Apostila IED 1 1a Unid-1
24 pág.

Apostila IED 1 1a Unid-1


DisciplinaIntrodução ao Direito I93.044 materiais694.760 seguidores
Pré-visualização11 páginas
CURSO DE DIREITO 
	APOSTILA
	INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO I
	
	PAULO RAMEH
	02 DE FEVEREIRO DE 2012
\ufffd
	Esta Apostila é um resumo das aulas ministradas pelo Professor Paulo Rameh, realizada ao longo dos últimos anos, e é resultado da compilação de trechos escolhidos retirados de livros didáticos de diversos autores nacionais e estrangeiros consagrados, com boa aceitação do público-alvo. 
\ufffd
SUMÁRIO
 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA . . . . . . . . . . . . . . . Pág. 03
 IMPORTÂNCIA DA DISCIPLINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . Pág. 04
 DISCIPLINAS CONEXAS E COMPLEMENTARES . . . . Pág. 04
 CIÊNCIA DO DIREITO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Pág. 05
 SENTIDOS DA PALAVRA DIREITO . . . . . . . . . . . . . . . Pág. 06
 SOCIEDADE E DIREITO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Pág. 07
 INSTRUMENTOS DE CONTROLE SOCIAL . . . . . . . . . Pág. 08
 DIREITO E RELIGIÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Pág. 08
 DIREITO E MORAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Pág. 10
 O DIREITO E REGRAS DE TRATO SOCIAL . . . . . . . . Pág. 11
 CONCEITO DE DIREITO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Pág. 12
 JUSTIÇA, EQUIDADE E PRINCÍPIOS GERAIS . . . . . . Pág. 13
 AS DIVISÕES DO DIREITO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Pág. 17
 ORDENAMENTO JURÍDICO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Pág.20
 NORMA JURÍDICA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Pág. 21
 QUALIDADES DA NORMA JURÍDICA . . . . . . . . . . . . . . Pág. 23
APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA
Introdução ao Estudo do Direito é uma das disciplinas do curso de Direito. Não se pode dizer que seja mais ou menos importante que qualquer outra integrante da grade curricular. No entanto, ela cumpre papel fundamental na formação do estudante de Direito.
Ocorre que o estudo do Direito, em razão da complexidade do seu objeto e da própria metodologia da ciência, exige que ao estudante seja oferecida uma disciplina básica e estruturadora, capaz de prepará-lo para apreender todo o conjunto de conhecimentos ao qual será apresentado, de forma consistente e duradoura. 
	A disciplina constitui um sistema de idéias gerais sobre o direito, revelando ao estudante uma visão geral do objeto de estudo e oferecendo ao iniciante uma idéia do conjunto. De acordo com Paulo Nader\ufffd, a disciplina tem a capacidade de revelar o Direito como um todo e de alinhar os seus elementos comuns
	A disciplina tornou-se obrigatória nos cursos jurídicos em 1931 com o nome de Introdução à Ciência do Direito. Pode ser chamada também de Introdução ao Direito. Alguns doutrinadores preferem a nomenclatura clássica Introdução à Ciência do Direito.
	Introdução ao Estudo do Direito é matéria de iniciação, que fornece ao estudante as noções fundamentais para a compreensão do fenômeno jurídico. Por si mesma não é ciência, mas disciplina integrante da Ciência do Direito.
	Seu fim especifico é reduzir o Direito a uma unidade sistemática. Para atingir tal finalidade, recorre a conceitos filosóficos, sociológicos, históricos e políticos, sem se confundir com Filosofia do Direito nem com Sociologia do Direito.
De acordo com Maria Helena Diniz\ufffd, Introdução ao Estudo do Direito é uma disciplina, um sistema de conhecimentos, que tem por objetivo fornecer uma noção global ou panorâmica da ciência do direito, propiciando ao estudante compreender os conceitos jurídicos comuns a todas as disciplinas do currículo do curso de direito e introduzindo-o na terminologia técnico-jurídica. É, por isso, uma enciclopédia, por conter não apenas os aspectos jurídicos da ciência do direito, mas também seus aspectos filosóficos, sociológicos e históricos.
	Os conceitos gerais de direito, tais como os conceitos de Direito, fato jurídico, relação jurídica, lei, justiça, segurança jurídica, jurisprudência, doutrina, e tantos outros, por serem aplicáveis a todos os ramos do direito, fazem parte do objeto de estudo desta disciplina. Os conceitos específicos do direito, como o conceito de crime, pena, ato de comércio, mar territorial, servidor público, desapropriação, aviso prévio, divórcio, contrato, expulsão e extradição, por exemplo, são particulares dos diversos ramos da Ciência do Direito e por isso fogem ao alcance da disciplina.
	Em resumo, é uma disciplina propedêutica, no sentido de que é introdutória, preparatória, informativa, estruturadora e formadora. 
Além disso, é uma disciplina epistemológica, ou seja, voltada para o estudo de todos os aspectos do direito como ramo do conhecimento humano, tais como a origem, a estrutura, os métodos e a validade do conhecimento. 
Isso porque Introdução ao estudo do Direito não se dedica ao estudo do objeto da ciência do direito, e sim a responder questões como: o que é a ciência do direito, qual o seu objeto, qual o seu método, qual a sua natureza, etc, sem nunca se confundir com o estudo do direito em si.
Epistemologia é, em resumo, a Teoria do Conhecimento.  Epistemologia vem do grego episteme, (ciência, conhecimento); e logos, (estudo, discurso). É um ramo da filosofia que trata dos problemas filosóficos relacionados com a crença e o conhecimento. É o estudo científico da ciência (conhecimento), sua natureza e suas limitações.
	Podemos reduzir o objeto da disciplina Introdução ao Estudo do Direito a três pontos:
os conceitos gerais do Direito;
a visão de conjunto do Direito;
os elementos de formulação da técnica jurídica.
2. IMPORTÂNCIA DA DISCIPLINA
	Introdução ao Estudo do Direito coloca o estudante em contato com a Ciência do Direito em primeira mão, procurando atenuar as dificuldades que o aluno poderá vir a ter, ao entrar em contato com os conceitos fundamentais do Direito, sua terminologia e seu método, propiciando-lhe uma adaptação inicial, bem como o desenvolvimento de um raciocínio jurídico. É uma disciplina preliminar, destinada a permitir que os alunos conheçam o objeto e os fins da ciência jurídica.
Introdução ao Estudo do Direito não é uma ciência, mas uma disciplina introdutória, preparatória e propedêutica, que busca oferecer um conhecimento geral e enciclopédico introdutórios ao estudo da ciência jurídica.
É uma disciplina que não tem um objeto próprio. O objeto da disciplina é responder a questões como: o que é a Ciência do Direito? Qual o objeto do Direito? A que ciência o Direito pertence? Define e delimita os conceitos jurídicos fundamentais e familiariza o estudante com os princípios fundamentais do pensamento jurídico.
	Por se tratar de disciplina básica, Introdução ao Estudo do Direito permite que o estudante construa uma base teórica relevante, a qual será fundamental para permitir seu progressivo aprendizado.
Sua importância reside na sua capacidade de oferecer ao estudante, já na fase inicial do curso, uma visão geral da ciência do direito e do seu objeto, que é o próprio direito, permitindo-lhe avançar na apreensão dos demais conceitos e institutos jurídicos, tendo acesso concomitante à visão de cada etapa do aprendizado e à visão do conjunto do Direito.
	
3. DISCIPLINAS CONEXAS E COMPLEMENTARES
	Introdução se socorre de outras disciplinas conexas e complementares, tais como:
Filosofia do Direito: A Filosofia do Direito busca formular o conceito de direito, analisar as instituições jurídicas no plano do direito, levando em consideração a condição humana, a realidade objetiva, os valores, a segurança jurídica e a justiça. O estudante deve se deparar com essa disciplina quando já se familiarizou com os princípios gerais de Direito. É uma disciplina abstrata e metafísica. Procura responder à pergunta: O que é o Direito?
	A Filosofia do Direito procura solucionar o problema do conhecimento jurídico. A parte da filosofia do direito que se dedica a esse conhecimento se chama epistemologia do direito, que é a teoria da ciência jurídica. Já a gnoseologia é a teoria
Altamira
Altamira fez um comentário
aspecto historicos do trato social
0 aprovações
Carregar mais