A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
1º Simulado para o XIX exame da OAB

Pré-visualização | Página 8 de 10

habeas corpus ou habeas 
data, sempre que, ilegalmente ou com abuso de 
poder, qualquer pessoa física ou jurídica sofrer 
violação ou tiver justo receio de sofrê-la por par-
te de autoridade.
Acerca do mandado de segurança coletivo, é cor-
reto afirmar que:
A) Pode ser impetrado em defesa de direitos líquidos 
e certos que pertençam a apenas parte dos mem-
bros de uma categoria ou associação, substituídos 
pelo impetrante.
B) A sentença de procedência produz efeitos erga om-
nes, não limitando seus efeitos aos membros da cate-
goria substituídos pelo impetrante.
C) Não induz litispendência para as ações individuais, 
de forma que os efeitos da coisa julgada beneficiam o 
impetrante individual, ainda que não requeira a desis-
tência de seu mandado de segurança.
D) A interposição de embargos infringentes é admiti-
da para fins de exercício da ampla defesa.
58. Com relação ao procedimento da execução por 
quantia certa, contra devedor solvente, fundado 
em título extrajudicial, é correto afirmar que:
A) O executado é citado para, no prazo de três dias, 
apresentar embargos.
B) O credor só pode indicar os bens a serem penhora-
dos se o executado não se manifestar no prazo legal, 
após ser citado.
C) O juiz pode, de ofício, e a qualquer tempo, determi-
nar a intimação do executado para indicar bens pas-
síveis de penhora.
D) O juiz somente fixará os honorários de advogado 
a serem pagos pelo executado ao fim do processo 
de execução.
DIREITO PENAL
GEOVANE MORAES
59. Sobre o princípio da insignificância indique 
a alternativa que não apresenta vetor elenca-
do pelo Supremo Tribunal Federal para o seu 
reconhecimento:
A) Mínima ofensividade
www.cers.com.br
1o SIMULADO OAB XIX - 1a FASE
20
B) Periculosidade da ação
C) Reduzido grau de reprovabilidade do 
comportamento
D) Inexpressividade da lesão jurídica produzida.
60. No dia 03 de janeiro de 2016, na cidade de Juiz 
de Fora, Naldo, nascido em 28 de fevereiro de 
1998, encontrou seu inimigo Raul na rua e desfe-
riu diversos disparos de arma de fogo em seu pei-
to, objetivando matá-lo. As pessoas que viram os 
fatos, avisaram aos familiares da vítima, que op-
taram por transferi-lo para Belo Horizonte, onde 
foi operado. No dia 05 de janeiro do ano corrente, 
Raul não resistiu aos ferimentos causados pelos 
disparos e veio a falecer ainda no hospital de Belo 
Horizonte. Diante das informações apresentadas 
na situação hipotética acima e com base no Códi-
go Penal Brasileiro sobre o tempo e lugar do cri-
me, é correto afirmar que Naldo será considerado:
A) Imputável, uma vez que o Código Penal Brasileiro 
adota a Teoria da Atividade, quanto o tempo do crime 
e, Teoria da Ubiquidade, quanto lugar do crime.
B) Inimputável, uma vez que o Código Penal Brasileiro 
adota a Teoria da Atividade, quanto o tempo do crime 
e, Teoria da Ubiquidade, quanto lugar do crime.
C) Imputável, uma vez que o Código Penal Brasileiro 
adota a Teoria do Resultado, quanto o tempo do cri-
me e, Teoria da Ubiquidade, quanto lugar do crime.
D) Inimputável, uma vez que o Código Penal Brasilei-
ro adota a Teoria da Ubiquidade, quanto o tempo do 
crime e, Teoria da Atividade, quanto lugar do crime.
61. Dandara, maior e capaz, desconfiou que es-
tava grávida, razão pela qual, adquiriu um teste 
de gravidez em uma farmácia próxima ao seu tra-
balho. Nervosa, decidiu ler a bula constante den-
tro da caixa do mencionado teste, onde entendeu 
que se o resultado marcasse (01) uma listra azul, 
o teste seria positivo e, ela estaria grávida. Toda-
via, a informação correta constante na bula, era 
que seria positivo se apresentasse (02) duas listras 
azuis. Minutos depois realiza o teste, aparecendo 
uma listra. Acreditando que estava grávida, com-
pra clandestinamente um remédio para abortar 
o feto. Meses depois, fica constatado que Danda-
ra nunca esteve grávida. Diante das informações 
apresentadas, Dandara:
A) Responderá penalmente pelo crime de aborto.
B) Responderá penalmente pelo crime de infanticídio.
C) Responderá penalmente pelo crime de homicídio 
culposo.
D) Não responderá por crime algum, pois incorreu no 
instituto do crime impossível.
62. Maria, maior e capaz, fez uma visita à Vanessa, 
sua vizinha. Percebendo que ela estava muito tris-
te, pois tinha sido despedida do emprego e estan-
do muito endividada. Desesperada, Vanessa pediu 
um conselho à Maria. Maria informou que teria 
uma solução, o único jeito seria Vanessa se matar. 
Ainda muito triste, Vanessa diz que essa seria uma 
excelente ideia, mas não tinha noção de como fa-
ria. Maria explicou que ela deveria adquirir a 
substância "x". Após a aquisição, bastava mistu-
rar no suco ou num copo de leite e depois ingerir. 
Em menos de 10 segundos ela apagaria. Comple-
tou dizendo que ela não sentiria dor e a morte se-
ria instantânea. Vanessa adquiriu a mencionada 
substância, fez todo o procedimento ensinado por 
Maria, vindo a óbito. Diante das informações apre-
sentadas, Maria responderá pelo crime de:
A) Homicídio doloso.
B) Induzimento, instigação ou auxílio ao suicídio, por 
ter induzido à vítima.
C) Perigo para a vida ou saúde de outrem
D) Lesão corporal seguida de morte.
63. Marvin, maior e capaz, entra na casa de Tiago, 
que estava vazia, foi até o escritório da residência, 
subtraindo dinheiro e joias que estavam no cofre. 
Quando estava prestes a sair, ao se dirigir à ga-
ragem da residência, foi flagrado por Tiago, que 
voltou do trabalho mais cedo. Assim, objetivando 
assegurar a posse dos valores e bens subtraídos, 
apontou o revólver para Tiago e o ameaçou, con-
seguindo assim se evadir do local. Diante da situ-
ação hipotética apresentada, responda, de acordo 
com o Código Penal Brasileiro, Marvin incorreu no 
crime de:
A) Roubo impróprio.
B) Furto.
C) Roubo próprio.
D) Furto e ameaça, em concurso material de crimes.
64. Mariano, maior e capaz, antes mesmo de ser 
empossado no concurso que passou, para provi-
mento do cargo de Policial Rodoviário Federal, 
durante uma festa muito badalada na cidade, se 
valendo da função que iria assumir, solicita dos 
organizadores do evento sua entrada na mencio-
nada festa sem que este viesse a pagar pela en-
trada que custava R$ 500,00 (quinhentos reais). 
Com base nas informações fornecidas na questão, 
a conduta de Mariano:
A) É atípica.
B) Caracteriza crime de concussão.
www.cers.com.br
1o SIMULADO OAB XIX - 1a FASE
22
C) Caracteriza crime de corrupção passiva.
D) Caracteriza crime de prevaricação.
DIREITO PROCESSUAL PENAL
ANA CRISTINA
65. Rubens está sendo processado pela prática do 
crime de roubo, estando preso cautelarmente. Em 
virtude de um erro cartorário, não foi solicitada 
sua requisição para o dia designado para audiên-
cia de instrução e julgamento, de modo que o acu-
sado não compareceu. Diante disso, o juiz, contra 
a vontade do advogado de Rubens, realizou a oi-
tiva das testemunhas de acusação e defesa, mas 
adiou o interrogatório. Considerando os fatos nar-
rados, é correto afirmar que o magistrado:
A) Agiu corretamente, pois a presença do réu é apenas 
indispensável para realização de seu interrogatório;
B) Não agiu corretamente, pois deveria apenas ouvir 
as testemunhas de acusação, mas não as de defesa 
sem a presença do réu;
C) Não agiu corretamente, pois a ausência de requisi-
ção do réu para audiência sem fundamentação gera 
nulidade, que foi arguida de imediato pelo advogado;
D) Agiu corretamente, pois a ampla defesa exige ape-
nas a presença da defesa técnica na audiência de ins-
trução e julgamento, sendo a requisição dispensável.
66. O Código de Processo Penal prevê o desafora-
mento do julgamento pelo Tribunal do Júri. Sobre 
o tema, é correto afirmar:
A) O desaforamento, por privilegiar a imparcialida-
de do julgamento, deverá ser deferido