A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
38 pág.
Grupo 6- COMUNICAÇAO CELULAR

Pré-visualização | Página 1 de 2

Docente: Patrícia Medeiros 
 
Como uma célula que “fala”diz para 
uma célula que “escuta”, e o que 
esta última “responde”? 
 
 
 A comunicação entre as células é feita, principalmente, por 
meio de moléculas informacionais. 
 A molécula que constitui o sinal químico chama-se ligante. 
 A molécula que se combina com o ligante e desencadeia 
uma resposta na célula chama-se receptor. 
 
 
 
 Recepção; 
 
 
 Transdução; 
 
 
 Resposta 
 
 
 
 É a detecção do alvo de uma molécula 
sinalizadora na célula. A molécula 
sinalizadora se liga a uma proteína 
receptora na membrana da célula. 
 
 
 A ligação da molécula sinalizadora 
altera a proteína receptora iniciando o 
processo de transdução. 
 
 
 
 No terceiro estágio da sinalização 
celular, o sinal transduzido finalmente 
dispara uma resposta celular específica. 
A resposta pode ser qualquer atividade 
celular imaginável. 
 A resposta da célula-alvo pode 
depender também de diferenças na 
estrutura molecular do receptor. 
 EX: receptores acetilcolina 
 
 
 
 músculo esquelético músculo cardíaco 
 
 
 
A acetilcolina estimula a contração dos músculos esqueléticos, mas diminui o 
ritmo e a força das contrações dos músculos do coração (miocárdio). 
 Na maioria das células, os receptores 
para determinado sinal são iguais, mas 
as respostas podem ser diferentes.Nesses 
casos dependem da maquinaria 
molecular intracelular á qual os 
receptores estão ligados. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 sinal receptor Orgão -alvo Proteínas 
sinalizadoras 
Receptor- sinal 
 Comunicação Parácrina: as substâncias químicas vão atuar 
em células vizinhas, os sinais químicos atuam apenas 
alguns centímetros do local onde foram produzidos. 
• autócrina: Ocorre quando o sinal age sobre a célula que o emitiu. 
Muito utilizado com a intenção de amplificar sinais, como a 
retroalimentação positiva. Pode também atuar na retroalimentação 
negativa, inibindo sua própria síntese. Vale ressaltar, que há 
necessidade de que a célula que produz a substância, também 
possua receptor para a mesma. 
 
 
 
 
 na sinalização sináptica a e especificidade 
é determinada pelo contato entre os 
prolongamentos nervosos e as células-alvo 
que eles sinalizam: em geral, somente uma 
célula-alvo que está em contato sináptico 
com a célula nervosa é exposta ao 
neurotransmissor liberado da terminação 
nervosa (embora alguns neurotransmissores 
atuem de forma parácrina, como 
mediadores locais que influenciam 
múltiplas células na área). 
As células endócrinas e as células nervosas coordenam juntas as diversas 
atividades de bilhões de células em um animal superior. As células endócrinas 
secretam muitos hormônios diferentes no sangue para sinalizar células-alvo 
específicas. As células-alvo possuem receptores para ligação específica de 
hormônios que, de certa forma, tiram os hormônios específicos do líquido 
extracelular. Ao contrário, na sinalização sináptica a especificidade é determinada 
pelo contato entre os prolongamentos nervosos e as células-alvo que eles 
sinalizam: em geral, somente uma célula-alvo que está em contato sináptico com 
a célula nervosa é exposta ao neurotransmissor liberado da terminação nervosa. 
 Sistemas de transmissão de informação entre células distanciadas 
 Comunicação Endócrina: ocorre através da liberação 
de substâncias denominadas hormônios pelas 
glândulas endócrinas. Nesse tipo de comunicação, a 
substância química vai para a corrente sanguínea e age 
em célula-alvo distante. 
 
 
 
 
LIPOSSOLÚVEIS HIDROSSOLÚVEIS 
Ação mais prolongada, 
permanece no plasma 
sanguíneo durante horas 
ou dias 
Ação curta, são 
rapidamente retirados. 
Atravessam a membrana 
com facilidade, se fixam 
em receptores presentes 
no citoplasma. 
Age sobre receptores 
que estão presente na 
membrana. 
EX: esteróides 
(testosterona e 
progesterona;estrógeno) 
e tireóide 
EX: insulina 
São dois tipos de hormônios: 
 A insulina facilita a entrada da glicose nas células (onde ela será utilizada 
para a produção de energia) e o armazenamento no fígado, na forma de 
glicogênio. Ela retira o excesso de glicose do sangue, mandando-o para 
dentro das células ou do fígado. Isso ocorre, logo após as refeições, 
quando a taxa de açúcar sobe no sangue. A falta ou a baixa produção de 
insulina provoca o diabetes, doença caracterizada pelo excesso de glicose 
no sangue (hiperglicemia). 
 Já o glucagon funciona de maneira oposta à insulina. Quando o organismo 
fica muitas horas sem se alimentar, a taxa de açúcar no sangue cai muito e 
a pessoa pode ter hipoglicemia, que dá a sensação de fraqueza, tontura, 
podendo até desmaiar. Quando ocorre a hipoglicemia o pâncreas produz o 
glucagon, que age no fígado, estimulando-o a “quebrar” o glicogênio em 
moléculas de glicose. A glicose é, então enviada para o sangue, 
normalizando a taxa de açúcar. 
 
 Transferência direta de sinais elétricos e químicos 
através de junções comunicantes entre células 
Adjacentes 
 
 
 
 
 
 Junções comunicantes • Íons 
 • Pequenas moléculas 
 − Aminoácidos, ATP, 
 AMPc 
 • Sinais elétricos 
 passam diretamente 
 
 AMP cíclico (cAMP): para que o cAMP 
funcione como mediador intracelular é 
preciso que ele seja sintetizado e 
degradado rapidamente. 
EX: quando as células musculares ou 
hepáticas são expostas ao hormônio 
adrenalina, há um aumento no teor 
intracelular cAMP que ativa a enzima 
fosforilase glicogênica. Essa enzima 
promove a hidrolise do glicogênio 
armazenado nas células, formando-se 
glicose. 
 Cálcio: A concentração de íons cálcio na matriz 
citoplasmática é extremamente baixa, enquanto a 
concentração desses íons é alta no meio extracelular e 
nos compartimentos intracelular que armazenam cálcio. 
Quando um sinal químico se liga a certos receptores, 
forma-se trifosfato de inositol que promove a abertura 
dos canais de cálcio do retículo endoplasmático liso, 
aumentando a concentração desse íon na matriz 
citoplasmática e ativando os mecanismos intracelulares 
sensíveis ao cálcio. Todas as células possuem bombas 
em suas membranas que, consumindo energia de ATP, 
movimentam para fora da célula o excesso de cálcio. 
 Receptores associados a canais: estes são canais 
de íons envolvidos na sinalização sináptica ( tecido 
nervoso ou junção neuromuscular).Um transmissor 
específico pode rapidamente abrir ou fechar os 
canais de íons por se ligarem a receptores 
associados a estes canais, mudando, assim, a 
permeabilidade da membrana celular a certo íon. 
 Receptores catalíticos: estes receptores se 
comportam como enzimas quando ativados 
por um ligante específico. A maioria destes 
receptores apresentam uma região 
citoplasmática catalítica que se comporta 
como uma tirosina quinase. Uma proteínas-
alvo é fosforilada em resíduos específicos 
de tirosina, mudando, assim, sua 
conformação.EX: insulina, diversos fatores 
de como os crescimento, como os 
derivados das plaquetas e o fator de 
crescimento da epiderme. 
 As proteínas G foram descobertas 
quando Alfred