A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
107 pág.
Concurseiro Social - Apostila Completa de Direito Previdenciário

Pré-visualização | Página 17 de 36

que não fecharam os requisitos possuíam mera expectativa de direitos. 
 
 Os segurados inscritos no RGPS até o dia 16 de dezembro de 1998, vigência da 
Emenda Constitucional nº 20, desde que cumprida a carência exigida, terão direito à 
aposentadoria por tempo de contribuição com renda mensal proporcional, desde que cumpridos os 
seguintes requisitos, cumulativamente: 
 
MULHERES 
Idade mínima: 48 anos 
Tempo de atividade: 25 anos + pedágio 
HOMENS 
Idade mínima: 53 anos 
Tempo de atividade: 30 anos + pedágio 
 
 
 
 Como é calculado o benefício? Pela apuração do salário-de-benefício, com incidência 
do fator previdenciário. A renda mensal inicial, no entanto, corresponde a 70% + 6% ao ano. 
www.concurseirosocial.com.br
 
 
 
55 
 
7.4. Aposentadoria por Idade Urbana: 
 
 Se o critério das aposentadorias por tempo de contribuição é um tempo mínimo de 
atividade, as aposentadorias por idade, tanto a urbana quanto a rural, têm como critério o requisito 
etário. 
 
 
 
 Como é calculado o benefício? Pela apuração do salário-de-benefício, com incidência 
do fator previdenciário. A renda mensal inicial corresponde a 70% + 1% ao ano, até o limite de 100%. 
 
7.5. Aposentadoria por Idade Rural: 
 
 A aposentadoria por idade rural é devida aos trabalhadores rurais, sejam eles 
empregados, contribuintes individuais ou segurados especiais, e possui os seguintes requisitos: 
 
 
 
 Requisito próprio do benefício: comprovação de atividade rural por, no mínimo, 
180 meses, imediatamente anteriores à data de entrada do requerimento da aposentadoria, ou 
à data de implementação do requisito etário, mesmo que o exercício da atividade tenha se 
realizado de forma descontínua. 
 
 Como é calculado o benefício? Pela apuração do salário-de-benefício, com incidência 
do fator previdenciário. A renda mensal inicial corresponde a 70% + 1% ao ano, até o limite de 100%. 
Se se tratar de segurado especial, fica garantido o benefício no valor do salário-mínimo nacional. 
www.concurseirosocial.com.br
 
 
 
56 
 
7.6 Aposentadoria Especial: 
 
 A aposentadoria especial, uma vez cumprida a carência mínima exigida (180 
contribuições) será devida ao segurado empregado, ao trabalhador avulso e ao cooperado filiado à 
cooperativa de trabalho ou de produção (contribuinte individual), desde que tenha trabalhado 
durante quinze, vinte ou vinte e cinco anos, conforme o caso, exposto de modo permanente, não 
ocasional nem intermitente, a condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física. 
 
 
 
 Para fazer jus à aposentadoria especial, o segurado deverá comprovar a efetiva 
exposição aos agentes nocivos químicos, físicos, biológicos ou associação de agentes prejudiciais à 
saúde ou à integridade física, pelo período equivalente ao exigido para a concessão do benefício. Tal 
comprovação é realizada através da juntada, no processo administrativo de aposentadoria, do Perfil 
Profissiográfico Previdenciário (PPP). 
 
PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO 
 
 O PPP constitui-se em um documento histórico-laboral do trabalhador que reúne, 
entre outras informações, dados administrativos, registros ambientais e resultados de monitoração 
biológica, durante todo o período em que este exerceu suas atividades. 
 
 
Toda a empresa ou equiparada à empresa deverá 
preencher o formulário PPP, de forma individualizada para 
seus empregados, trabalhadores avulsos e cooperados, 
que laborem expostos a agentes nocivos químicos, físicos, 
biológicos ou associação de agentes prejudiciais à saúde 
ou à integridade física, considerados para fins de 
concessão de aposentadoria especial, ainda que não 
presentes os requisitos para a concessão desse benefício, 
seja pela eficácia dos equipamentos de proteção, 
coletivos ou individuais, seja por não se caracterizar a 
permanência. 
 
www.concurseirosocial.com.br
 
 
 
57 
 
 O PPP deverá ser emitido pela empresa empregadora, no caso de empregado; pela 
cooperativa de trabalho ou de produção, no caso de cooperado filiado; pelo órgão gestor de mão-de-
obra, no caso de trabalhador avulso portuário e pelo sindicato da categoria, no caso de trabalhador 
avulso não portuário. 
 
 A empresa ou equiparada à empresa deve elaborar, manter atualizado o PPP para os 
segurados referidos no caput, bem como fornecer a estes, quando da rescisão do contrato de 
trabalho ou da desfiliação da cooperativa, sindicato ou órgão gestor de mão-de-obra, conforme o 
caso, cópia autêntica desse documento. 
 
O PPP deverá ser atualizado sempre que houver alteração que implique mudança das informações 
contidas nas suas seções, com a atualização feita pelo menos uma vez ao ano, quando permanecerem 
inalteradas suas informações. 
 
 O PPP deverá ser assinado por representante legal da empresa, com poderes 
específicos outorgados por procuração, contendo a indicação dos responsáveis técnicos legalmente 
habilitados, por período, pelos registros ambientais e resultados de monitoração biológica, 
observando que esta não necessita, obrigatoriamente, ser juntada ao processo, podendo ser suprida 
por apresentação de declaração da empresa informando que o responsável pela assinatura do PPP 
está autorizado a assinar o respectivo documento. 
 
DA CONVERSÃO DE TEMPO ESPECIAL EM COMUM 
 
 O Perito Médico Previdenciário - PMP emitirá parecer técnico na avaliação dos 
benefícios por incapacidade e realizará análise médico-pericial dos benefícios de aposentadoria 
especial, elaborando relatório conclusivo no processo administrativo ou judicial que trata da 
concessão, revisão ou recurso dos referidos benefícios, inclusive para fins de custeio. 
 
 A conversão de tempo de atividade sob condições especiais em tempo de atividade 
comum dar-se-á de acordo com a seguinte tabela: 
 
TEMPO A CONVERTER 
MULTIPLICADORES 
MULHER (PARA 30) HOMEM (PARA 35) 
DE 15 ANOS 2,00 2,33 
DE 20 ANOS 1,50 1,75 
DE 25 ANOS 1,20 1,40 
 
CÁLCULO DO BENEFÍCIO 
 
 Como é calculado o benefício? Pela apuração do salário-de-benefício, SEM 
incidência do fator previdenciário. A renda mensal inicial corresponde a 100%, ou seja, a 
aposentadoria especial é integral e não leva em consideração a idade do segurado ao se aposentar, 
uma vez que não há interferência do fator previdenciário. 
 
 OBSERVAÇÃO: A aposentadoria especial será cessada pelo INSS, se o beneficiário 
permanecer ou retornar à atividade que enseje a concessão desse benefício, na mesma ou em outra 
empresa, qualquer que seja a forma de prestação de serviço ou categoria de segurado. 
 
www.concurseirosocial.com.br
 
 
 
58 
 
7.7 Aposentadoria Compulsória: 
 
A aposentadoria compulsória é uma forma de demissão de um 
segurado empregado. Exige o cumprimento de uma carência mínima 
de 180 contribuições e é calculada nos mesmos moldes da 
aposentadoria por idade urbana. 
 
Se uma empresa mantém um empregado com idade avançada e que 
nunca tenha se aposentado, no dia em que este segurado completar 
70 anos de idade, não importa se homem ou se mulher, o empregador 
poderá requerer junto ao INSS a sua aposentadoria compulsória. 
 
Como se trata de uma forma de demissão, esse segurado não 
permanecerá em atividade na empresa, o que não impede que ele 
busque um novo emprego, caso em que continuará vinculado ao RGPS 
e obrigado a contribuir. 
 
 
7.8 Outras Questões Relativas a Aposentadorias: 
 
PAGAMENTO DAS APOSENTADORIAS NO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL 
 
 Em regra, as aposentadorias por idade, por tempo de contribuição ou especial são 
pagas a contar da data de entrada do requerimento formalizado pelo segurado. No entanto, ao 
segurado desempregado fica resguardado o direito de receber a aposentadoria desde a data do 
desligamento da ultima atividade, se requerida até