A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
141 pág.
Apostila Verbas

Pré-visualização | Página 23 de 50

Esses requisitos são aplicáveis para o empregado horista, como ao mensalista, pois a 
lei não faz nenhuma distinção. 
Assiduidade representa a presença do trabalhador durante toda a semana anterior, 
não tendo faltas nesse período. 
A pontualidade faz com que o empregado cumpra a sua jornada diária integralmente, 
observados os horários de entrada e saída, sem atrasos. 
Deve ser ressaltado que, os atrasos ocorridos na entrada em função de acidente de 
transporte ou motivo de força maior, devidamente comprovado, são considerados justificados. 
Nas empresas em que vigorar regime de trabalho reduzido, a frequência exigida 
corresponderá ao número de dias em que o empregado tiver de trabalhar (art. 6º, § 3º, Lei n. 605/49). 
O empregador, no caso da não observância de tais requisitos por parte do 
empregado, está autorizado a descontar o dia relativo ao descanso semanal remunerado. 
Em função dessa assertiva, devemos concluir que o sábado e os chamados dias-
pontes (os dias entre feriado e fim de semana) não podem ser descontados. 
O que prejudica o direito à percepção do descanso semanal remunerado é a 
ocorrência das faltas injustificadas. 
Nos termos da Lei nº 605/1949, são consideradas faltas justificadas: 
1) período de férias (art. 129, CLT); 
2) até 2 dias consecutivos, no caso de falecimento do cônjuge, 
ascendente, descendente, irmão ou pessoa que, declarada em sua Carteira de Trabalho e 
Previdência Social, viva sob sua dependência econômica; 
3) 1 dia, em cada 12 meses de trabalho, para doação voluntário de 
sangue; 
4) 1 dias, no caso de alistamento eleitoral; 
5) no período em que estiver cumprindo exigência do Serviço Militar; 
6) nos dias em que estiver realizando exame vestibular para ingresso em 
estabelecimento de ensino superior (art. 473, CLT); 
7) 3 dias consecutivos, no caso de casamento (art. 6º, d, Lei nº 
605/1949, art. 473, CLT); 
8) a suspensão preventiva para responder inquérito administrativo ou de 
prisão preventiva, quando for impronunciado ou absolvido; 
9) testemunhar em Juízo (art. 822, CLT, art. 419, parágrafo único, CPC); 
_________________________________________________________________________________ Verbas Trabalhistas _____ Verbas Trabalhistas _____ Verbas Trabalhistas _____ Verbas Trabalhistas ---- Dr. Francisco Ferreira Jorge NetoDr. Francisco Ferreira Jorge NetoDr. Francisco Ferreira Jorge NetoDr. Francisco Ferreira Jorge Neto 
Apostila de verbas trabalhistas v. 01.2014 
10) jurado sorteado para comparecimento às sessões do júri (art. 430, 
CPP); 
11) ausência do empregado, devidamente justificada, a critério da 
administração do estabelecimento; 
12) paralisação do serviço nos dias em que, por conveniência do 
empregador, não tenha havido trabalho; 
13) com fundamento na lei sobre acidente do trabalho; 
14) motivo de doença (art. 6º, Lei nº 605/1949); 
15) 5 dias, licença-paternidade (art. 10, § 1º, ADCT); 
16) 120 dias, licença-gestante (art. 7º, XVIII, CF); 
17) o licenciamento compulsório de duas semanas da empregada por 
motivo de aborto não criminoso (art. 395, CLT); 
18) pelo tempo que se fizer necessário, quando tiver que comparecer a 
juízo (art. 473, VIII, CLT); 
19) pelo tempo em que se fizer necessário, quando, na qualidade de 
representante de entidade sindical, estiver participando de reunião oficial de organismo 
internacional do qual o Brasil seja membro (art. 473, IX). 
Em relação aos professores, não serão descontadas, no decurso de nove dias, as 
faltas verificadas por motivo de gala ou de luto em consequência de falecimento do cônjuge, do pai ou 
mãe, ou de filho (art. 320, § 3º, CLT). 
A princípio, a comprovação da doença deve ser efetuada pelo serviço ou convênio 
médico da empresa (art. 60, § 4º, Lei n. 8.213/91, Súmulas n. 15 e 282, TST). 
Se a empresa não dispuser desses meios, o atestado, na sequência, deverá ser 
emitido pelos médicos da previdência, do sindicato ou de entidade pública, para efeito do abono da 
falta dada pelo empregador. 
Para que não haja eventuais dúvidas ou discussões judiciais quanto à validade dos 
atestados apresentados, é imperioso que o empregador dê ciência aos seus empregados de que, em 
primeiro lugar, os atestados devem ser do médico da empresa ou do convênio médico. 
 
5.4.4. Feriados 
 
Os feriados podem ser civis e religiosos. 
Os civis são: 
a) os declarados em lei federal; 
b) a data magna do Estado fixada em lei estadual; 
c) os dias de início e do término do ano do centenário de fundação do município, 
fixados em lei municipal (art. 1º, I a III, Lei nº 9.093/1995). 
Os dias destinados aos feriados civis, de acordo com a legislação federal, 
correspondem: 
a) 1º de janeiro (Dia da Paz Mundial, Lei nº 662/1949); 
_________________________________________________________________________________ Verbas Trabalhistas _____ Verbas Trabalhistas _____ Verbas Trabalhistas _____ Verbas Trabalhistas ---- Dr. Francisco Ferreira Jorge NetoDr. Francisco Ferreira Jorge NetoDr. Francisco Ferreira Jorge NetoDr. Francisco Ferreira Jorge Neto 
Apostila de verbas trabalhistas v. 01.2014 
b) 21 de abril (Tiradentes, Lei nº 1.266/1950); 
c) 1º de maio (Dia do Trabalho, Lei nº 662/1949); 
d) 7 de setembro (Independência do Brasil, Lei nº 662/1949); 
e) 12 de outubro (Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, Lei nº 
662/1949); 
f) 2 de novembro (Dia de Finados, Lei nº 662/1949); 
g) 15 de novembro (Proclamação da República, Lei nº 662/1949); 
h) 25 de dezembro (Natal, Lei nº 662/1949). 
Os feriados religiosos são os dias de guarda, declarados em lei municipal, de 
acordo com a tradição local e em número não superior a 4, nestes incluída a Sexta-Feira da Paixão 
(art. 2º, Lei nº 9.093/1995) . Nesses feriados, geralmente, tem-se a inclusão do dia de fundação dos 
próprios municípios. 
Na cidade de São Paulo, de acordo com a Lei nº 7.008/1967, os feriados municipais 
são os dias: 25 de janeiro, 2 de novembro, sexta-feira da Semana Santa e “Corpus Christi”. 
Além dos feriados mencionados, outros não podem ser criados, exceto se for o 
caso de uma nova lei federal. 
Logo, como se costuma imaginar, a terça-feira de carnaval não é feriado, podendo, 
se quiser, o empregador exigir a prestação de serviços nesse dia. 
 
 
 
 
 
 
5
5.4.5. O descanso semanal trabalhado 
 
De acordo com o art. 8º da Lei n. 605/49, excetuados os casos em que a execução 
do serviço for imposta pelas exigências técnicas das empresas, é vedado o trabalho: nos dias feriados 
civis e religiosos, ficando garantida a remuneração respectiva. 
Nas atividades em que não for possível, em virtude das exigências técnicas das 
empresas a suspensão do trabalho, nos dias feriados civis e religiosos, a remuneração será paga em 
dobro, salvo se o empregador determinar outro dia de folga (art. 9º, Lei n. 605/49). O outro dia de 
folga deverá ser concedido dentro da mesma semana (7 dias), sob pena de se ter o pagamento em 
dobro. 
Para os fins da Lei n. 605/49, exigências técnicas são as condições peculiares às 
atividades da empresa, ou em razão do interesse público, tornem indispensável à continuidade do 
serviço (art. 5º, parágrafo único). 
A constatação das exigências técnicas levará em consideração os motivos de ordem 
econômica, permanentes ou ocasionais, além das peculiaridades locais (art. 10, Lei n. 605/49). 
De forma automática, de acordo com o art. 10, parágrafo único, da Lei n. 605/49, as 
empresas de serviços públicos e de transporte enquadram-se nas que estão autorizadas a ter 
atividades nos dias destinados aos descansos semanais remunerados. 
Tabela de excel on-line de calendários, para cálculos de DSR: 
http://www.pmtech.com.br/newsletter/Marco_2005/Calendario_Permanente.xls 
(copie o link acima e cole na barra de endereço de seu navegador) 
_________________________________________________________________________________