A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
27 pág.
aula_3.3_sistema_nervoso

Pré-visualização | Página 1 de 1

SISTEMA NERVOSO
Profa. Dra. Ana Maria Cartaxo de Alencar
APARELHO VESTIBULAR
• Órgão que detecta as sensações de equilíbrio
• É intimamente relacionado com o ouvido
• É formado por sistema de tubos ósseos e câmaras, chamado de
labirinto ósseo onde se encontra um sistema de tubos e câmaras
membranosas, o labirinto membranoso
• Labirinto membranoso porção funcional do aparelho vestibular
Aparelho Vestibular
Aparelho Vestibular
Aparelho Vestibular
• Utrículo e sáculo
Câmaras ocas, cheias de líquido, máculas → estruturas que detectam
a posição da cabeça, em relação em que atua a gravidade
• 03 Canais semicirculares :
Anterior, posterior e lateral (horizontal)
Cada um tem uma dilatação numa de suas extremidades chamada
ampola, a qual é preenchida por um líquido visco, a endolinfa
• Cóclea: Principal área da audição / sem relação com o equilíbrio
Labirinto Membranoso
• Proporciona orientação (ajuste do corpo e da cabeça à posição
vertical) e equilíbrio (capacidade de manutenção do centro de massa
em relação à base de apoio
• Obtido por comandos centrais a neurônios motores inferiores
• Os estímulos sensoriais são usados tanto em mecanismos de
feedback ( resposta a uma alteração, ex: escorregão no gelo) e
predição e antecipação como preparação para riscos à estabilidade,
ex: curvas
Controle Postural
• Somatossensação: fornece informações a respeito da sustentação 
de peso e das posições relativas das partes do corpo
• Visão: fornece informações a respeito do movimento e indicações
para avaliar a posição ereta
• Vestibular: fornece informações sobre a posição da cabeça em
relação à gravidade e sobre o movimento da cabeça
Controle Postural
VISÃO
CÓRTEX
TÁLAMO
NÚCLEOS DA BASE
TRONCO ENCEFÁLICO / 
CEREBELO
MEDULA ESPINHAL
VESTIBULAR
SOMATOSSENSAÇÃO
POSTURA
SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO
• Porção do SN que controla as funções viscerais do corpo:
• Controla a pressão arterial
• Motilidade e secreção do TGI
• Esvaziamento da bexiga urinária
• Transpiração
• Temperatura Corporal
Sistema Nervoso Autônomo
• Ativado por centros localizados na medula espinhal, no tronco
cerebral e no hipotálamo, também opera por reflexos viscerais
• Reflexos viscerais: sinais que entram nos gânglios autonômicos, na
medula espinhal, no tronco cerebral ou no hipotálamo que causam
respostas reflexas aos órgãos viscerais para controlar suas
atividades
• 2 Neurônios: que unem o SNC ao órgão efetor:
• Neurônio Pré-ganglionar - dentro do SNC
• Neurônio Pós-ganglionar - fora do SNC e localizados em gânglios
Sistema Nervoso Autônomo
Neurônio pré-ganglionar
Neurônio pós-ganglionar
Fibra pré-ganglionar
gânglio
Víscera
Fibra pós-ganglionar
Sistema Nervoso Autônomo
Localização dos neurônios pré-ganglionares
• Sistema Nervoso Simpático: na Região Tóraco-Lombar
• Sistema Nervoso Parassimpático - na Região Crâneo-Sacral
Sistema Nervoso Autônomo
Localização dos neurônios pós-ganglionares
• SN Simpático: longe das vísceras, próximo da medula
• SN Parassimpático: próximo ou dentro das vísceras e longe da medula
Sistema Nervoso Autônomo
• Tamanho das fibras pré e pós-ganglionares
• SN Simpático:
Fibra Pré - Curta
Fibra Pós - Longa
• SN Parassimpático
Fibra Pré - Longa
Fibra Pós - Curta
Sistema Nervoso Autônomo
Parassimpático
craniano
Neurônios
pré-ganglionares
Simpático
Parassimpático 
sacral
Fibra pós-ganglionar
Fibra pré-ganglionar
Sistema Nervoso Autônomo
Componente eferente do Sistema Nervoso Visceral, se divide em: 
• SNA Simpático:
• Os nervos se originam na medula espinhal entre T-1 e L-2
• SN simpático secreta norepinefrina pelos gânglios pós-ganglionares, 
por isso são chamados de adrenérgicos.
OBS: Libera noradrenalina e adrenalina (em casos de emergência)
Sistema Nervoso Autônomo
REAÇÃO DE EMERGÊNCIA
1. Descarga em massa e Adrenalina
2. Medula da Supra-Renal é ativada em casos de emergência
Reação de Luta e Fuga
Sistema Nervoso Autônomo
1. Indivíduo surpreendido por um pit bull
2. Impulsos nervosos resultantes da visão do pit bull são levados ao
cérebro resultando numa emoção (Medo)
3. Do Cérebro - Hipotálamo - descem impulsos nervosos pelo Tronco
Encefálico e Medula ativando os neurônios simpáticos da coluna
lateral de onde os impulsos nervosos ganham diversos órgãos
enviando a reação de alarme (luta ou fuga)
4. do ritmo cardíaco - circulação coronária
5. Vasoconstricção nos vasos mesentéricos e cutâneos (Palidez)
6. de sangue nos músculos
7. pressão arterial - morte por ruptura nos vasos cerebrais
8. Dilatação dos Brônquios 
9. Dilatação da pupila e menor peristaltismo no Tubo Digestivo
Sistema Nervoso Autônomo
• SNA Parassimpático:
• As fibras parassimpáticas deixam o SNC pelos nervos cranianos III, VII, 
IX e X, e pelo segundo e terceiro nervo espinhal
• Cerca de 75% de todas as fibras parassimpáticas estão nos nervos 
vagos (nervo craniano X), indo para a região torácica e abdominal
Sistema Nervoso Autônomo
Sistema Nervoso Autônomo
Sistema Nervoso Autônomo
ÓRGÃO SIMPÁTICO PARASSIMPÁTICO
OLHO DILATAÇÃO DA PUPILA (MIDRÍASE) CONSTRIÇÃO DA PUPILA (MIOSE) E 
ACOMODAÇÃO
GL. LACRIMAL SEM EFEITO SECREÇÃO DAS LÁGRIMAS
GL. SALIVARES VASOCONSTRIÇÃO, SECREÇÃO LÍQUIDO 
VISCOSO
VASODILATAÇÃO SECREÇÃO DE 
SALIVA
GL. SUDORÍPARAS SECREÇÃO DE SUOR NENHUMA INERVAÇAO
CORAÇÃO ↑ FREQUENCIA CARDÍACA E FORÇA DE 
CONTRAÇÃO
↓ FREQUENCIA CARDÍACA, NENHUM 
EFEITO SOBRE A FORÇA DE 
CONTRAÇÃO
VASOS SANGUINEOS VASOCONSTRIÇÃO; VAOSDILATAÇÃO NOS M. 
ESQUELÉTICOS
NENHUM EFEITO
PULMÕES DILATAÇÃO BRONQUICA PELA EPINEFRINA 
CIRCULANTE
COSNTRIÇÃO BRONQUICA, SECREÇAO 
DE MUCO
FÍGADO GLICOGENÓLISE, GLICONEOGÊNESE, 
LIBERAÇÃO DE GLICOSE NO SANGUE
NENHUM EFEITO SOBRE O FÍGADO; 
SECREÇÃO DE BILE 
MEDULA SUPRA-RENAL SECREÇÃO DE EPINEFRINA E NOREPINEFRINA NENHUMA INERVAÇÃO
TGI ↓ MOTILIDADE E SECREÇÃO, CONSTRIÇÃO 
DOS ESFÍNCTERES, VASOCONSTRIÇÃO
↑ FUNÇÕES DO TGI, RELAXAMENTO 
DOS ESFÍNCTERES
RINS VASOCONSTRIÇÃO, ↓DÉBITO DE URINA NENHUM EFEITO
GENITÁLIA EJACULAÇÃO EREÇÃO
FOLÍCUOS PILOSOS EREÇÃO DOS PELOS NENHUMA INERVAÇÃO
METABOLISMO AUMENTO NENHUM EFEITO
• Cardiovasclares: Baroreceptor, os impulsos são transmitidos
ao tronco cerebral e inibem os impulsos simpáticos para o
coração e vasos, diminuindo a pressão
• Gastrintestinais: o cheiro de comida envia sinais pelos nervos
parassimpáticos às glândulas secretoras da boca e do
estômago
Reflexos Autonômicos
• Esvaziamento da bexiga: o estiramento da bexiga manda
impulsos para a medula sacra, causando a contração da
bexiga e o relaxamento dos esfíncteres urinários promovendo
a micção
• Reflexos sexuais: os impulsos psíquicos ou dos órgãos sexuais
convergem para a medula sacra no homem, resultando
primeiro na ereção (função parassimpática) e depois na
ejaculação (função simpática)
Reflexos Autonômicos