A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Aula_06_AT

Pré-visualização | Página 2 de 4

Morava só com meu filho, pagando aluguel, ganhava pouco e fui convidada para a festa de aniversário de uma grande amiga. O problema é que não tinha dinheiro messmoooooo.
Fui a uma relojoaria à procura de uma pequena jóia, ou bijouteria mesmo, algo assim, e pedi à balconista:
- Queria ver alguma coisa bonita e barata, para uma grande amiga!
Ela me mostrou algumas peças realmente caras, que na época eu não podia pagar. Então eu pedi:
- Posso ver o que vc tem, assim... alguma coisa mais baratinha? e a moça me trouxe um pingente folheado à ouro...bonito e barato.
Eu gostei e levei.
Quando chegamos ao aniversário, (eu e meu filho) fomos cumprimentar minha amiga, que ao abrir o presente disse:
- Nossa, muito obrigada!!!!! que coisa linda!!!!!
E meu filho na sua inocência de criança bem pequena, sem saber bem o que significava a expressão "baratinha" completou:
-E era a mais baratinha que tinha!!!. :-((
a) Qual o gênero textual de Sinceridade de Criança: é um conto ou uma crônica?
	- Trata-se de uma crônica.
b) Que características determinam sua escolha?
	- As características gerais de uma crônica são: a) Relação com a vida cotidiana; b) Narrativa informal, familiar e intimista; c) Uso da oralidade na escrita: linguagem coloquial; d) Uso do humor. 
_____________________________________________________________________________________
Na aula anterior, tratamos de alguns textos argumentativos. Textos desse tipo têm um objetivo principal: convencer o outro de que seu ponto de vista está correto. Isto pode ser feito de várias maneiras. Porém, existe um ambiente de extrema formalidade em que o autor do texto precisa convencer, persuadir o outro a pensar como ele, pois, assim, ele ganhará a causa. Esse é o ambiente jurídico. 
 Apresentaremos, a seguir, um texto típico do mundo jurídico: a petição, uma forma de pedir, de reivindicar através da fundamentação na lei.
CABEÇALHO
EXMO. SR. DR. JUIZ DA VARA DO TRABALHO DA 1* REGIÃO – RIO DE JANEIRO/RJ
MARIA DAS DORES, brasileira, casada, atendente, portadora da carteira de identidade n* ____________________ e CTPS n* _________________, série______________, inscrita no CPF n*_________________e PIS_____________, Filha de __________________, residente e domiciliada na___________________________, CEP:_______________, Vem por seu advogado, com endereço profissional_____________________________________, propor a presente
RECLAMAÇÃO TRABALHISTA
pelo rito ______________________, em fase de ______________________, inscrita no CNPJ sob n* ____________ estabelecida na _____________________, CEP:___________________, pelos fatos e fundamentos que se seguem: 
DOS FATOS
DA COMISSÃO DE CONCILIAÇÃO PRÉVIA
Compareceu a Reclamante ao sindicato de sua categoria profissional, não tendo sido realizada tentativa de cordo em razão de não ter sido instituída a Comissão de Conciliação prévia no âmbito daquele órgão.
DOS FATOS
A Reclamante foi admitida pela Reclamada em ______, para exercer a função de atendente, recebendo como última e maior remuneração o valor de ______, sem anotação em sua CTPS, vindo a ser demitida sem justa causa em ______, sem que lhe fossem pagas as verbas rescisórias a que fazia jus.
Sua jornada de trabalho era de segunda a segunda de 09:00h até as 17:00h, com uma folga semanal, sendo uma destas um domingo ao mês.
DOS FUNDAMENTOS
DOS FUNDAMENTOS
DO VINCULO EMPREGATÍCIO: 
A Reclamante exercia suas funções de forma subordinada para a Reclamada, com pessoalidade, recebendo como contraprestação salário, preenchendo todos os requisitos para a configuração do vinculo empregatício.
A relação empregatícia é a figura do empregado emergem como resultado da combinação, em um certo contexto sociojurídico, dos cinco elementos fático-jurídicos: a) prestação de trabalho por pessoa física a um tomador qualquer; b) prestação efetuada com pessoalidade pelo trabalhador; c) também efetuada como não eventualidade; d) efetuada ainda com subordinação ao tomador dos serviços; e) prestação de trabalho efetuada com onerosidade.
A CLT aponta esses elementos em seu art. 3*:
ART. 3* - Considera-se empregado toda pessoa física que prestar serviço de natureza não eventual ao empregador, sob a dependência dele e mediante salário.
Já no ART. 2* do mesmo diploma legal, define a figura do empregador como
ART. 2* - Considera-se empregador a empresa, individual ou coletiva, que, assumindo os riscos da atividade econômica, admite, assalaria e dirige a prestação de serviços.
Logo temos que empregado é todo trabalhador não eventual, cujo trabalho é prestado intuitu personae (pessoalidade) por pessoa física, em situações de subordinação, com onerosidade.
Pelo exposto acima, demonstrando está que a Reclamante sempre atuou como empregada da Reclamada, preenchendo todos os requisitos necessários para a determinação do vínculo empregatício. 
DO VALOR A SER PAGO
DO SALDO SALARIAL NÃO PAGO
Existe saldo salarial inadimplido correspondente ao mês ______, no montante de R$ ______, valor este que não foi pago à reclamante, devendo a reclamada proceder ao seu pagamento na audiência inaugural, sob pena do pagamento do valor em dobro conforme impõe o ART. 467 da CLT.
DO AVISO PRÉVIO E DO FGTS
Não houve comunicação de aviso prévio e não lhe foram pagas as verbas rescisórias que fazia jus, como previa o ART. 477,inciso 6* da CLT, sendo certo que a reclamada, durante todo o pacto laboral, não efetuou nenhum deposito sob tal rubrica em conta fundiária da reclamante.
Deste modo, é aplicável não só a multa devida pelo retardo no pagamento das verbas rescisórias, mas conforme determina o ART. 477 inciso 8*, da CLT, mas também o pagamento das verbas atinentes ao aviso prévio e FGTS, neste último caso incidindo sobre o período de aviso prévio devido, tudo na forma do ART. 487 do mesmo diploma legal e do Enunciado n* 305 do TST, importâncias que devem ser acrescidas da multa de 40% em razão da demissão imotivada.
DA GRATIFICAÇÃO NATALINA
Trata-se de gratificação natalina aquela que corresponde a 1/12 da remuneração devida em dezembro, por mês de serviço ou fração de 15 dias trabalhados a ser pago até dia 20 de dezembro, independente da remuneração que o empregado fizer jus, conforme dispõe o ART. 7*, VIII da CRFB. 
Sendo assim, faz jus a Reclamante à gratificação natalina proporcional na razão de 7/12 do ano de ____ e na razão de 3/12 do ano de ____, devido à projeção do aviso prévio.
DAS FÉRIAS
O descanso anual remunerado é consagrado em todas as legislações por questões médicas, familiares e sociais, previsto na CRFB no seu ART. 7*, XVII e na CLT no seu ART. 129.
Desta forma, faz jus a Reclamante a receber os valores referentes às férias proporcionais (__/12) acrescidas de 1/3 constitucional referente ao período ______, com a projeção do aviso prévio.
DO PEDIDO
DO PEDIDO
Diante do exposto, requer a V.Ex* a procedência dos pedidos elencados, aplicando-se o ART. 467, no que couber:
1.A concessão do beneficio da Gratuidade de Justiça;
2.O reconhecimento do vinculo empregatício entre a reclamante e a reclamada, no período de ___________, com a devida anotação na CTPS da Reclamante;
3.O pagamento das seguintes verbas, corrigidas monetariamente, aplicando-se o ART. 467 da CLT no que couber:
a. Saldo salarial do mês de ______, no valor de _______;
b. Aviso prévio no valor de ______, acrescido do FGTS sobre ele incidente, no valor de ______ na forma do Enunciado n* 305 do TST, totalizando ______;
c. Décimo terceiro salário proporcional de ____ (__/12) no valor de ______, acrescido do FGTS sobre ele incidente, no valor de ______ totalizando ______;
d. Férias proporcionais (__/12), no valor de ______, conforme disposto no Enunciado n* 171 do TST, acrescido de 1/3 (R$______), conforme ART. 7*, inciso XVII da CRF/88, no valor total de ______;
e. A entrega das guias do FGTS referente a todo o período laborado, ou o pagamento do mesmo diretamente à Reclamante, na importância de ______, importância a ser atualizada monetariamente e acrescida de juros;

Acesse esse e outros materiais grátis

Ao se conectar, você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade.

Já tem cadastro?