A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
40 pág.
Fisiologia_do_sistema_nervoso_e_sistema_neuromuscular

Pré-visualização | Página 1 de 2

*
*
*
Sistema Nervoso 
Profa. Msc. Carla Maia Aguiar Loula
O Neurônio
Impulso Nervoso
Sinapse Nervosa
Sistema Neuromuscular
*
*
*
Divisão
Partes
Funções Gerais
Sistema Nervoso Central
(SNC)
Sistema Nervoso Periférico
(SNP)
Encéfalo e Medula Espinhal
Nervos e gânglios
Processamento e Integração de informações
Condução de informações entre órgão receptores de estímulos, o SNC e órgãos efetores
Organização do Sistema Nervoso Humano
*
*
*
 O neurônio
Aspectos gerais
*
*
*
http://br.geocities.com/jcc5001pt/museuelectrofisiologia.htm#impulsos 
Direção do Impulso Nervoso
User - A velocidade de condução de um impulso nervoso de um axônio altamente mielinizado pode ser tão rápida como 120m/s. Em contraste, um impulso nervoso de um axônio sem barra de mielina pode percorrer menos de 2m/s. 
*
*
*
Tipos de Neurônio
*
*
*
TIPOS DE NEURÔNIOS
DENDRITOS
CORPO CELULAR
CORPO CELULAR
CORPO CELULAR
DENDRITOS
Direção da condução
AXÔNIO
AXÔNIO
AXÔNIO
NEURÔNIO SENSORIAL
NEURÔNIO ASSOCIATIVO
NEURÔNIO MOTOR
*
*
*
Tipos de Neurônios
Neurônios sensoriais transportam impulsos das extremidades de seu corpo (periferias) para o sistema nervoso central;
Neurônios motores (motoneurônios) transportam impulsos do sistema nervoso central para as extremidades (músculos, pele, glândulas) de seu corpo;
Receptores percebem o ambiente (químicos, luz, som, toque) e codificam essas informações em mensagens eletroquímicas, que são transmitidas pelos neurônios sensoriais;
Interneurônios conectam vários neurônios dentro do cérebro e da medula espinhal.
*
*
*
Sinapse
Sinapse: local de comunicação entre neurônios ou entre neurônios e outras células (músculos, por ex.)
*
*
*
Tipos de Sinapses 
*
*
*
Sinapse Elétrica
User - Sinapses elétricas
As sinapses elétricas, mais simples e evolutivamente antigas, permitem a transferência direta da corrente iônica de uma célula para outra. Ocorrem em sítios especializados denominados junções gap ou junções comunicantes. estão separadas por apenas 3 nm. 
A maioria das junções gap permite que a corrente iônica passe adequadamente em ambos os sentidos, sendo desta forma, bidirecionais.
Em mamíferos adultos, esses tipos de sinapses são raras, ocorrendo freqüentemente entre neurônios nos estágios iniciais da embriogênese.
*
*
*
Sinapse Química
www.anatomiaonline.com/neuro/tecido.htm 
User - Geralmente, a transmissão sináptica no sistema nervoso humano maduro é química. As membranas pré e pós-sinápticas são separadas por uma fenda com largura de 20 a 50 nm - a fenda sináptica. A passagem do impulso nervoso nessa região é feita, então, por substâncias químicas: os neuro-hormônios, também chamados mediadores químicos ou neurotransmissores, liberados na fenda sináptica. O terminal axonal típico contém dúzias de pequenas vesículas membranosas esféricas que armazenam neurotransmissores - as vesículas sinápticas. A membrana dendrítica relacionada com as sinapses (pós-sináptica) apresenta moléculas de proteínas especializadas na detecção dos neurotransmissores na fenda sináptica - os receptores. Por isso, a transmissão do impulso nervoso ocorre sempre do axônio de um neurônio para o dendrito ou corpo celular do neurônio seguinte. Podemos dizer então que nas sinapses químicas, a informação que viaja na forma de impulsos elétricos ao longo de um axônio é convertida, no terminal axonal, em um sinal químico que atravessa a fenda sináptica. Na membrana pós-sináptica, este sinal químico é convertido novamente em sinal elétrico.
 As sinapses químicas também ocorrem nas junções entre as terminações dos axônios e os músculos; essas junções são chamadas placas motoras ou junções neuro-musculares. 
*
*
*
Sinapse
SINAPSE QUÍMICA 
Neurotransmissores:
Acetilcolina, adrenalina
Dopamina, serotonina
*
*
*
A voltagem da membrana celular
Potencial de repouso
Potencial de repouso: diferença de potencial entre a superfície externa e interna, mantida pela Bomba Na/K
*
*
*
 Potencial de ação: inversão (despolarização) do potencial de repouso, ocasionado pela mudança temporária de permeabilidade aos íons Na/K
Potencial de ação
Reação "tudo ou nada". 
*
*
*
Potencial de ação (cont.)
*
*
*
 Canais iônicos
Potencial de ação (cont.)
*
*
*
Potencial de ação (cont.)
	O impulso nervoso, ou potencial de ação, é um movimento coordenado de íons de sódio e potássio através da membrana celular do nervo. 
Inicialmente a célula se encontra em “repouso”. O seu interior é um pouco carregado negativamente (o potencial de repouso da membrana é de - 60 a - 80 mv); 
Uma perturbação (mecânica, elétrica, ou às vezes química) faz com que alguns canais de sódio de uma pequena parte da membrana se abram; 
Os íons de sódio entram na célula através dos canais de sódio abertos. A carga positiva que eles transmitem faz com que o interior da célula fique um pouco menos negativo (despolarizam a célula); 
Quando a despolarização chega a um determinado valor limite, muito mais canais de sódio naquela área se abrem. Mais íons de sódio entram e ativam um potencial de ação. A entrada de íons de sódio inverte o potencial de membrana naquela área (deixando o interior positivo e o exterior negativo (o potencial elétrico chega a +40 mv no interior); 
*
*
*
Potencial de ação (cont.)
Quando o potencial elétrico chega a +40 mv no interior, os canais de sódio fecham e não deixam mais íons de sódio entrar (inativação de sódio); 
O potencial positivo em desenvolvimento da membrana faz com que os canais de potássio se abram; 
Os íons de potássio deixam a célula através dos canais de potássio abertos. O movimento de íons de potássio positivos para o exterior da membrana faz com que o interior fique mais negativo e volte ao potencial de repouso da membrana (repolarização da célula); 
Quando o potencial de membrana volta para o valor de repouso, os canais de potássio se fecham e os íons de potássio não conseguem mais deixar a célula; 
O potencial de membrana ultrapassa um pouco o potencial de repouso, o que é ajustado pela bomba de sódio e potássio, que restabelece o equilíbrio normal de íons na membrana e faz com que o potencial de membrana volte para o seu nível de repouso; 
Essas mudanças são transmitidas para a próxima área da membrana, e em seguida para a outra e assim por diante, percorrendo toda a extensão do axônio e propagando o impulso nervoso por toda célula nervosa.
*
*
*
Potencial de Ação
http://i100.photobucket.com/albums/m32/maxaug/impulsonervosoanimado.gif
*
*
*
 Liberação de neurotransmissores
Neurotransmissão 
*
*
*
5.2. Neurotransmissores
 acetilcolina
 norepinefrina
 dopamina
 Glicina
 GABA
 glutamato
Neurotransmissão
User - ácido gamma-aminobutirico
*
*
*
 Neurotransmissores
Sistema nervoso central
*
*
*
Neurotransmissores
Acetilcolina
Controla a atividade de áreas cerebrais relaciondas à atenção, aprendizagem e memória.
Pessoas que sofrem da doença de Alzheimer apresentam baixos níveis de ACTH no córtex cerebral. 
Inativada pela enzima acetilcolinesterase.
Catecolaminas 
		Dopamina
	Controla níveis de estimulação e controle motor em muitas partes do cérebro. Quando os níveis estão extremamente baixos na doença de Parkinson, os pacientes são incapazes de se mover volutáriamente.
	É responsável pelo estado de alerta, sentimentos positivos de recompensa e analgesia. Comportamentos instintivos básicos como fome, sede, emoções e sexo.
		Noradrenalina
	Induz a excitação física e mental e bom humor.
	Regulação dos movimentos. 
*
*
*
Neurotransmissores (cont)
Glutamato (ácido glutâmico)
	Neurotransmissor excitatório primário do cérebro; 
	O glutamato desempenha um importante papel nas funções cognitivas (hipocampo e córtex), funções motoras, funções do cerebelo e funções sensoriais.
	Precursor do maior neurotransmissor inibitório,