A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
177 pág.
Manual de Direito Previdenciário - Concurso INSS - 2014 - 2015

Pré-visualização | Página 11 de 47

Exemplificação das Fontes Secundárias do Direito 
Previdenciário mais importantes 
 DECRETOS; 
 
Atenção! 
JURISPRUDÊNCIA e 
DOUTRINA não são fontes do 
Direito. A primeira refere-se 
de uma decisão reiterada do 
Tribunal sobre determinada 
matéria; a segunda é a 
interpretação dada à lei pelos 
estudiosos do direito. 
 
41 
Manual de Direito Previdenciário para o Concurso do INSS 
Elaborado por Ricardo Gomes de Souza e Silva, Psicólogo e Master Coach de Concurseiros 
Editados pelo Presidente da República, regulamentam as leis e dispõem sobre a 
organização da administração pública. È uma fonte secundária do Direito 
Previdenciário, tendo como exemplo o DEC 3.048/99. 
 
Ex: 
DECRETO Nº 3.048, DE 6 DE MAIO DE 1999 - Aprova o Regulamento da 
Previdência Social, e dá outras providências. 
 
 REGULAMENTOS; 
Regulamentos são atos normativos do Poder Executivo cuja finalidade é desdobrar ou 
detalhar um ato normativo superior. È uma fonte secundária do Direito Previdenciário. 
 
 PORTARIAS; 
Portaria é um documento de ato administrativo de qualquer autoridade pública, que 
contém ordens, instruções acerca da aplicação de leis ou regulamentos, 
recomendações de caráter geral e normas sobre a execução de serviços, a fim de 
esclarecer ou informar sobre atos ou eventos realizados internamente em órgão 
público, tal como nomeações, demissões, medidas de ordem disciplinar ou qualquer 
outra determinação da sua competência. È uma fonte secundária do Direito 
Previdenciário, tomando como exemplo a Portaria nº 19 de 10/01/2014. 
 
Ex: 
PORTARIA MF Nº 19, DE 10 DE JANEIRO DE 2014 - Dispõe sobre o reajuste dos 
benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social - INSS e dos demais 
valores constantes do Regulamento da Previdência Social - RPS. 
 
 ORDENS DE SERVIÇO; INSTRUÇÕES NORMATIVAS; ORIENTAÇÕES NORMATIVAS, 
CIRCULARES, RESOLUÇÕES ETC.. 
 
Autonomia 
Tratando de forma bastante sucinta, do ponto de vista cientifico, autonomia existe 
apenas para fins didáticos, pois nenhum ramo do Direito é UNO, ou seja, nenhum 
pode ser tratado individualmente. Didaticamente, para fins de concurso, o Direito 
Previdenciário é um ramo autônomo do Direito. Tal afirmativa é tranquilamente 
justificada pela existência, na Constituição Federal, de um Capítulo exclusivo para 
tratar sobre o tema. Capítulo II, Título VIII – Seguridade Social. 
 
- Tenha acesso à área exclusiva do site com todo o conteúdo previsto para o concurso INSS 
Acesse nosso site: www.preparatoriopopular.com.br 
 
SIMULADO 
 
1. É uma fonte imediata do Direito 
Previdenciário: 
a) Decretos; 
b) Regulamentos; 
c) Leis Delegadas; 
d) Ordens de Serviço; 
e) Instruções Normativas; 
 
2. É uma fonte primária do Direito 
Previdenciário: 
a) Instruções Normativas; 
b) Orientações Normativas, 
c) Decretos; 
d) Portarias; 
e) Resoluções do Senado; 
 
3. É uma fonte mediata do Direito 
Previdenciário: 
a) Decretos; 
b) Leis Delegadas; 
c) Medidas Provisórias; 
d) Decreto Legislativo; 
e) Regulamentos; 
 
4. É uma fonte secundária do Direito 
Previdenciário: 
a) Art. 194 da CF/88; 
b) Emenda Constitucional 41; 
c) Decreto 3.048/99 
d) Lei Complementare 142; 
e) Lei nº 8212/91; 
 
5. A Lei nº 8.212/91, que dispõe sobre a 
organização da Seguridade Social, institui 
Plano de Custeio, e dá outras providências, é 
uma: 
a) Emenda Constitucional; 
b) Lei Complementar; 
c) Instrução Normativa; 
d) Lei Ordinária; 
e) Medida Provisória. 
 
6. São adotadas para regulamentar assuntos 
específicos, quando expressamente 
determinado na Constituição da República e 
exigem o voto da maioria dos parlamentares 
que compõe a Câmara dos Deputados e o 
Senado Federal para serem aprovadas: 
a) Medida Provisória; 
b) Leis Complementares; 
c) Emenda Constitucional; 
d) Leis Ordinárias; 
e) Decretos Legislativos. 
 
7. Não é uma fonte do Direito Previdenciário: 
a) Tratados Internacionais; 
b) Portarias; 
c) Jurisprudência; 
d) Circulares 
e) Constituição Federal; 
 
8. Considere certo ou errado: 
I – A Constituição Federal é uma fonte mediata 
do Direito Previdenciário; 
II – A Emenda Constitucional 47 é uma fonte 
imediata do Direto Previdenciário; 
III – O direito Previdenciário é um ramo 
autônomo do Direito 
a) I e III estão corretos 
b) II e III estão errados 
c) I e II estão corretos 
d) II e III estão corretos 
e) I, II e III estão corretos 
 
43 
Manual de Direito Previdenciário para o Concurso do INSS 
Elaborado por Ricardo Gomes de Souza e Silva, Psicólogo e Master Coach de Concurseiros 
 
 
 
 
2. 2 – APLICAÇÃO DA NORMA PREVIDENCIÁRIA 
 
 
Dentro de um espaço territorial existe um único ordenamento jurídico que é um 
conjunto ordenado de normas, que se dividem em função de princípios coerentes e 
harmônicos. Entretanto, pode ocorrer a ANTINÔMIA, que é o choque entre essas 
normas. Este é um problema relacionado à aplicação da norma jurídica, e pode ser 
resolvido a partir de três critérios: o hierárquico, o de especialidade e o cronológico. 
Entende-se por Critério Hierárquico o fato de que, entre normas jurídicas 
inconciliáveis deve prevalecer a norma superior. No ramo do Direito Previdenciário, a 
hierarquia deve ser obedecida conforme a seguinte ordem de prioridade: 
1º - Constituição Federal de 1988; Emendas 
Constitucionais. 
2º - Leis Complementares; Leis Ordinárias; Leis 
Delegadas; Medidas Provisórias; Decreto Legislativo; 
Resoluções do Senado; Tratados Internacionais. 
3º - Decretos; 
4º - Regulamentos; Portarias; Ordens de Serviço; 
Instruções Normativas; Orientações Normativas, 
Circulares, Resoluções etc.. 
 Fique atento, conforme o Art. 5º, § 3º, da CF88, 
os Tratados e Convenções Internacionais sobre 
Direitos Humanos que forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional, em dois 
turnos, por três quintos dos votos dos respectivos membros, serão equivalentes às 
emendas constitucionais, portanto pertencem à primeira ordem de prioridade. 
Outro critério que deve ser adotado na aplicação da Legislação Previdenciária é o 
da Especialidade, também denominado de lex specialis. De acordo com esse critério, 
- Tenha acesso à área exclusiva do site com todo o conteúdo previsto para o concurso INSS 
Acesse nosso site: www.preparatoriopopular.com.br 
se dentre as normas incompatíveis uma for geral e a outra especial prevalece a 
segunda. 
Por fim, o Critério Cronológico, que se valida pelo preceito de lex posterior derogat 
priori, ou seja, entre duas normas incompatíveis deve prevalecer a posterior. 
 
 SIMULADO 
 
9. Hierarquicamente, no ramo do Direito 
Previdenciário, a norma superior prevalece 
sobre a inferior. Desta forma: 
a) O Decreto 3.048/99 prevalecerá sobre a 
Emenda Constitucional 41; 
b) A Lei 8212/91 prevalecerá sobre a Lei nº 
8171/90; 
c) A Emenda Constitucional 41 prevalecerá 
sobre a Instrução Normativa 45/2010; 
d) A Instrução Normativa 45/2010 prevalecerá 
sobre a Emenda Constitucional 41; 
e) A Lei 8212/91 prevalecerá sobre o Decreto 
3.048/99. 
 
10. No ramo do Direito Previdenciário, 
hierarquicamente as Leis Delegadas são: 
a) Superiores às emendas constitucionais; 
b) Inferiores aos Decretos; 
c) Superiores aos Tratados Internacionais que 
tratam sobre Direitos Humanos; 
d) Inferiores ao Decretos Legislativos; 
e) Superiores à Constituição Federal. 
 
11. No ramo do Direito Previdenciário, 
hierarquicamente uma Instrução 
Normativa é: 
a) Inferior a uma Lei Delegada; 
b) Equivalente à uma Resolução do Senado; 
c) Superior a um Decreto; 
d) Inferior a uma Resolução; 
e) Equivalente a uma Lei Ordinária. 
 
12. Os Tratados e Convenções Internacionais 
sobre Direitos