A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
77 pág.
homeopatia-patologias-caes-gatos

Pré-visualização | Página 12 de 17

2) é encontrado em quase toda a superfície corporal. Cada pêlo é 
composto por três partes: a cutícula, o córtex e a medula. A cutícula é a porção mais externa, 
contêm varias camadas de células superpostas semelhantes a escamas. O córtex é a principal 
parte do pêlo, e consiste em células alongadas unidas dando um aspecto de fibras achatadas. A 
medula é o eixo central, e é composto de muitas células dispostas lado a lado e contendo espaços 
de ar entre elas. A porção visível do pêlo é a haste. As células situadas na pele formam a raiz. 
Circundando a raiz está o folículo piloso, uma invaginação tubular de epiderme envolvida por 
uma bainha de tecido conjuntivo (LOSSOW, 1990). 
O crescimento do pêlo é semelhante ao crescimento da epiderme, sendo as células das 
camadas mais profundas responsáveis pela produção de novas células. As células da matriz 
epitelial, na base do bulbo do folículo piloso dividem-se mitoticamente. As células-filhas migram 
em direção à superfície, queratinizam-se e formam a camada córnea da haste (LOSSOW, 1990). 
A cor do pêlo é determinada por complexos fatores genéticos. O pêlo acinzentado ocorre 
quando o pigmento está ausente. O pêlo branco resulta de uma ausência de pigmentos mais a 
formação de bolhas de ar no eixo do pêlo. A hereditariedade e outros fatores desconhecidos 
determinam o acinzentamento do pêlo. O pêlo de um gato preto tornar-se-á cinza com uma dieta 
 
 
42
 
deficiente em ácido pantotênico. A reposição desta substância na dieta faz com que o pêlo retorne 
à sua cor normal. Este fato é interessante, mas não foi provado ser de importância no homem 
(LOSSOW, 1990). 
 
15.3.1.1 Cores e tipos de pêlo de cão 
Apesar de os tipos de pêlo em cães serem extremamente diversificados, vários autores 
tentaram classificá-los com base na cor, comprimento, tipo de cerda e características da medula e 
córtex.. Eles podem ser divididos em normal (comprimento intermediário), curto e longo 
(EVANS & CHRISTENSEN, 1979). 
A pelagem normal típica é a do pastor alemão e das espécies selvagens como lobos e 
coiotes. Compõe-se de pêlos primários (pêlos da pelagem protetora ou cerdas) e pêlos 
secundários (pêlos finos ou submanto). A pelagem normal possui uma elevada proporção, por 
quantidade, mas não por peso, é de pêlos secundários (SCOTT et al., 1996). 
A pelagem curta pode ser classificada como áspera ou fina. A pelagem áspera 
(Rottwweiler e muitos Terriers) apresenta intenso crescimento de pêlos primários e um muito 
menor de secundários. A pelagem curta fina (Boxers e Pinschers-miniatura) possui o maior 
número de pêlos por unidade de área. Os secundários são numerosos e bem desenvolvidos, e os 
primários são reduzidos quando comparados aos da pelagem normal (SCOTT et al., 1996). 
A pelagem longa pode ser classificada como fina ou lanosa (ou áspera). A longa e fina 
(Cocker Spaniel e Chow Chow) possui maior peso de pêlos por unidade de área do que a pelagem 
normal, exceto nas raças-miniatura (o peso do pêlo pode ser menor por ser mais fino). Na 
pelagem longa lanosa ou áspera (Poodle) os pêlos secundários somam 70% do peso total dessas 
pelagens e 80% do número de pêlos (SCOTT et al., 1996). 
Os aspectos genéticos da cor da pelagem nos cães constituem um assunto complexo. A 
pigmentação individual dos pêlos pode ser uniforme por todo o comprimento da haste ou pode 
variar. A quantidade de pigmento depositada no pêlo e sua localização na região produzem 
diferentes efeitos ópticos; entretanto, há apenas dois tipos de pigmentos. O marrom escuro é 
denominado de eumelanina, e o amarelo-avermelhado, de feomelanina. No pêlo preto, a 
produção de pigmento obviamente permanece ativa por todo o período (EVANS & 
CHRISTENSEN, 1979). 
 
 
 
43
 
15.3.1.2 Cores e tipos de pêlo de gato 
Um gato puro (genuíno) possui uma só coloração. Nenhuma variação, matiz, marca 
especial ou qualquer variação de cor é observada, apesar de ser comum gatinhos apresentarem 
matizes acinzentados dispersos como pêlos esbranquiçados que desaparecem na idade adulta. 
Qualquer que seja sua cor, todos os gatos são geneticamente mesclados, possuindo o Abíssimo, 
genes para mescla ou mancha ou uma combinação de ambos. O branco total é dominante sobre 
todas as cores, mas pode estar associado a diversas anormalidades (WRIGHT & WALTER, 
1980). 
O mesclado é o tipo básico de gato, tendo todos evoluído a partir do gato selvagem. 
Pelagens puntiformes exibem pontas coloridas sobressaindo sobre uma cor mais suave. As 
pelagens multicoloridas incluem os padrões “casco de tartaruga” e malhado. O “casco de 
tartaruga” é uma mistura de preto e vermelho, mas há uma variação de cor entre as misturas. Este 
padrão ocorre em fêmeas ou em machos com dois cromossomas X (ROBINSON, 1977). 
 
15.3.2 Unhas 
As unhas são uma modificação das células conificadas da epiderme, são compostas por 
queratina dura. O ar se mistura na matriz de queratina e forma um crescente branco chamado 
lúnula, e isso ocorre na extremidade proximal de cada unha (SCHWARZE, 1972). 
 
15.3.3 Glândulas Sebáceas 
As glândulas sebáceas (Figura 2) geralmente surgem das paredes dos folículos pilosos e 
produzem o sebo, a substância oleosa que é a principal responsável pela lubrificação da superfície 
da pele. A secreção sebácea consiste em células inteiras que contêm sebo, e quando a célula se 
desintegra, o sebo é secretado ao longo da parte do pêlo em direção à superfície da pele 
(SCHWARZE, 1972). Em poucas partes do corpo as glândulas se abrem diretamente sobre a 
superfície da pele, pois não estão associadas com folículos pilosos, essas partes são, por exemplo, 
as comissuras labiais, a glande do pênis e pequenos lábios. A secreção sebácea está sob o 
controle do sistema endócrino (LOSSOW, 1990). 
 
 
 
44
 
15.3.4 Glândulas Sudoríparas 
As glândulas sudoríparas (Figura 2) são glândulas tubulares simples encontradas na 
maior parte do corpo, exceto nos lábios e na glande do pênis; a maioria não está associada aos 
folículos pilosos. A porção secretora está localizada na derme do tecido subcutâneo e é um tubo 
enovelado sobre si mesmo. A partir da porção secretora enovelada, o ducto excretor espirala-se 
através da derme em direção à superfície. Cada tubo glandular é delimitado com um epitélio 
secretor contínuo com a epiderme (SCHWARZE, 1972). 
O suor puro contém os mesmos constituintes inorgânicos do sangue, mas em 
concentração mais baixa. O principal sal é o cloreto de sódio. Os constituintes orgânicos no suor 
incluem uréia, ácido úrico, aminoácido, amônia, açúcar, ácido lático e ácido ascórbico. O suor é 
praticamente inodoro, o odor é produzido pela ação de bactérias no suor (SCHWARZE, 1972). 
As glândulas ceruminosas, secretam cera, são encontradas no meato acústico externo e 
as glândulas ciliares, nas pálpebras, secretam o líquido ocular e ambas são consideradas glândulas 
sudoríparas modificadas (LOSSOW, 1990). 
 
15.3.5 Senilidade 
Mudanças senis foram relatadas na pele de cães (BAKER, 1967) e gatos idosos. O pêlo 
de alguns cães tornou-se opaco, sem brilho, com áreas de alopecia e formação de calos sobre 
pontos de pressão. Um aumento de pêlos brancos no focinho e no corpo foi freqüentemente 
observado (SCOTT et al., 1996). 
 
 
45
 
 
16 DOENÇAS PSICOGÊNICAS DA PELE 
A psicodermatologia é também conhecida como clínica psicocutânea e 
dermatopsicossomática (PANCONESI, 1984). Os pesquisadores nesta área acreditam que o 
corpo (soma) e a mente (psique) foram tratados separadamente por muito tempo e constituem 
uma única unidade. Acredita-se que o papel dos fatores emocionais nas doenças da pele seja de 
tal importância, que se for ignorado 40% dos casos de doenças da pele tenha seu tratamento