A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
1º Simulado para o XIX exame da OAB

Pré-visualização | Página 6 de 10

dividido entre Caio, Ana e João, em cotas iguais de R$ 
100.000,00 (cem mil reais).
B) Haja vista a ausência de escolha do regime de 
bens, aplicar-se-á a comunhão universal. Assim, João 
receberá R$ 300.000,00 (trezentos mil reais) à título 
de meação. O restante do patrimônio será dividido 
igualmente entre Caio e Ana, recebendo cada um R$ 
150.000,00 (cento e cinquenta mil reais), sem partici-
pação de João, que não concorrerá por conta do regi-
me de bens.
C) Haja vista a ausência de escolha do regime de bens, 
aplicar-se-á a comunhão parcial. Tendo em vista o re-
gime de bens, aliado ao fato de que todo o patrimônio 
fora adquirido na constância do casamento, João de-
verá receber toda a herança, sem nenhuma participa-
ção de Caio e Ana. De fato, estes apenas concorreriam 
caso houvesse bens particulares.
D) Haja vista a ausência de escolha do regime de 
bens, aplicar-se-á a comunhão parcial. Assim, no caso 
em análise o patrimônio deve ser igualmente dividido 
entre João, Caio e Ana, em cotas igualitárias. Cada um 
haverá de receber R$ 200.000,00 (duzentos mil reais).
DIREITO CIVIL
ROBERTO FIGUEIREDO
40. Sobre o direito de propriedade, assinale a op-
ção INCORRETA.
A) O proprietário tem a faculdade de usar, gozar e dis-
por da coisa, e o direito de reavê-la do poder de quem 
quer que injustamente a possua ou detenha.
B) O direito de propriedade deve ser exercido em 
consonância com as suas finalidades econômicas e 
sociais e de modo que sejam preservados, de confor-
midade com o estabelecido em lei especial, a flora, a 
fauna, as belezas naturais, o equilíbrio ecológico e o 
patrimônio histórico e artístico, bem como evitada a 
poluição do ar e das águas.
C) A propriedade do solo abrange a do espaço aéreo 
e subsolo correspondentes, em altura e profundidade 
úteis ao seu exercício, podendo o proprietário opor-
-se a atividades que sejam realizadas, por terceiros, 
a uma altura ou profundidade tais, que não tenha ele 
interesse legítimo em impedi-las.
D) A propriedade do solo não abrange as jazidas, 
minas e demais recursos minerais, os potenciais de 
energia hidráulica, os monumentos arqueológicos e 
outros bens referidos por leis especiais. O proprietá-
rio do solo tem o direito de explorar os recursos mine-
rais de emprego imediato na construção civil, desde 
que não submetidos a transformação industrial, obe-
decido o disposto em lei especial.
41. Acerca do instituto da usucapião, assinale a al-
ternativa correta.
A) Aquele que, por cinco anos, sem interrupção, nem 
oposição, possuir como seu um imóvel, adquire-lhe 
a propriedade, independentemente de título e boa-
-fé; podendo requerer ao juiz que assim o declare por 
sentença, a qual servirá de título para o registro no 
Cartório de Registro de Imóveis.
B) Aquele que, sendo proprietário de imóvel rural ou 
urbano, possua como sua, por cinco anos ininterrup-
tos, sem oposição, área de terra em zona rural não 
superior a cinquenta hectares, tornando-a produti-
va por seu trabalho ou de sua família, tendo nela sua 
moradia, adquirir-lhe-á a propriedade.
C) Aquele que possuir, como sua, área urbana de até 
duzentos e cinqüenta metros quadrados, por cinco 
anos ininterruptamente e sem oposição, utilizando-
-a para sua moradia ou de sua família, adquirir-lhe-á 
o domínio, desde que não seja proprietário de outro 
imóvel urbano ou rural.
D) Aquele que exercer, por 5 (cinco) anos ininterrup-
tamente e sem oposição, posse direta, com exclusivi-
dade, sobre imóvel urbano de até 250m² (duzentos e 
cinquenta metros quadrados) cuja propriedade dívida 
com ex-cônjuge ou ex-companheiro que abandonou 
o lar, utilizando-o para sua moradia ou de sua família, 
adquirir-lhe-á o domínio integral, desde que não seja 
proprietário de outro imóvel urbano ou rural.
DIREITO CIVIL
CRISTIANO SOBRAL
42. Acerca da interpretação dos negócios jurídi-
cos e do princípio da boa-fé objetiva, assinale a 
opção correta.
A) A boa-fé objetiva limita os direitos subjetivos e 
constitui fonte de obrigação aos contratantes, de for-
ma a estabelecer deveres implícitos que não estão 
previstos expressamente no contrato.
B) Os negócios jurídicos que estabeleçam benefício 
devem ter interpretação ampla.
C) De acordo com o Código Civil de 2002, não é per-
mitido que o silêncio de um dos participantes seja in-
terpretado como caracterizador de concordância com 
o negócio.
www.cers.com.br
1o SIMULADO OAB XIX - 1a FASE
16
D) A boa-fé objetiva importa para a interpretação dos 
contratos, mas não pode ser fundamento para relati-
vização da força obrigatória das avenças.
43. No que se refere à posse, assinale a opção correta.
A) Configura-se constituto-possessório quando o pro-
prietário da coisa aliena esse direito e permanece na 
posse direta da coisa, de modo que aquele que pos-
suía em seu próprio nome, passa a possuir em nome 
de outrem.
B) A posse do imóvel não faz presumir a das coisas 
móveis que nele estiverem.
C) A posse violenta ou clandestina é injusta, e a obtida 
a título precário pode ser considerada justa.
D) O possuidor indireto é aquele que, achando-se em 
relação de dependência para com outro, conserva a 
posse em nome deste e em cumprimento de ordens 
ou de instruções suas.
ESTATUTO DA CRIANÇA E DO 
ADOLESCENTE (ECA)
CRISTIANE DUPRET
44. Em relação aos prazos previstos no ECA, é cor-
reto afirmar que:
A) 15 dias, em regra, é o prazo para o Ministério Pú-
blico ingressar com ação de destituição do poder fa-
miliar após recebimento de relatório que constate 
impossibilidade de reintegração da criança à família 
de origem.
B) 120 dias, no máximo, é o prazo para conclusão 
de procedimento de perda ou de suspensão de po-
der familiar.
C) 48 horas é o prazo para que entidade de atendi-
mento apresente adolescente infrator a representan-
te do Ministério Público, quando for impossível apre-
sentação imediata.
D) 45 dias, prorrogáveis uma vez, é o prazo para con-
clusão de procedimento de apuração de ato infracio-
nal, devendo o adolescente estar, durante esse perío-
do, internado provisoriamente.
45. No que se refere aos crimes e às infrações ad-
ministrativas previstos no ECA, assinale a opção 
correta.
A) De acordo com o STJ, o crime de corrupção de me-
nores é de natureza formal, bastando a participação 
do menor de dezoito anos de idade na prática de in-
fração penal para que haja a subsunção da conduta 
do agente imputável ao correspondente tipo descrito 
no ECA.
B) O ECA prevê, na modalidade culposa, o crime de 
omissão na liberação de criança ou adolescente ile-
galmente apreendido.
C) Praticará crime material o agente que embaraçar a 
ação de autoridade judiciária, de membro de conse-
lho tutelar ou de representante do MP no exercício de 
função prevista no ECA.
D) O crime de descumprimento injustificado de prazo 
fixado no ECA em benefício de adolescente privado de 
liberdade é crime culposo e plurissubsistente.
DIREITO DO CONSUMIDOR
CRISTIANO SOBRAL
46. Com relação ao direito do consumidor, assina-
le a opção correta.
A) A disregard doctrine não tem aplicação no Código 
de Defesa do Consumidor.
B) A teoria menor da desconsideração da personali-
dade jurídica, adotada excepcionalmente no direito 
do consumidor, aplica-se com a mera prova de in-
solvência da pessoa jurídica para o pagamento de 
suas obrigações.
C) Demonstrando os sócios e/ou administradores da 
pessoa jurídica uma administração isenta de culpa ou 
dolo, ficam isentos de qualquer responsabilidade por 
eventual dano causado ao consumidor por ela.
D) A teoria maior da desconsideração da personali-
dade jurídica, adotada como regra geral pelo Código 
de Defesa do Consumidor, exige, além da demonstra-
ção de estar a pessoa jurídica insolvente para cumprir 
suas obrigações, também prova do desvio de finalida-
de, ou a demonstração de