Aula 2 - Histórico da etologia
37 pág.

Aula 2 - Histórico da etologia


DisciplinaEtologia235 materiais1.218 seguidores
Pré-visualização2 páginas
ETOLOGIA 
Estudo do COMPORTAMENTO animal 
\u201ctodo e qualquer ato executado 
por um animal, perceptível, ou 
não, ao universo sensorial 
humano\u201d 
ethos: costume, 
hábito, comportamento 
logos: estudo 
Gláucia Cogo 
Interesse por comportamento \u2013 homens das cavernas. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Charles Darwin: modelo teórico que possibilitou o 
estudo do comportamento do ponto de vista evolutivo. 
ETOLOGIA x PSICOLOGIA COMPARADA 
 Europa Estados Unidos 
 
Papel da natureza 
e biologia. 
Comportamento 
fundamentalmente 
aprendido - ambiente. 
Estudos em campo; 
Enfoque em animais silvestres; 
Sem enfoque no aprendizado; 
Descrição de estímulos naturais 
que provocam o comportamento 
instintivo. 
Estudos de laboratório; 
Enfoque em animais de laboratório; 
Enfoque no aprendizado; 
Estímulos artificiais: recompensa 
ou punição 
Lorenz X Skinner 
extremos no assunto inato/adquirido 
 
 
Década de 70 \u2013 integração entre os 
campos. 
 
 
A visão atual prevê a 
interação da predisposição 
biológica + modulação do 
ambiente. 
X 
Etologia moderna foi fundada por: 
 
Konrad Lorenz, Niko Tinbergen e Karl von Frisch 
Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina, 1973. 
 
 
Década de 70: surge a Ecologia Comportamental que revela 
as bases ecológicas e evolutivas do comportamento, 
demonstrando experimentalmente a ação de um 
comportamento sobre o valor adaptativo de um indivíduo. 
 
No final do séc. XIX: o estudo do comportamento animal 
teve amplo crescimento, com o início de três ramos: 
Etologia, Psicologia Comparada e Neurobiologia 
 
Konrad Lorenz 
Áustria, 1903-1989. 
 Fez estudos com diversos grupos 
de vertebrados, em ambiente natural. 
 Trabalhou com aprendizagem \u2013 
imprinting. 
Nikolaas Tinbergen 
Países Baixos, 1907-1988. 
 Desenvolveu suas 
pesquisas, principalmente 
sobre o comportamento 
instintivo ou adquirido para 
a sobrevivência do animal. 
 Experimento com aves. 
Karl von Frisch 
Trabalhou com invertebrados 
e peixes, demonstrando a 
notável capacidade sensorial 
dos mesmos. 
 
Trabalhos principalmente 
com abelhas, demonstrou 
que elas percebem cores, 
utilizando cartões coloridos. 
 
Áustria, 1886-1982. 
4 perguntas acerca do comportamento 
(proposta por Niko Tinbergen) 
1. CAUSA: Quais são os mecanismos que causam o comportamento? 
 Como as aves sabem que está no tempo de migrar? 
 Como elas encontram o caminho? 
 
2. DESENVOLVIMENTO OU ONTOGENIA: Como se desenvolve 
o comportamento? 
 As aves aprendem a rota a partir de outros ou já sabem desde a primeira vez? 
 
3. FUNÇÃO: Qual é o seu valor de sobrevivência? 
 Por que as aves migram? 
 Os custos da jornada se sobrepõem aos benefícios? 
 
4. EVOLUÇÃO OU FILOGENIA: Como o comportamento evoluiu? 
 Como começou a migração das aves? 
 
Respondendo as 4 perguntas de Tinbergen: 
CHORO DOS BEBÊS 
1. CAUSA: Quais são os mecanismos que causam o comportamento? 
Via hormonal 
 
2. DESENVOLVIMENTO: Como se desenvolve o comportamento? 
3 primeiros meses, sinaliza o estado interno do bebê 
9-12 meses, reflete medo da separação e frustração 
2 anos, redução da frequência 
 
3. FUNÇÃO: Qual é o seu valor de sobrevivência? 
Provocar o cuidado parental 
 
4. EVOLUÇÃO: Como o comportamento evoluiu? 
 Choro similar a de outros primatas 
NÍVEIS DE ANÁLISE DO COMPORTAMENTO 
CAUSAS PROXIMAIS (O que provoca? Como ocorre?) 
Mecanismos genéticos/ontogenéticos do comportamento 
 Efeito da hereditariedade no comportamento 
 Desenvolvimento de sistemas sensório-motores via interações gene-
ambiente 
Mecanismos sensório-motores 
 Sistema nervoso para a detecção dos estímulos ambientais 
 Sistema endócrino para ajustar a resposta a estímulos ambientais 
 Sistema esquelético-muscular para executar as respostas 
 
 
CAUSAS DISTAIS (Qual a vantagem? Como evoluiu?) 
Caminhos evolutivos que levaram ao comportamento atual 
 Origem do comportamento e suas mudanças no tempo. 
Processos seletivos que moldaram a história de um caráter 
comportamental 
 Vantagem passada e atual de um comportamento em termos de 
sucesso reprodutivo 
Teoria darwiniana e as hipóteses distais 
 As mudanças evolutivas são inevitáveis se 3 condições forem 
satisfeitas: 
 
 
1. VARIAÇÃO (de características entre membros de uma espécie) 
 
2. HEREDITARIEDADE (pais transmitem suas 
características à prole) 
 
 
3. SUCESSO REPRODUTIVO DIFERENCIAL 
(alguns produzindo mais descendentes vivos do 
que outros) 
TIPOS DE ESTUDO DO COMPORTAMENTO ANIMAL 
1. ESTUDOS DESCRITIVOS: a morfologia do comportamento 
 
 Não há necessidade da elaboração de hipóteses a priori. 
 
 Pode-se apenas observar e concluir. 
 
 A elaboração metodológica pode ser mais simples e o cuidado 
principal deve estar na amostragem e nas técnicas de 
observação. 
2. TESTES DE HIPÓTESES: investigação das relações entre 
variáveis 
 
 Procura-se responder perguntas sobre causas e condições 
nas quais os comportamentos ocorrem. Pode ser direcionado 
para o entendimento das relações entre variáveis. 
 Nesse tipo de estudo, a hipótese (ideia) vem antes da coleta 
de dados. 
 
Hipótese: no peixe pintado, a comunicação química é uma 
modalidade sensorial usada na comunicação intra-específica de 
estados de alerta. 
Predição: exemplares de pintado recebendo água de co-
específicos em condição de alerta reagirão com resposta de 
alerta. 
 
 O cientista usa experimentos para avaliar se nas condições 
preconizadas a predição ocorre. Resultado: corrobora ou nega. 
PASSOS PARA ESTUDAR COMPORTAMENTO ANIMAL 
 
1. PERGUNTA 
2. LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO E OBSERVAÇÕES 
PRELIMINARES 
3. METODOLOGIA 
4. COLETA DE DADOS 
5. ANÁLISE DOS DADOS 
6. INTERPRETAÇÃO DOS DADOS 
7. FIM? 
 
1. PERGUNTA 
 
 Elaborar perguntas que geram hipóteses, as quais 
determinarão os objetivos da pesquisa, seus delineamentos 
experimentais e a coleta de dados. 
 
 
2. LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO E OBSERVAÇÕES 
PRELIMINARES 
 
 Ler o máximo possível sobre a espécie; 
 
 Fazer um piloto anotando tudo que o animal faz (ad libitum) 
para conhecer o horário de atividade da espécie, seus atos 
comportamentais... 
 
3. METODOLOGIA 
 
4. COLETA DE DADOS 
 
 Depende da pergunta/objetivo do estudo. 
 Importante é escolher corretamente o método (técnicas de 
amostragem) e sistematizar suas observações. 
observação direta ou indireta 
Observação sem 
instrumentos 
Observação com instrumentos: 
binóculos, lupas, lunetas, 
filmadoras, ... 
1. Amostragem de todas as ocorrências (\u201cad libitum\u201d 
ou \u201call ocurrence sampling\u2019\u2019): 
 
 Se registra tudo que se está observando, tudo que o 
animal faz ou deixa de fazer. 
 
 Vantagens: 
Início de um estudo; 
Comportamentos raros e inesperados. 
TÉCNICAS DE AMOSTRAGEM 
2. Amostragem de sequências (sequence sampling) 
 
 Amostragem onde a ordem dos eventos é o que importa. 
 Deve ser usado quando um evento ocorre em etapas e 
cada detalhe é importante. Você não pode perder o animal 
de vista. 
 
Ex.: evento de predação. 
 Como o predador reage quando percebe a presença 
da presa? 
 O que ele faz na sequência? 
 Como se dá a aproximação, o ataque, a subjugação, 
a morte e ingestão da presa? 
3. Amostragem instantânea (snapshots, instantaneous 
sampling) 
 
 Indicado para comportamentos lentos ou quando há um 
grande número de indivíduos (ex.: colônia formigas); 
 
 Em intervalos regulares se faz uma \u201cfotografia\u201d, 
anotando os atos comportamentais exibidos pelos 
indivíduos em um minuto ou no tempo mais adequado. 
OU 
 Pode-se ter uma lista de comportamentos e durante 
alguns minutos verificar quantos indivíduos estão 
executando cada comportamento da lista. 
4. Amostragem animal focal (focal animal sampling)