A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Esquemão de Direito Civil - Contrato estimatório - venda em consignação

Pré-visualização | Página 1 de 1

QUADRO-RESUMO: 
CONTRATO ESTIMATÓRIO (VENDA EM CONSIGNAÇÃO) 
 
 
 
CONCEITO 
- contrato pelo qual uma das partes (consignante) entrega bens 
móveis a outra (consignatário), que fica autorizada a vendê-los, 
pagando àquela o preço ajustado, salvo se preferir, no prazo 
estabelecido, restituir-lhe a coisa consignada. 
- vide Enunciado n. 32, da Jornada. 
- art. 534, CC. 
 
 
 
NATUREZA 
JURÍDICA 
- contrato bilateral. 
- contrato real – apenas se perfaz quando há tradição, isto é, 
quando a coisa é entregue ao consignatário. 
- contrato oneroso – porque o sacrifício patrimonial sentido por uma 
das partes tem como contraprestação uma vantagem 
correspondente. 
- contrato facultativo – não tendo por objeto senão uma só 
prestação, confere ao devedor a faculdade de substituí-lo por outra 
prestação. 
 
 
 
 
 
 
 
CARACTERÍSTICAS 
- denomina-se contrato estimatório tendo em vista a ênfase que se 
atribui a estimação do valor da coisa feita pelo consignante (preço 
de estima) e à confiança que deposita no consignatário. 
- a autorização para venda não é essencial para a caracterização 
desse contrato, pois o consignatário pode optar por adquirir a coisa 
para si ou simplesmente restituí-la. 
- não existe qualquer conseqüência jurídica pela não venda, seja 
por falta de empenho do consignatário, seja por não conseguir 
interessado em adquirir a coisa. 
- o consignatário não se exonera da obrigação de pagar o preço, se 
a restituição da coisa, em sua integridade, se tornar impossível, 
ainda que por fato a ele não imputável (art. 535, CC). 
- a coisa consignada não pode ser objeto de penhora ou seqüestro 
pelos credores do consignatário enquanto não for pago o preço em 
sua integralidade (art. 536, CC). 
- o consignante não pode dispor da coisa antes de lhe ser restituída 
ou de lhe ser comunicada a restituição (art. 537, CC)