A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
103 pág.
Apostila_histologia_bio_2

Pré-visualização | Página 12 de 22

aumento na síntese de proteínas, do tamanho da célula, 
do tamanho do aparelho de Golgi e do número de lisossomos, microtúbulos e 
microfilamentos. Encontram-se em movimento ou aderidos às fibras colágenas. 
- Mastócitos: células grandes, arredondadas ou ovóides, com núcleo 
esférico e central. Citoplasma rico em grânulos que contêm heparina (um 
aticoagulante) e histamina (substância liberada nas reações alérgicas e 
inflamatórias, importante na dilatação e no aumento da permeabilidade dos vasos 
sangüíneos). Participa da inflamação e tem um papel central na alergia. 
- Célula adiposa: são células arredondadas que armazenam grande 
quantidade de energia na forma de triglicerídeos (gordura), apresentando quase 
Em processos de cicatrização, pode haver transformação de 
fibrócitos em fibroblastos. 
 
 
53
53
todo o seu citoplasma ocupado por substância de reserva. O núcleo é periférico e 
o citoplasma fica como uma delgada camada ao redor da gota de gordura. Pode 
ocorrer isoladas ou em pequenos grupos nos tecidos conjuntivos frouxos ou, 
agrupados em grande número, formando o tecido adiposo. 
- Pericitos: estão localizados ao lado externo da parede dos capilares e das 
pequenas vênulas, onde parecem circundá-los. Estas células têm longos 
prolongamentos primários, localizados ao longo do eixo maior do capilar, e dos 
quais saem prolongamentos secundários que envolvem o capilar e formam 
algumas junções comunicantes com células endoteliais. Os pericitos compartilham 
a lâmina basal das células endoteliais. Os pericitos possuem um pequeno 
complexo de Golgi, mitocôndrias, REG, microtúbulos e filamentos que se 
estendem para os prolongamentos. Estas células também contêm tropomiosina, 
isomiosina e proteína quinase, todas relacionadas com o processo de contração 
que regula o fluxo de sangue pelos capilares. Além, disso, depois de lesões, os 
pericitos podem diferenciar-se tornando-se células musculares lisas e células 
endoteliais das paredes de arteríolas e de vênulas. 
 
7.6.2 Células transitórias 
- Plasmócitos: células aproximadamente ovóide, com citoplasma rico em 
ergastoplasma. O complexo de Golgi e os centríolos ficam ao lado do núcleo que 
é esférico, não central e em forma de roda de carroça. São originados do linfócito 
B. São os principais produtores de anticorpos, participando dos processos de 
defesa do corpo. Pouco numerosos, exceto em locais sujeitos à penetração de 
bactérias e proteínas estranhas (mucosa intestinal), aparecem em grande 
quantidade nas inflamações crônicas. Tempo de vida relativamente curto, 2 a 3 
semanas. 
- Leucócitos: ou glóbulos brancos, células de defesa, são constituintes 
normais do tecido conjuntivo, vindos do sangue, através de vênulas e capilares 
por diapedese. As diapedeses aumentam quando ocorrem invasões locais de 
microrganismos. Os leucócitos mais freqüentes no tecido conjuntivo, são os 
 
 
54
54
neutrófilos, eosinófilos e os linfócitos. Somente os linfócitos retornam ao sangue, 
as demais células permanecem por um certo período e depois morrem. 
 
 
 
 
 
 
 
Células presentes no tecido conjuntivo 
 
 
7.7 Tipos de tecido conjuntivo: 
São vários os tipos de Tecido Conjuntivo, formados pelos constituintes básicos 
(fibras, células e matriz extracelular). Os nomes são dados conforme o 
componente de maior quantidade ou a organização estrutural do tecido. São 
classificados em: 
??Tecidos conjuntivos embrionários 
1. Tecido conjuntivo mesenquimatoso 
2. Tecido conjuntivo mucoso 
??Tecido conjuntivo propriamente dito 
1. Tecido conjuntivo frouxo 
2. Tecido conjuntivo denso 
a. Tecido conjuntivo denso não-modelado 
Células adventícias: são células mesenquimatosas indiferenciadas, que 
ocorrem no tecido conjuntivo do adulto. Têm capacidade de originar as demais 
células do tecido conjuntivo, com exceção dos leucócitos, macrófagos e 
plasmócitos. 
 
 
 
55
55
b. Tecido conjuntivo denso 
3. Tecido reticular 
4. Tecido adiposo 
??Tecido conjuntivo especializado 
1. Cartilagem 
2. Osso 
3. Sangue 
 
7.7.1 Tecido conjuntivo embrionário 
Este tecido inclui o tecido conjuntivo mesenquimatoso e o tecido conjuntivo 
mucoso. 
 
7.7.1.1 Tecido conjuntivo mesenquimatoso: o tecido conjuntivo mesenquimatoso 
somente está presente no embrião e é constituído por células mesenquimatosas 
imersas em uma substância fundamental gelatinosa contendo fibras reticulares 
dispersas. As células mesenquimatosas possuem núcleo oval com uma rede de 
cromatina fina e nucléolo proeminente. O citoplasma, escasso e de coloração 
clara, projeta pequenos prolongamentos em várias direções. Figuras mitóticas são 
observadas com freqüência nas células mesenquimatosas, pois elas dão origem à 
maioria das células do tecido conjuntivo frouxo. Acredita-se que, de modo geral, 
uma vez dispersas pelo embrião, a maioria das células mesenquimatosas, se não 
todas, sejam, eventualmente, exauridas e não mais existam como tal no adulto, 
exceto na polpa dentária. Entretanto, no adulto, pericitos pluripotentes, presentes 
ao longo de capilares, podem diferenciar-se em outras células do tecido 
conjuntivo. 
 
7.7.1.2 Tecido mucoso: é um tecido conjuntivo frouxo amorfo possuidor de uma 
matriz composta basicamente por ácido hialurônico e esparsamente povoada por 
fibras de colágeno do tipo I e do tipo II e por fibroblastos. Este tecido também 
denominado geléia de Wharton, somente é encontrado no cordão umbilical e no 
tecido conjuntivo subdérmico do embrião. 
 
 
56
56
 
 
7.7.2Tecido conjuntivo propriamente dito 
 
7.7.2.1 Tecido conjuntivo frouxo: recebe esse nome porque suas fibras encontram-
se frouxamente distribuídas na matriz extracelular. Essas fibras são as elásticas, 
colágenas e reticulares, sem predominância. É um tecido de propriedades gerais, 
muito comum e o de maior quantidade no organismo. Preenche espaços não 
ocupados por outros tecidos, apoia e nutre células epiteliais, envolve nervos, 
músculos e vasos sangüíneos e linfáticos, faz parte da estrutura de muitos órgãos 
e desempenha papel importante no isolamento de infecções localizadas e nos 
processos de cicatrização. As células presentes nesse tecido são de vários tipos, 
mas as predominantes são os fibroblastos e os macrófagos. Apresenta 
consistência delicada, flexível e pouco resistente às trações. 
 
Tecido conjuntivo frouxo 
 
7.7.2.2 Tecido conjuntivo denso: formado pelos mesmos elementos que o 
tecido frouxo, mas com predominância de fibras colágenas. É um tecido menos 
 
 
57
57
flexível que o frouxo e muito mais resistente às trações. Dependendo do modo de 
organização das fibras colágenas, o tecido pode ser classificado em não-
modelado ou fibroso e modelado ou tendinoso. 
- Não-modelado ou fibroso: fibras colágenas dispostas em feixes que não 
apresentam orientação determinada. Ocorrem sob a forma de lâminas, sendo 
exemplos desse tipo de tecido a derme, cápsulas que envolvem alguns órgãos, 
como rins e fígado, o periósteo (osso) e o pericôndrio (cartilagem). 
- Modelado ou tendinoso: fibras colágenas dispostas em feixes paralelos e 
compactos, determinando estruturas resistentes à tensão. Ocorrem nos tendões, 
estruturas cilíndricas, alongadas, brancas e inextensíveis, que ligam as 
extremidades dos músculos esqueléticos aos ossos; nos ligamentos, são 
semelhantes aos tendões, possuem fibras elásticas e colágenas, as quais estão 
ordenadas de modo um tanto irregular 
- Tecido elástico denso modelado: formado por feixes paralelos de fibras elásticas 
grossas. O espaço entre estas fibras é ocupado por fibras colágenas e fibroblastos 
achatados.