A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
42 pág.
Processo Legislativo Federal - MÓDULO II

Pré-visualização | Página 1 de 8

MÓDULO II - PROPOSIÇÕES APRECIADAS PELO SF E PELA 
CD (CASAS SEPARADAS) - Introdução 
Este segundo módulo tem por objetivo mostrar os aspectos e rotinas dos 
procedimentos legislativos, bem como identificar situações ou formas de 
execução de tramitações. 
 
 
Objetivos 
 Identificar as características e a tramitação das diversas proposições 
legislativa; 
 reconhecer como são apreciadas as proposições em ambas as Casas 
Legislativas e suas deliberações. 
 
 
Unidade 1 - Proposições Legislativas 
PROPOSIÇÕES APRECIADAS PELO SENADO E PELA CÂMARA (CASAS 
SEPARADAS) 
 
PROJETO DE LEI 
 
Vamos começar pelas matérias que tramitam em Casas separadas. Nosso 
primeiro assunto são os projetos de lei. (As medidas provisórias serão 
objeto da UNIDADE 6) 
 
Os projetos de lei que têm origem no Senado - os Projetos de Lei do Senado 
(PLS) - e os projetos de lei que se originam na Câmara e vêm à revisão do 
Senado - os Projetos de Lei da Câmara (PLC) - podem ser de lei ordinária ou 
de lei complementar. A Constituição Federal explicita que dispositivos precisam 
ser complementados por um tipo ou outro de lei. Na forma, sua maior diferença 
é o quorum de aprovação: 
 para os projetos de lei ordinária, o quorum é de maioria simples de 
votos; 
 para os projetos de lei complementar, o quorum é de maioria absoluta 
de votos. 
 
PROJETO DE LEI DA CÂMARA - PLC (lei ordinária ou complementar) 
 
Qual a origem dos PLC? 
 
Os PLC podem ter origem em uma proposta de Deputado, de comissão da 
Câmara, do Presidente da República, do Supremo Tribunal Federal, de 
Tribunais Superiores, do Procurador-Geral da República, do Ministério Público 
ou, ainda, dos cidadãos. Enfim, os projetos de lei que vêm de fora do Poder 
Legislativo iniciam sua tramitação pela Câmara, vindo ao Senado para revisão. 
 
Os PLC, ao chegarem no Senado, são lidos no Período do Expediente da 
sessão plenária, deliberativa (ordinária ou extraordinária) ou não deliberativa, e 
são despachados, pelo Presidente, para uma ou mais comissões, segundo as 
competências dessas, para serem analisados e receberem parecer. No 
Senado, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania tem até vinte dias 
úteis para proferir parecer (as demais comissões têm quinze dias úteis). Esses 
prazos podem ser prorrogados, por igual período, através de uma comunicação 
do Presidente da Comissão à Mesa do Senado, a qual será lida no Período do 
Expediente. Nova prorrogação só pode ser concedida por prazo determinado e 
mediante requerimento que deve ser votado no Plenário do Senado. 
 
Uma vez emitido o parecer da Comissão, o projeto é enviado à Mesa para 
leitura no Período do Expediente, quando é numerado e tem início o prazo de 
cinco dias úteis para recebimento de emendas. Caso não existam emendas, o 
projeto está pronto para ser incluído na Ordem do Dia, a fim de ser discutido e 
votado em turno único. Se receber emenda, o projeto volta à Comissão ou às 
Comissões pelo prazo de quinze dias úteis (se houver mais de uma Comissão 
a se manifestar, o prazo corre em conjunto) para receber parecer sobre essas 
emendas. Dado o parecer, a matéria volta à Mesa para leitura e pode, a partir 
daí ser incluída na Ordem do Dia. Se o projeto for aprovado sem alteração ou 
com alteração somente de redação, ele vai à sanção do Presidente da 
República. Caso sofra alteração de mérito, essa alteração volta à Câmara para 
análise. 
Atenção 
Como já foi dito, se o projeto de lei ordinária, o quorum de votação é o de 
maioria simples de votos. Se for de lei complementar, é de maioria absoluta. 
 
Pág. 2 
 
Para que servem os autógrafos? 
 
Para encaminhar a redação oficial do que foi aprovado, quer para o Presidente 
da República, quer para a Câmara, o Senado prepara autógrafos desse texto. 
 
Então, autografo é o documento oficial que reproduz o que foi aprovado. 
 
PROJETO DE LEI DA CÂMARA (de origem do Presidente da República, 
com pedido de urgência constitucional - art. 64, CF) 
 
Qual é o prazo da urgência constitucional solicitada pelo Presidente da 
República para tramitação de projeto de lei de sua iniciativa? 
A urgência constitucional solicitada pelo Presidente da República para 
tramitação de projeto de lei de sua iniciativa prevê para a matéria o prazo de 
quarenta e cinco dias na Câmara e outros quarenta e cinco dias no Senado, 
sucessivamente. 
 
O projeto, quando chega da Câmara dos Deputados, é lido no Período do 
Expediente e distribuído às Comissões, como qualquer outro projeto. 
Entretanto, por estar tramitando em regime de urgência, o projeto recebe 
emendas de todos os Senadores apenas na primeira ou na única Comissão 
constante do despacho, pelo prazo de cinco dias úteis. Se mais de uma 
Comissão tiver que se manifestar a respeito do projeto, os prazos correm 
concomitantemente. Para emitir parecer, esses órgãos técnicos têm vinte e 
cinco dias. Caso não cumpram esse prazo, a matéria será incluída na Ordem 
do Dia e receberá parecer em plenário. 
 
Esgotado o prazo de quarenta e cinco dias sem que haja deliberação sobre o 
projeto, quer numa Casa, quer noutra, a proposição é incluída na Ordem do 
Dia, sobrestando-se a deliberação quanto aos demais assuntos (exceção feita 
às medidas provisórias, que têm precedência) até que se ultime sua votação, 
que se dará por maioria simples, se for projeto de lei ordinária, ou por maioria 
absoluta, se for de lei complementar. 
 
 
 
 
 
 
Pág. 3 
 
PROJETO DE LEI DO SENADO - PLS (lei complementar) (iniciativa de 
Senador) 
 
Vamos ver o passo a passo? 
 
 
1. Lido no Período do Expediente da sessão, o projeto é encaminhado às 
Comissões, que têm o prazo regimental (CCJ - vinte dias úteis; demais 
Comissões - quinze dias úteis) para emitir parecer. Uma vez aprovado pela 
Comissão, o parecer é remetido à Mesa para leitura em plenário, quando é 
numerado e determinada sua publicação em avulsos, como qualquer outra 
matéria dentro do Legislativo. É iniciado o prazo de cinco dias úteis para 
recebimento de emendas perante a Mesa. 
 
2. Caso existam emendas, o projeto volta para as Comissões (o prazo é de 
quinze dias úteis) para receber parecer sobre elas. Só depois estará pronto 
para ser agendado na Ordem do Dia. Não existindo emendas, desde já está 
pronto para entrar na pauta de deliberações. 
 
PROJETO DE LEI DO SENADO (lei ordinária ou complementar) (iniciativa 
de Comissão do Senado) 
 
Como todo projeto, este também é lido no Período do Expediente. Se a 
comissão tiver competência sobre aquela matéria, como o projeto já é de 
Comissão, tem início o prazo de cinco dias úteis para recebimento de emendas 
perante a Mesa. O projeto só voltará para a Comissão que lhe deu origem caso 
receba emendas. Ela, então, terá que se pronunciar a respeito das mesmas. 
 
Se não receber emendas, ou após a leitura do parecer sobre as que tiver 
recebido, a matéria encontra-se pronta para ser agendada na Ordem do Dia. 
Atenção 
A diferença entre o projeto de lei ordinária e o projeto de lei complementar é 
apenas quanto ao quorum de votação. 
 
 
Pág. 4 
 
Fonte: Agência Senado 
 
PROJETO DE LEI DO SENADO (PLS) (lei ordinária) (iniciativa de Senador) 
 
O projeto é lido no Período do Expediente e encaminhado a uma ou mais 
Comissões. 
 
As comissões podem apreciar esse tipo de projeto? 
 
A Constituição Federal de 1988 conferiu às Comissões poder de apreciar 
terminativamente esse tipo de projeto, ou seja, a regra geral é que esse projeto 
não venha a ser apreciado pelo Plenário do Senado, ficando apenas no âmbito 
das