Tabela do alfabeto fonético internacional

@portugues-i UFPE
#Tabela#Fonética

Pré-visualização

Tabela do alfabeto fonético internacional, em inglês.
Criada por Ictoon
O Alfabeto Fonético Internacional (AFI), em inglês International Phonetic Alphabet (IPA), foi originalmente desenvolvido por foneticistas britânicos e franceses sob os auspícios da Associação Fonética Internacional, estabelecida em Paris, em 1886. O alfabeto pretende ser uma notação padrão para a representação fonética de todas as linguagens. Sofreu revisões durante a história, incluindo algumas grandes, como a da convenção de Kiel (1989); a mais recente foi em 1993, com pequena alteração em 1996. A maioria das letras do alfabeto é originária do Alfabeto latino ou derivada dele, algumas são do alfabeto grego e outras não parecem pertencer a nenhum alfabeto.
Os símbolos do Alfabeto Fonético Internacional são divididos em três categorias: letras (que indicam os sons básicos), diacríticos (que especificam mais esses sons básicos) e supra-segmentais (que indicam características como velocidade, tom e acento tônico). Essas categorias são divididas em seções menores: as letras podem ser vogais ou consoantes e os diacríticos e supra-segmentais são classificados de acordo com o que indicam: articulação, fonação, tom, intonação ou acentuação tônica. De tempo em tempo símolos são adicionados, removidos ou modificados pela Associação Fonética Internacional.
Descrição 
Há duas maneiras de inserir os caracteres do alfabeto em textos:
quando queremos representar os fonemas, usamos a transcrição fonológica, com os caracteres entre barras e
quando queremos representar os sons dos fonemas, usamos a transcrição fonética, com os caracteres entre colchetes.
Quando inseridos em textos, eles devem ser separados por barras; por exemplo, dizemos que a pronúncia de sapo é /'sapu/. Colchetes também são aceitos para esta função.
Os valores dos sons das consoantes são idênticos aos do alfabeto latino, em muitos casos correspondem ao uso na língua portuguesa. Os símbolos das vogais são idênticos aos do alfabeto latino ([a], [e], [i], [o], [u]) correspondendo, grosso modo, às vogais da língua espanhola ou italiana. 
Alguns sons, como o [j], não representam o som na língua portuguesa que aparenta, mas o j alemão e neerlandês (ou holandês, como é geralmente conhecido). Em português, este som também existe, é o som que se faz em ditongos com "i" como na palavra "ideia"; o y corresponde ao y ou ü alemães ou ao u francês). O príncipio é usar um só símbolo por som e não como, por exemplo, na língua portuguesa, em que ch e rr, são combinações para um som.
Nos Estados Unidos da América, para representar os sons do inglês, muitos usam um alfabeto fonético diferente, chamado American transcription. Ele utiliza muitos símbolos diferentes dos IPA. O sistema americano foi concebido para usar diacríticos em vez de caracteres especiais, o que facilita muito para quem usa a computadores sem as fontes do IPA ou uma máquina de escrever. Contudo, com o uso crescente de computadores e processadores de texto que podem produzir os caracteres do IPA, o sistema de transcrição americano é aos poucos suplantado.
Abaixo temos os símbolos do alfabeto, em que preservamos a tabela original para garantir a fidedignidade. Para saber os códigos correspondentes no Unicode, veja AFI no Unicode. Para mais informações sobre os sons, veja Fonética.
Letras
As letras representam os sons básicos do AFI.
As letras que possuem correspondente no Alfabeto latino, geralmente recebem também fonema equivalente ao da mesma letra em algum idioma que as usa. Algumas delas aparecem também ligeiramente modificadas. Quando isso ocorre, correspondem a um som similar ao da letra base. Por exemplo, todas as consoantes retroflexas têm o mesmo símbolo que as consoantes alveolares equivalentes, exceto por adicionarem um "gancho" no canto inferior esquerdo da letra.
Diacríticos podem ser combinados com os símbolos do AFI para transcrever ligeiras modificações fonéticas ou articulações secundárias. Também há símbolos especiais para características supra-segmentais como a tonicidade e o tom.
As letras são classificadas em consoantes e vogais:
Consoantes  
Consoantes pulmonares  
Uma consoante pulmonar é produzida pela obstrução da glote ou da cavidade oral, deixando-se sair ar dos pulmões, simultaneamente ou em seguida. Todas as consoantes do português pertencem a esta categoria.
A tabela de consoantes pulmonares está arranjada em linhas que designam o modo de articulação e colunas que indicam em que ponto do trato vocal a consoante é produzida. A tabela principal inclui apenas consoantes com um só ponto de articulação.

	Ponto de articulação →
	Labial
	Coronal
	Dorsal
	Radical
	Glotal

	↓ Modo de articulação
	bilabial
	labio-
dental
	dental
	alveolar
	pós-
alveolar
	retroflexa
	palatal
	velar
	uvular
	faringeal
	glotal

	oclusiva
	p 
	b
	
	
	t 
	d
	
	ʈ 
	ɖ
	c 
	ɟ
	k 
	g
	q 
	ɢ
	
	
	ʔ
	

	nasal
	m
	ɱ
	
	n
	
	ɳ
	ɲ
	ŋ
	ɴ
	

	vibrante
	ʙ
	
	
	r
	
	
	
	
	ʀ
	
	

	vibrante simples
	
	
	
	ɾ
	
	ɽ
	
	
	
	
	

	fricativa
	ɸ 
	β
	f 
	v
	θ 
	ð
	s 
	z
	ʃ 
	ʒ
	ʂ 
	ʐ
	ç 
	ʝ
	x 
	ɣ
	χ 
	ʁ
	ħ 
	ʕ
	h 
	ɦ

	lateral fricativa
	
	
	ɬ 
	ɮ
	
	
	
	
	
	

	aproximante
	
	ʋ
	
	ɹ
	
	ɻ
	j
	ɰ
	
	
	

	aproximante lateral
	
	
	l
	
	ɭ
	ʎ
	ʟ
	
	


Observações:
Nas colunas onde alguns símbolos aparecem em pares, o símbolo da direita representa a consoante sonora e o da esquerda a surda (exceto [ɦ]). Entretanto, [ʔ] não tem contraparte sonora. Nas outras colunas, o único símbolo representa uma consoante sonora.
Embora exista um só símbolo para os locais de articulação coronais para todas as consoantes, exceto as fricativas, quando se lida com uma linguagem particular, os símbolos são tratados como especificamente alveolares, pós-alveolares etc., conforme for apropriado para essa língua. 
Os símbolos [ʁ, ʕ, ʢ] representam tanto fricativas sonoras quanto aproximantes.
É a forma tomada pela língua, mais que a posição, que distingue as fricativas [ʃ ʒ], [ɕ ʑ] e [ʂ ʐ]. 
Co-articulação 
Consoantes co-articuladas são fonemas nos quais duas consoantes individuais são pronunciadas ao mesmo tempo. Em português, o [w] em “guarda” é uma consoante co-articulada, pois os lábios são arrendondados ao mesmo tempo em que a parte posterior da língua é erguida. Outras línguas, como Francês e Sueco, têm outras consoantes co-articuladas.
	ʍ
	aproximante labial-velar sonora

	w
	aproximante labial-velar sonora

	ɥ
	aproximante labial-palatal sonora

	ɕ
	fricativa alvéolo-palatal (ou pós-alveolar) surda

	ʑ
	fricativa alvéolo-palatal sonora

	ɧ
	fricativa palatal-velar surda


Observações:
[ɧ] é descrita como “[ʃ] e [x] simultâneos”. Encontrada em Sueco, é o caso mais conhecido de uma possível fricativa articulada múltipla [ʃx ͡]. [1].
Africadas e dupla articulação  
Africadas e oclusivas duplamente articuladas são representadas por dois símbolos unidos por uma barra de ligação, acima ou abaixo dos símbolos. As seis africadas mais comuns são opcionalmente representadas por símbolos compostos especiais, mas estas não pertencem mais ao uso oficial da AFI, devido ao número excessivo de símbolos que seriam necessários para representar todas as africadas dessa maneira. 
Uma terceira maneira de transcrever esses fonemas usa a notação sobrescrita, por exemplo tˢ por ts͡, assim como kˣ ~ kx͡. 
Os símbolos para as palatais oclusivas, <c ɟ>, são freqüentemente usados como alternativa conveniente para [tʃ͡ dʒ͡] ou africadas similares, mesmo em publicações oficiais da AFI e precisam ser interpretados com cuidado. 
	Barra de ligação
	Símbolo composto
	Descrição

	ts͡
	ʦ
	africada alveolar surda

	dz ͡
	ʣ
	africada alveolar sonora

	tʃ͡
	ʧ
	africada pós-alveolar surda

	dʒ͡
	ʤ
	africada pós-alveolar sonora

	tɕ͡
	ʨ
	africada alvéolo-palatal surda

	dʑ͡
	ʥ
	africada alvéolo-palatal sonora

	tɬ͡
	–
	africada alveolar lateral surda

	kp͡
	–
	oclusiva labial-velar surda

Ainda não temos comentários aqui
Seja o primeiro!