A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
177 pág.
Manual de Direito Previdenciário - Concurso INSS - 2014 - 2015

Pré-visualização | Página 38 de 47

= 307,2 contribuições 
 (307,2 X R$900,00) dividido por 307,2 = corresponde à média aritmética 
simples das contribuições, chegando ao valor de R$900,00 
 3º - Multiplica-se o SB (R$900,00) pelo Fator Previdenciário (FP) 
 
 Tc = 32 anos 
Es = 65 anos, igual a 17,4 (consultar tabela IBGE autalizada) 
Id = 65 anos 
A = 0,31 
Logo, 
f= 32 X 0,31 X [ 1 + (65 + 32 X 0,31) ] 
17,4 100 
f= 9,92 X [ 1 + (65 + 9,92) ] 
17,4 100 
f= 0,5701 X [ 1 + 74,92 ] 
100 
f= 0,5701 X [ 1 + 0,7492 ] 
 
 
Aplica-se o calculo, chegamos ao valor f= 0,5701 X 1,7492 = 0,9972 
 
 
Direito Previdenciário para o Concurso do INSS 
Elaborado por Ricardo Gomes de Souza e Silva – Acesse: www.preparatoriopopular.com.br 
 
4º Multiplica-se o resultado do FP pelo SB, logo: 
R$900 X 0,9972 = R$897,52 
 
5º Por fim, multiplica-se o SB pela alíquota correspondente ao benefício. No caso, 
aposentadoria por idade é de 100%, logo, o valor do benefício previdenciário de Eduardo 
será de R$897,52 centavos. 
Uma dica importante, embora a banca provavelmente não vá pedir que você 
realize este calculo, elabore outros exemplos com seus familiares e treine para como é 
aplicado em cada caso específico. 
Vamos seguir os mesmos passos, agora em outro exemplo. Julieta, completou 55 
anos, mas tem 35 anos de contribuição. Deseja aposentar por tempo de contribuição. 
Observe que ela já atende aos requisitos para o benefício. Neste caso, é obrigatória a 
utilização do FP, além disso, no caso de mulheres, para efeito de calculo do FP, 
acrescenta-se 5 anos à contribuição dela, para que equipare-se conforme o proposto em 
lei. Considere que o salário-de-contribuição dela era igual ao de Eduardo, R$900,00. 
Assim: 
1º - Sabe-se que o benefício de aposentadoria por tempo de contribuição 
corresponde a 100% do SB; 
 2º - O SB, neste caso, corresponde aos 80% maiores salários-de-contribuição. No 
caso, 35 anos de contribuição (+5 anos por ser mulher), 480 contribuições com a base de 
R$900,00. 
 40 anos = 480 contribuições 
 80% das 384 contribuições = 384 contribuições 
 (384 X R$900,00) dividido por 384 = corresponde à média aritmética simples 
das contribuições, chegando ao valor de R$900,00 
 3º - Multiplica-se o SB (R$900,00) pelo Fator Previdenciário (FP) 
 
 Tc = 35 anos + 5 anos por ser mulher 
143 
Direito Previdenciário para o Concurso do INSS 
Elaborado por Ricardo Gomes de Souza e Silva – Acesse: www.preparatoriopopular.com.br 
Es = 55 anos, igual a 19,6 (consultar tabela IBGE autalizada) 
Id = 65 anos 
A = 0,31 
Logo, 
f= 40 X 0,31 X [ 1 + (55 + 40 X 0,31) ] 
19,6 100 
f= 12,4 X [ 1 + (55 + 12,4) ] 
19,6 100 
f= 0,6326 X [ 1 + 67,4 ] 
100 
f= 0,6326 X [ 1 + 0,6740 ] 
Aplica-se o calculo, chegamos ao valor f= 0,6326 X 1,6740 = 1,06 
4º Multiplica-se o resultado do FP pelo SB, logo: 
R$900 X 1,06 = R$954,00 
 
5º Por fim, multiplica-se o SB pela alíquota correspondente ao benefício. No caso, 
aposentadoria por idade é de 100%, logo, o valor do benefício previdenciário de Julieta 
será de R$954,00 centavos. 
Assim atua o FP, necessário para que se mantenha o equilíbrio financeiro e atuarial 
do sistema previdenciário. Para os benefícios que não sofrem incidência do FP, a regra é 
mais simples, correspondendo à primeira parte dos exemplos anteriores. Por exemplo, 
Eduardo deseja requerer auxilio-doença, sabe-se que o valor do benefício será de 91% do 
SB, calculado da seguinte maneira: 
32 anos = 384 contribuições 
 80% das 384 contribuições = 307,2 contribuições 
 
Direito Previdenciário para o Concurso do INSS 
Elaborado por Ricardo Gomes de Souza e Silva – Acesse: www.preparatoriopopular.com.br 
 
 (307,2 X R$900,00) dividido por 307,2 = corresponde à média aritmética 
simples das contribuições, chegando ao valor de R$900,00 
Logo, o valor do benefício será de 91% x R$900,00 = R$819,00 
Além destes cuidados relacionados ao calculo do SB, vale ressaltar alguns pontos 
importantes da Lei nº 8.213/91, no art. 26: 
O valor do SB é limitado ao valor do salário-de-contribuição, nunca sendo inferior a 
um salário mínimo, nem superior ao do limite máximo do SC, que em 2014 é de 
R$4.390,24. Sendo considerados para cálculo do SB os ganhos habituais do segurado 
empregado, a qualquer título, sob forma de moeda corrente ou de utilidades, sobre os 
quais tenha incidido contribuições previdenciárias, exceto o décimo-terceiro salário 
(gratificação natalina). 
Não será considerado, para o cálculo do salário-de-benefício, o aumento dos 
salários-de-contribuição que exceder o limite legal, inclusive o voluntariamente 
concedido nos 36 (trinta e seis) meses imediatamente anteriores ao início do benefício, 
salvo se homologado pela Justiça do Trabalho, resultante de promoção regulada por 
normas gerais da empresa, admitida pela legislação do trabalho, de sentença normativa 
ou de reajustamento salarial obtido pela categoria respectiva. 
Se, no período básico de cálculo, o segurado tiver recebido benefícios por 
incapacidade, sua duração será contada, considerando-se como salário-de-contribuição, 
no período, o salário-de-benefício que serviu de base para o cálculo da renda mensal, 
reajustado nas mesmas épocas e bases dos benefícios em geral, não podendo ser inferior 
ao valor de 1 (um) salário mínimo. 
No caso do SB do segurado especial consiste no valor equivalente ao salário-
mínimo. 
O valor mensal do auxílio-acidente integra o salário-de-contribuição, para fins de 
cálculo do salário-de-benefício de qualquer aposentadoria. 
 
SIMULADO 
145 
Direito Previdenciário para o Concurso do INSS 
Elaborado por Ricardo Gomes de Souza e Silva – Acesse: www.preparatoriopopular.com.br 
 
5.2 Fato gerador do benefício, Período de Carência 
 
FCC - 2012 - INSS - Técnico do Seguro Social - João fora casado com Maria, com quem teve três filhos, João 
Junior, de 22 anos e universitário; Marília, com 18 anos e Renato com 16 anos, na data do óbito de João, 
ocorrido em dezembro de 2011. João se divorciara de Maria que renunciou ao direito a alimentos para si. 
Posteriormente, João veio a contrair novas núpcias com Norma, com quem manteve união estável até a 
data de seu óbito. Norma possui uma filha, Miriam, que mora com a mãe e foi por João sustentada. Nessa 
situação, são dependentes de João, segundo a legislação previdenciária: 
 
a) João Junior, Marília e Renato. 
b) João Junior, Maria, Marília, Renato e Norma. 
c) Marília, Renato, Miriam e Norma. 
d) Maria, João Junior, Marília, Renato e Norma. 
e) João Junior, Marília, Renato, Maria, Norma e Miriam. 
 
 
 
 
Este capítulo foi elaborado a fim de facilitar a compreensão para o capítulo posterior. 
O conceito será apresentada apenas de forma ilustrativa, pois o que realmente importa para 
o concurso é que se compreenda como cada um será aplicado. 
Iniciamos falando sobre o Fato Gerador (FG) do benefício, que nada mais é do que a 
condição que dá direito ao recebimento do benefício previdenciário. Por exemplo, para o 
benefício de aposentadoria por idade, considera-se FG o segurado ter atingido a idade 
mínima requerida. Isso impede que o segurado em qualquer idade solicite o benefício. 
Aliado ao FG, encontra-se o Período de Carência, que corresponde ao número de 
contribuições mensais mínimas que o segurado deve efetivar para ter direito. A carência, 
junto ao fato gerador, são pré-requisitos à concessão do benefício, de forma que não adianta 
atingir a idade mínima para aposentadoria caso não tenha atingido a carência mínima 
necessária. 
No caso do Segurado Especial (diga-se excepcionalmente neste caso), considera-se o 
período de carência o tempo mínimo de efetivo exercício de atividade rural, ainda que