 
formalmente convidados, mas que sejam do ramo do objeto licitado, desde que 
cadastrados no órgão ou entidade que licita ou no Sistema de Cadastramento 
Unificado de Fornecedores (Sicaf ). Os interessados devem solicitar o convite com 
antecedência de até vinte e quatro horas da apresentação das propostas.
Para evitar que no convite participem sempre 
os mesmos licitantes, deve ser convidado, no 
mínimo, mais um interessado para cada repetição 
do certame e para convites de objeto idêntico 
ou assemelhado a licitações anteriores.
No Convite, para que a contratação seja possível, são necessárias pelo menos três 
propostas válidas, isto é, que atendam a todas as exigências do ato convocatório. 
Não é suficiente a obtenção de três propostas apenas. É preciso que as três sejam 
válidas. Caso isso não ocorra, a Administração deve repetir o convite e convidar mais 
um interessado, no mínimo, enquanto existirem cadastrados não convidados nas 
últimas licitações, ressalvadas as hipóteses de limitação de mercado ou manifesto 
desinteresse dos convidados, circunstâncias estas que devem ser justificadas no 
processo de licitação.
41
Licitações e Contratos - Orientações e Jurisprudência do TCU
Quando não acudirem interessados à licitação, 
a Administração deve rever as exigências do ato 
convocatório e os procedimentos adotados, de modo 
a encontrar os motivos do desinteresse dos licitantes.
Recibo de entrega de convite deve conter dados que possam identificar a 
empresa licitante, em especial: razão social da empresa licitante, número do CNPJ 
(MF), endereço com CEP e, se houver, número de telefone(s), de fax, endereço 
eletrônico (e-mail). A assinatura do recebedor do convite deve estar identificada 
em letra de forma ou mediante carimbo.
Para alcançar maior número possível de interessados no objeto licitado e evitar a 
repetição do procedimento, muitos órgãos ou entidades vêm utilizando a publicação 
do convite na imprensa oficial ou em jornal de grande circulação, além da distribuição 
direta aos fornecedores do ramo escolhidos.
Publicação na imprensa oficial ou em jornal de grande circulação confere 
ao convite divulgação idêntica à das demais modalidades de licitação e afasta a 
discricionariedade do agente público.
Quando não for possível a obtenção de três propostas válidas, por limitações de 
mercado ou manifesto desinteresse dos convidados, essas circunstâncias devem 
ser devidamente motivadas e justificadas no processo, sob pena de repetição 
do convite.
Limitações de mercado ou manifesto desinteresse de 
empresas convidadas não se caracterizam e nem podem 
ser justificados quando inseridas na licitação condições 
que só uma ou outra empresa pode atender. 
 
Tanto limitações de mercado quanto manifesto 
desinteresse dos convidados devem ser 
motivados e justificados no processo, sob pena 
de repetição do convite. 
 
Não se configura limitação de mercado ou manifesto 
desinteresse de licitantes, quando existirem na praça 
outros capazes de apresentar propostas, que não foram 
convidados ou não tomaram conhecimento do certame.
Tribunal de Contas da União
42
DELIBERAÇÕES DO TCU
Não se obtendo o número legal mínimo de três propostas aptas à seleção, 
na licitação sob a modalidade convite, impõe-se a repetição do ato, com 
a convocação de outros possíveis interessados, ressalvadas as hipóteses 
previstas no parágrafo 7º do art. 22 da Lei nº 8.666/1993.
Súmula 248
É exigível a apresentação de, pelo menos, três propostas válidas, para a 
modalidade convite, a menos que exista justificativa para possível limitação 
do mercado ou manifesto desinteresse dos convidados.
Acórdão 437/2009 Plenário (Sumário)
Deve ser repetido o convite quando não houver três propostas válidas, 
salvo se limitações de mercado ou manifesto desinteresse de participantes, 
devidamente comprovados, sugerirem que a repetição acarretará custos 
administrativos desnecessários, atrasos na obtenção do produto desejado 
ou prejuízos ao ente público.
Acórdão 292/2008 Plenário (Sumário)
A regularidade do convite exige apresentação de três propostas válidas ou de 
justificativas para inexistência desse número.
Acórdão 77/2007 Plenário (Sumário)
Não permita, em licitações na modalidade convite, a participação de firmas que 
tenham sócios em comum ou relação de parentesco entre eles, por constituir 
afronta aos princípios insculpidos no art. 3º da Lei nº 8.666/1993, em especial 
o da competitividade, da isonomia, da impessoalidade, da moralidade e da 
improbidade administrativa.
Acórdão 2900/2009 Plenário
Convidem para participar de licitação na modalidade convite somente 
interessados do ramo pertinente ao objeto licitado.
Acórdão 710/2008 Plenário
Observe rigorosamente, quando da realização de licitação, na modalidade 
Convite, o disposto nos arts. 22, § 3º, e 34 da Lei nº 8.666/1993, c/c os 
dispositivos do Decreto nº 3.722/2001, com redação dada pelo Decreto 
nº 4.485/2002, IN/MARE-GM 05/1995, bem assim o entendimento desta 
Corte sobre a possibilidade de participação de interessados que não tenham 
sido formalmente convidados, mas que sejam do ramo do objeto licitado, 
43
Licitações e Contratos - Orientações e Jurisprudência do TCU
desde que cadastrados no órgão ou entidade licitadora ou no Sistema de 
Cadastramento Unificado de Fornecedores (Sicaf ).
Acórdão 95/2008 Plenário
zele para que sejam convidadas ou admitidas a participar de certames 
licitatórios (inclusive nos casos de dispensa), especialmente na modalidade 
Carta-Convite, apenas as empresas que pertençam ao ramo do seu objeto, 
em atenção ao art. 22, § 3º, da Lei nº 8.666/1993.
Acórdão 2387/2007 Plenário
Assegure o número mínimo de 03 (três) propostas válidas nos procedimentos 
licitatórios na modalidade Convite, não dando seqüência aos certames em que 
o número de participantes seja inferior a esse mínimo, conforme estabelecido 
na Lei de Licitações, sem que sejam expressamente caracterizadas as hipóteses 
de manifesto desinteresse ou de limitação de mercado, com fundamento 
nos §§ 3º e 7º do art. 22 da Lei nº 8.666/1993 e de acordo com as Decisões 
370/1997, 45/1999, 96/1999, 472/1999, todas do Plenário, e 392/1993 
Segunda Câmara.
Acórdão 2251/2007 Plenário
Atenda à exigência de no mínimo três propostas válidas, quando realizar 
licitações na modalidade de convite, conforme o no art. 22, §§ 3º e 7º, da Lei 
nº 8.666/1993.
Acórdão 1306/2007 Plenário
Como bem esclarece Jorge Ulisses J. Fernandes, no seu compêndio ‘Contratação 
Direta Sem Licitação’, in verbis: ‘Como proposta válida deve se entender aquela 
que efetivamente concorre com as demais, atendendo o seu formulante às 
condições de habilitação e ofertando nos termos requeridos no Convite o 
produto pretendido, a preço razoável.’
Decisão 683/1996 Plenário (Relatório do Ministro Relator)
Proceda à repetição do ato, com a convocação de outros possíveis interessados, 
em não se obtendo o número legal mínimo de três propostas aptas à seleção, 
na licitação sob a modalidade Convite.
Acórdão 428//2010 Segunda Câmara
Deixe de repetir o convite, somente quando as circunstâncias excedentes 
previstas pela Lei nº 8.666/1993 - manifesto desinteresse ou limitações de 
mercado - estiverem devidamente justificadas no processo licitatório
Acórdão 1710/2006 Segunda Câmara
Tribunal de Contas da União
44
É cediça e remansosa a jurisprudência deste Tribunal no sentido de que para 
ser tida como legal a licitação na modalidade convite é imprescindível a 
presença de três propostas válidas no certame, como salientado no Acórdão 
vergastado.
O só envio de correspondências a onze pretensos participantes