Reciclagem - Ciclo de Vida e Sustentabilidade

Reciclagem - Ciclo de Vida e Sustentabilidade


DisciplinaPropriedades dos Materiais de Engenharia Ambiental7 materiais157 seguidores
Pré-visualização11 páginas
Reciclagem de PlReciclagem de Pláásticossticos
Fernando J. NovaesFernando J. Novaes
Dezembro de 2010Dezembro de 2010
Reciclagem de PlReciclagem de Pláásticossticos
Polilab Consultoria Polilab Consultoria 
Fernando J. NovaesFernando J. Novaes
Ciclo de Vida e SustentabilidadeCiclo de Vida e Sustentabilidade
Dezembro de 2010Dezembro de 2010
AgendaAgenda
\u2022\u2022 Mercado de reciclagem no BrasilMercado de reciclagem no Brasil
\u2022\u2022 Aspectos legais da reciclagemAspectos legais da reciclagem
\u2022\u2022 PlPláásticos Biodegradsticos Biodegradááveisveis
\u2022\u2022 Ciclo de Vida do Produto Ciclo de Vida do Produto -- EcodesignEcodesign
SustentabilidadeSustentabilidade
AvaliaAvalia çç ãoão
do Ciclo do Ciclo 
de Vida de Vida 
Linha do tempo na evoluLinha do tempo na evoluçção da ACVão da ACV
19631963
MidwestMidwest
ReasearchReasearch
InstituteInstitute --
MRI MRI --
RelatRelatóório rio 
CompartivoCompartivo
-- REPAREPA
19701970
Crise do petrCrise do petróóleoleo
RacionalizaRacionalizaçção do ão do 
consumo fontes consumo fontes 
energenergééticas e ticas e 
melhor utilizamelhor utilizaççãoão
de recursos de recursos 
naturais.naturais.
19741974
US US EnvironmentalEnvironmental
ProtectionProtection AgencyAgency--
EPA EPA 
O primeiro modelo O primeiro modelo 
do que conhecemos do que conhecemos 
hoje como ACV.hoje como ACV.
19851985 19911991 20002000
Estimar os Estimar os 
efeitos efeitos 
ambientais ambientais 
do uso de do uso de 
dois dois 
diferentes diferentes 
tipos de tipos de 
embalagens embalagens 
para para 
refrigerantes refrigerantes 
CocaCoca--Cola. Cola. 
Somente o Somente o 
sumsumáário foi rio foi 
publicado na publicado na 
revista revista 
ScienceScience
Magazine Magazine 
em 1976em 1976
Europa Europa --
ÁÁrea alimentar, rea alimentar, 
efetuar efetuar 
monitoramento do monitoramento do 
consumo de consumo de 
matmatéérias primas e rias primas e 
energia, geraenergia, geraçção ão 
de resde resííduos no duos no 
processo. Diretiva processo. Diretiva --
LiquidLiquid Food Food 
Container Container DirectiveDirective
19931993
SocietySociety ofof
EnvironmentalEnvironmental
ToxicologyToxicology andand
ChemistryChemistry (SETAC) (SETAC) 
Primeiros Primeiros 
trabalhos, trabalhos, 
necessidade de necessidade de 
padronizar e padronizar e 
sistematizar os sistematizar os 
critcritéérios e termos rios e termos 
da ACVda ACV
A ISO criou A ISO criou 
comitê tcomitê téécnico cnico 
TCTC--207 para 207 para 
elaborar elaborar 
normas de normas de 
sistema de sistema de 
gestão gestão 
ambiental e ambiental e 
suas suas 
ferramentas. ferramentas. 
1997/981997/98
ISO 14040ISO 14040
ISO 14041ISO 14041
ISO 14042ISO 14042
ISO 14043ISO 14043
20062006
ISO 14040ISO 14040
ISO 14044ISO 14044
World World 
EnergyEnergy
ConferenceConference
ReportReport
Energia Energia 
requerida requerida 
para para 
produzir produzir 
produtos produtos 
ququíímicosmicos
19691969
HistHistóórico sobre ACVrico sobre ACV
O primeiro estudo de que se tem referência foi desenvolvido em 1O primeiro estudo de que se tem referência foi desenvolvido em 1969 pela Coca Cola, que contratou o 969 pela Coca Cola, que contratou o MidwestMidwest ResearchResearch
InstituteInstitute (MRI) e depois Franklin & Assoc., para comparar os diferentes t(MRI) e depois Franklin & Assoc., para comparar os diferentes tipos de embalagens de refrigerante e selecionar qual ipos de embalagens de refrigerante e selecionar qual 
deles se apresentava como o mais adequado do ponto de vista ambideles se apresentava como o mais adequado do ponto de vista ambiental e de melhor desempenho com relaental e de melhor desempenho com relaçção ão àà preservapreservaçção ão 
dos recursos naturais. Este processo de quantificados recursos naturais. Este processo de quantificaçção da utilizaão da utilizaçção dos recursos naturais e de emissões utilizado pela Coca Cola,ão dos recursos naturais e de emissões utilizado pela Coca Cola,
nesse estudo, passou a ser conhecido como nesse estudo, passou a ser conhecido como -- ResourceResource andand EnvironmentalEnvironmental ProfileProfile AnalysisAnalysis -- REPA.REPA.
Um grande nUm grande núúmero de consultores passou a estudar a metodologia mero de consultores passou a estudar a metodologia RepaRepa, agregando novos crit, agregando novos critéérios que permitiram melhor rios que permitiram melhor 
ananáálise dos impactos ambientais. A partir de um estudo contratado plise dos impactos ambientais. A partir de um estudo contratado pelo Ministelo Ministéério do Meio Ambiente da Surio do Meio Ambiente da Suíçíça, foi introduzido a, foi introduzido 
na metodologia na metodologia RepaRepa um sistema de ponderaum sistema de ponderaçção que utilizava padrões de referência para a saão que utilizava padrões de referência para a saúúde humana e para agregar dados de humana e para agregar dados 
sobre os impactos ambientais. Em 1991, com base neste modelo forsobre os impactos ambientais. Em 1991, com base neste modelo foram desenvolvidos os primeiros software especam desenvolvidos os primeiros software especííficos para os ficos para os 
estudos de estudos de RepaRepa, os , os ÖÖkobasekobase I e II.I e II.
Nos anos subseqNos anos subseqüüentes, assistiuentes, assistiu--se a uma verdadeira guerra de estudos sobre ACV. Estudos sobre ose a uma verdadeira guerra de estudos sobre ACV. Estudos sobre os mesmos produtos ou s mesmos produtos ou 
serviserviçços foram realizados com modelos diferentes, encontrandoos foram realizados com modelos diferentes, encontrando--se resultados distintos, o que ocasionou confusão acerca da sua se resultados distintos, o que ocasionou confusão acerca da sua 
interpretainterpretaçção, pondoão, pondo--se em questão a sua validade. se em questão a sua validade. 
Este fato foi agravado pelo surgimento e proliferaEste fato foi agravado pelo surgimento e proliferaçção dos chamados Rão dos chamados Róótulos Ambientais. Inicialmente, estes eram atributulos Ambientais. Inicialmente, estes eram atribuíídos dos 
com base em apenas um aspecto ambiental do produto ou servicom base em apenas um aspecto ambiental do produto ou serviçço, não levando em considerao, não levando em consideraçção todas as fases do ciclo de vida ão todas as fases do ciclo de vida 
do produto. do produto. 
Os resultados controvertidos dessas iniciativas de rotulagem conOs resultados controvertidos dessas iniciativas de rotulagem conduziram duziram àà consideraconsideraçção da utilizaão da utilizaçção da Avaliaão da Avaliaçção do Ciclo de ão do Ciclo de 
Vida como um dos critVida como um dos critéérios para o seu desenvolvimento. Este novo uso da ACV, que tinharios para o seu desenvolvimento. Este novo uso da ACV, que tinha implimplíícita a comparacita a comparaçção entre ão entre 
produtos, ao mesmo tempo em que aparentemente era uma saprodutos, ao mesmo tempo em que aparentemente era uma saíída tecnicamente correta para o impasse dos rda tecnicamente correta para o impasse dos róótulos ambientais, tulos ambientais, 
tornava imperiosa a necessidade de se padronizar e sistematizar tornava imperiosa a necessidade de se padronizar e sistematizar a ACV.a ACV.
Em funEm funçção disso, a ão disso, a SocietySociety ofof EnvironmentalEnvironmental ToxicologyToxicology andand ChemistryChemistry (SETAC) iniciou os primeiros trabalhos de sistematiza(SETAC) iniciou os primeiros trabalhos de sistematizaçção ão 
e padronizae padronizaçção dos termos e critão dos termos e critéérios da ACV. Igualmente, em 1993, a rios da ACV. Igualmente, em 1993, a InternationalInternational OrganizationOrganization for for StandardizationStandardization (ISO) (ISO) 
criou o Comitê Tcriou o Comitê Téécnico TC 207 para elaborar normas de sistemas de gestão ambientacnico TC 207 para elaborar normas de sistemas de gestão