A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Apostilas do IBGE

Pré-visualização | Página 5 de 50

logo se sobrepõe a critérios alternativos e o resultado final é uma sociedade na qual as diferenças entre ricos e pobres 
se tornam cada vez mais acentuadas”.
11-A
(A) um ato de interação e de desalojamento de sentidos cristalizados. (Correta)
(B) uma atividade em que a contribuição pessoal está ausente.
Errada. “Ler é fazer a experiência da “retomada do pensamento de outrem através de sua palavra”, é uma reflexão em outrem, 
que enriquece nossos próprios pensamentos”.
(C) uma reprodução automatizada de sentidos da ideologia dominante.
Errada, não há ideologia dominante. “Ler é fazer a experiência da “retomada do pensamento de outrem através de sua palavra”, 
é uma reflexão em outrem, que enriquece nossos próprios pensamentos”.
Didatismo e Conhecimento 9
LÍNGUA PORTUGUESA
(D) um processo prejudicado pela insensibilidade do escritor.
Errada. Ler é ter muita sensibilidade, “é uma reflexão”.
(E) um produto em que o posicionamento do outro se neutraliza.
Errada. “Ler é fazer a experiência da “retomada do pensamento de outrem através de sua palavra”, é uma reflexão em outrem, 
que enriquece nossos próprios pensamentos”.
12-C
(A) sua visão de mundo destoa do pensamento do escritor.
Errada. Não destoa, pois o “escritor me invade, passo a pensar de dentro dele e não apenas com ele...”
(B) seu mundo agora deixa de existir e vale o do escritor.
Errada. Seu mundo passa a existir junto com o mundo do autor. “O escritor me invade, passo a pensar de dentro dele e não 
apenas com ele...
(C) sua reflexão está integrada ao pensamento do escritor. (Correta)
(D) seu modo de pensar anula o pensamento do escritor.
Errada. Seu modo de pensar não anula a do autor, pois passa a pensar não apenas com ele, mas de dentro dele.
(E) seu pensamento suplanta a perspectiva do escritor.
Errada. Pois os dois pensam juntos.
13-B
A confirmação da alternativa “B” fica evidente nos parágrafos 02 e 03: “Os órgãos sensoriais que nos ligam ao mundo são 
altamente seletivos naquilo que acolhem e transmitem ao cérebro. O olho humano, por exemplo, não é capaz de captar todo o 
espectro de energia eletromagnética existente. Os raios ultravioleta, situados fora do espectro visível do olho humano, são, no 
entanto, captados pelas abelhas.
Seletividade análoga preside a operação dos demais sentidos: cada um atua dentro de sua faixa de registro, ainda que o grau de 
sensibilidade dos indivíduos varie de acordo com idade, herança genética, treino e educação. Há mais coisas entre o céu e a terra do 
que nossos cinco sentidos − e todos os aparelhos científicos que lhes prestam serviços − são capazes de detectar.”
E quando finaliza o texto: “É a brutal seletividade dos nossos sentidos que nos protege da infinita complexidade do Universo.”
14-D
I. Depreende-se do poema que é preciso mais do que apenas nosso desejo para a resolução de dificuldades. (Correta)
“mas problemas não se resolvem,
problemas têm família grande,
e aos domingos saem todos passear
o problema, sua senhora
e outros pequenos probleminhas”
II. Segundo o texto, o remorso deve ser evitado, bastando, para tanto, que não se evoque o passado a todo o momento. (Incorreta)
Pois, a gente gostaria
de ver nossos problemas
resolvidos por decreto
a partir desta data,
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela − silêncio perpétuo
extinto por lei todo o remorso
maldito seja quem olhar pra trás,
lá pra trás não há nada,
e nada mais
III. Infere-se do texto que as mágoas podem desaparecer na medida em que não forem cultivadas. (Incorreta)
a gente gostaria
de ver nossos problemas
resolvidos por decreto
a partir desta data,
Didatismo e Conhecimento 10
LÍNGUA PORTUGUESA
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela − silêncio perpétuo
extinto por lei todo o remorso
maldito seja quem olhar pra trás,
lá pra trás não há nada,
e nada mais
15-C
Aquela mágoa sem remédio seria, a partir desta data, considerada nula e, sobre ela, cairia um silêncio perpétuo.
II - SIGNIFICAÇÃO DAS PALAVRAS: SINÔ-
NIMOS, ANTÔNIMOS, HOMÔNIMOS E 
PARÔNIMOS.
Quanto à significação, as palavras são divididas nas seguintes categorias:
Sinônimos: são palavras de sentido igual ou aproximado. Exemplo:
- Alfabeto, abecedário.
- Brado, grito, clamor.
- Extinguir, apagar, abolir, suprimir.
- Justo, certo, exato, reto, íntegro, imparcial.
Na maioria das vezes não é indiferente usar um sinônimo pelo outro. Embora irmanados pelo sentido comum, os sinônimos 
diferenciam-se, entretanto, uns dos outros, por matizes de significação e certas propriedades que o escritor não pode desconhecer. 
Com efeito, estes têm sentido mais amplo, aqueles, mais restrito (animal e quadrúpede); uns são próprios da fala corrente, desata-
viada, vulgar, outros, ao invés, pertencem à esfera da linguagem culta, literária, científica ou poética (orador e tribuno, oculista e 
oftalmologista, cinzento e cinéreo).
A contribuição Greco-latina é responsável pela existência, em nossa língua, de numerosos pares de sinônimos. Exemplos:
- Adversário e antagonista.
- Translúcido e diáfano.
- Semicírculo e hemiciclo.
- Contraveneno e antídoto.
- Moral e ética.
- Colóquio e diálogo.
- Transformação e metamorfose.
- Oposição e antítese.
O fato linguístico de existirem sinônimos chama-se sinonímia, palavra que também designa o emprego de sinônimos.
Antônimos: são palavras de significação oposta. Exemplos:
- Ordem e anarquia.
- Soberba e humildade.
- Louvar e censurar.
- Mal e bem.
A antonímia pode originar-se de um prefixo de sentido oposto ou negativo. Exemplos: Bendizer/maldizer, simpático/antipático, 
progredir/regredir, concórdia/discórdia, explícito/implícito, ativo/inativo, esperar/desesperar, comunista/anticomunista, simétrico/
assimétrico, pré-nupcial/pós-nupcial.
Homônimos: são palavras que têm a mesma pronúncia, e às vezes a mesma grafia, mas significação diferente. Exemplos:
- São (sadio), são (forma do verbo ser) e são (santo).
- Aço (substantivo) e asso (verbo).
Didatismo e Conhecimento 11
LÍNGUA PORTUGUESA
Só o contexto é que determina a significação dos homônimos. A homonímia pode ser causa de ambiguidade, por isso é consi-
derada uma deficiência dos idiomas.
O que chama a atenção nos homônimos é o seu aspecto fônico (som) e o gráfico (grafia). Daí serem divididos em:
Homógrafos Heterofônicos: iguais na escrita e diferentes no timbre ou na intensidade das vogais.
- Rego (substantivo) e rego (verbo).
- Colher (verbo) e colher (substantivo).
- Jogo (substantivo) e jogo (verbo).
- Apoio (verbo) e apoio (substantivo).
- Para (verbo parar) e para (preposição).
- Providência (substantivo) e providencia (verbo).
- Às (substantivo), às (contração) e as (artigo).
- Pelo (substantivo), pelo (verbo) e pelo (contração de per+o).
Homófonos Heterográficos: iguais na pronúncia e diferentes na escrita.
- Acender (atear, pôr fogo) e ascender (subir).
- Concertar (harmonizar) e consertar (reparar, emendar).
- Concerto (harmonia, sessão musical) e conserto (ato de consertar).
- Cegar (tornar cego) e segar (cortar, ceifar).
- Apreçar (determinar o preço, avaliar) e apressar (acelerar).
- Cela (pequeno quarto), sela (arreio) e sela (verbo selar).
- Censo (recenseamento) e senso (juízo).
- Cerrar (fechar) e serrar (cortar).
- Paço (palácio) e passo (andar).
- Hera (trepadeira) e era (época), era (verbo).
- Caça (ato de caçar), cassa (tecido) e cassa (verbo cassar = anular).
- Cessão (ato de ceder), seção (divisão, repartição) e sessão (tempo de uma reunião ou espetáculo).
Homófonos Homográficos: iguais na escrita e na pronúncia.
- Caminhada (substantivo), caminhada (verbo).
- Cedo (verbo), cedo (advérbio).
- Somem (verbo somar), somem (verbo sumir).
- Livre (adjetivo), livre (verbo livrar).
- Pomos (substantivo), pomos (verbo pôr).
- Alude (avalancha), alude