A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Paleolítico Inferior

Pré-visualização | Página 2 de 2

produção de artefatos, sobretudo os líticos, é bastante 
homogênea. 
 A percussão direta, feita bifacialmente, cuja concepção inicial é oriunda da 
indústria Olduvaiense da África, foi a técnica recorrente e produziu um tipo muito 
característico e amplamente difundido de instrumento: o biface ou “machado de mão”. 
 
 
 
Esses artefatos atingiram seu maior grau de elaboração entre as variedades mais 
modernas (sapiens arcaicos) do Paleolítico Inferior europeu, recebendo o nome de 
indústria Acheulense. 
 No entanto, a cultura material não se resume somente nesses artefatos-tipo. Uma 
série de outros artefatos (raspadores, talhadores) foram fabricados a partir da mesma 
técnica de lascamento direto. Muitas lascas foram também usadas, brutas ou retocadas e 
existem evidências do uso da madeira como matéria-prima para a fabricação de outros 
artefatos. Fragmentos ou partes inteiras de lanças de madeira foram encontradas em 
 
2
 Recentemente existe uma tendência em suprimir o nome específico sapiens, ficando apenas Homo 
neanderthalensis, como uma subespécie do Gênero Homo. 
Técnica de lascamento e 
produção de um biface 
Acheulense 
 
 
5 
5 
Melka Kunturé (África), em Ambrona (Espanha), em Clacton (Inglaterra) e em 
Schöningen (Alemanha). Além disso, muitos artefatos líticos mostram vestígios de 
terem sido usados no beneficiamento da madeira. 
 
 
 
Outro elemento cultural extremamente significativo é o uso do fogo. O uso 
intencional do fogo está registrado em sítios como Melka Kunturé (África), Verteszöllos 
(Hungria), Chou-kou-tien (China) e Terra Amata (França). O uso do fogo tem, nesse 
contexto, um significado muito especial, já que possui um papel social importante no 
sentido de proteção e união do grupo. 
 
 Modos de Vida 
 São recorrentes os sítios localizados próximos a pontos de abastecimento de 
água (lagos, riachos) e próximos a fontes de matéria-prima lítica (especialmente 
depósitos de seixos). Em geral, os sítios encontrados estão representados por locais onde 
a matéria-prima era tecnologicamente transformada em artefatos (são os chamados 
“sítios-oficina”); raramente encontram-se sítios de habitação. Uma exceção importante é 
o sítio de Terra Amata (França), onde foram encontrados vestígios de pequenas cabanas 
ovais, a partir da disposição do material arqueológico no solo. Estruturas semelhantes 
parecem ocorrer em Bilzingsleben (Alemanha) e em Melka Kunturé (África), mas estas 
foram menos estudadas. 
 Com relação à economia, a caça parece ter sido um componente bastante 
importante, sendo que as práticas de caça foram, ao mesmo tempo, o produto e a causa 
de uma organização social mais eficiente. Os animais caçados eram, em geral, grandes 
herbívoros, fornecendo grande rentabilidade em termos alimentares. As armas utilizadas 
foram, provavelmente, variadas. No entanto, é certo o uso de lanças de madeira, 
algumas com pontas endurecidas ao fogo (como a encontrada em Clacton, Inglaterra). 
Artefatos característicos da 
indústria Acheulense 
 
 
6 
6 
Outras técnicas, como o encurralamento ou a abertura de fossos deveriam também ter 
sido empregadas. Por outro lado, não somente a carne faria parte da dieta das 
populações do Paleolítico Inferior mas também os vegetais, especialmente nas regiões 
de clima mais temperado. 
 
 Aspectos Sociais 
 As reconstituições da demografia, com base na intensidade dos vestígios 
arqueológicos presentes nos sítios, sugerem a existência de “bandos” com cerca de 
cinqüenta indivíduos em média, provavelmente formados por grupos nômades e 
exógamos, o que é sugerido pela homogeneidade das tradições culturais encontradas, 
fenômeno que é facilitado pela circulação de indivíduos (e idéias) entre os bandos. 
 A prática da caça sugere e exige uma organização social razoável, a fim de 
estabelecer planos de ação e tomadas de decisão coordenadas, para definir o papel de 
cada indivíduo nessa e em outras atividades. Isso implica na existência de laços sociais 
e familiares, já que tais laços facilitam muito o processo de enculturação, pelo qual 
padrões tecnológicos e de comportamento passam de geração a geração. 
 O papel do uso do fogo, já mencionado anteriormente, possui também um 
significado social e simbólico muito grande, especialmente como elemento de 
integração social.