Moldes de Injeção - SÉRGIO DA CRUZ
244 pág.

Moldes de Injeção - SÉRGIO DA CRUZ


DisciplinaProjeto de Moldes e Matrizes para Polímeros10 materiais118 seguidores
Pré-visualização17 páginas
OJdos. O!uJwnl'd .>\8W8Z. SOX!jOWJ81 
. SO:l!lSlJldowJa.L 
O,,53rN130 -
S30101A1 
SÉRGIO DA CRUZ 
Projetista de moldes plásticos e Ferramentas 
Técnico de Ensino (Escola SENAI) 
MOLDES 
,." 
DE INJECAO 
..) 
Termoplásticos 
Termofixos· Zamak· Alumínio· Sopro 
CEtJTRC yt=L,;;~OlOGIC(' DA ZONf' LESTE[ BIBLlOT~C.~ 
'N 'TC'W30 
I 003B63 
Editoração Eletrônica: 
MCT Produções Gráficas 
Revisão: 
Raquelina V.M. Santos 
Denílson Gobbo Nalin 
Capa: 
Sérgio Ng 
Supervisão: 
Maxim Behar 
© Copyright by Sérgio da Cruz 
© Copyright 2002 by Hemus SA 
Todos os direitos adquiridos 
e reservada a propriedade literária desta publicaçJo pela 
HEMUS LIVRARIA, DISTRI13UIDORA E EDITORA S.A. 
Visite nosso site: www.hemus.com.br 
Pedidos e Correspondência: 
Caixa Postal 073 - CEP 80011-970 - Curitiba - PR 
Impresso no Brasil! Printed in Brazil 
BP 
lOHA 0Hlnw 8 znlJ BP 8Z8lBll8d O~:)spUBld 
:S01HU sn8ill 'znlJ BP 
BIlBJ :Bsods8 BqUJill B BPB:::>!P8P 9 
Este livro não consiste em cálculos 
profundos matéria e sim em 
ilustrações detalhadas funcionamento 
de moldes em geral, sendo publicado o 
essencial para que qualquer leitor ligado 
a ferramentaria, desenhos, projetos ou es­
colas do ramo, fácil entendimento 
das ilustrações, valiosas em idéias para 
ajudar no e qualquer 
molde. 
Molde 
Os moldes são conceituados em tres tipos: 
\u2022 	 Moldes para materiais termoplãstlcos; 
\u2022 	 Moldes para materiais termoflxos: 
\u2022 	 Moldes para Injeção de zamak e aiumínlo: 
O molde trabalha com sistema de relrlgeraçáo em suas 
cavidades e machos. para manter o molde relativamente frio em comparação com 
o material a ser que é aquecido no canhão da Injetora. até 
ao estado para ser Injetado nas cavidades do molde. 
Como o material está no canhão da máquina. ao ser 
em contato com as paredes cavidades e machos. que estão com a 
mais baixa, sendo assim o material plástlco endurece. formando a peça 
O materlal plástico após ser Injetado, pode ser recuperado se necessár 
exemplo das peças galhos e canais de Injeção, que são 
reaproveitados da seguinte forma: 
Misturar 20% de materlal recuperado, com 80% de material virgem. 
OBS: Existem casos de peças técnicas. transparentes. que exigem 100% de 
material virgem. 
O molde termofixo trabalha com sistema de aquecimento em suas cavidades 
e machos. para manté-Ios sempre quentes. na temperatura de fusão do material 
usado (FII?:. 11. 
materiais termoflxos. moldes de compressão ou 
de transferênCia e também pode ser Injetado, sendo basicamente o mesmo proces:,o 
de Injeção do plástico, somente mantendo o sistema de aquecimento do molde. ao 
Invés da 
Ao contrário dos materiais termoplástlcos, os materiais termoflxos recebem 
um aquecimento. até ficar no estado pastoso. 
Quando aUnge o máximo aquecimento. e amolece totalmente. ao mesmo 
tempo ele automaticamente endurece. Sendo assim. ele amolece no calor e en­
durece no calor. 
O materlal termofixo não tem recuperaçáo, a partir do momento que endurece 
não amolece mais. É um material bastante resistente ao calor. Ex: cabo de panela, 
cinzeiros. tampa de dlstrlbuldor (automóvel), etc ... 
Os moldes por Inleção de zamak e alumínio são classificados basicamente em 
dois tipos: 
li 	Molde de cAmara fria: É para a Injeção sob pressão do "alumínio" e 
zamak. 
lO Molde de cAmara quente: É para a Injeção sob pressão somente do 
zamak. sendo se Injetarmos alumínio em um molde com câmara 
poderemos totalmente o sistema de Injeção da máquina, pelo 
que o alumínio exige maior pressão de Injeção, temperatura mais elevada. 
Em termos gerais, os dois tipos de moldes são bastante semelhantes. trabal­
hando sempre com um bom sistema de refrlgeração e moldes bem reforçados 
estruturalmente, em comparação aos moldes termoplástlcos. 
Os moldes termoplásticos e os moldes de Injeção sob pressão são projetados 
e confeccionados da mesma forma. 
9 
Molde materiais termofixos, com sistema 
aquecimento resistência cartucho e regulagem 
temperatura. do aparelho 
Quando o molde a temperatura desejada, o 
mostato aquece e desliga as resistências e, conforme a 
cai, o esfria e as 
mantendo a temperatura estáveL 
10 
II 
otpf1J.IO:J 
otJ.lJ DI:JUfJ~1S9y 
x 
Materiais Plásticos 
Os materiais plásticos se dividem em trés grupos, que são eles: plásticos de 
massa, plásticos de engenharia, plásticos especiais. 
1. 	 Plásticos de massa: São plásticos que podem ser usados geralmente em peças 
sem muita qualidade, são eles: PE. PP, PVC. ABS e outros. 
2. 	 Plásticos de engenharia: São plásticos usados. geralmente. em peças técnicas 
que exigem uma certa precisão. são eles: PC, POM. PPO. PA ·pollamlda ou 
nylon". e também ABS. 
3. 	 Plásticos especials: São plásticos que podem ser usados em peças técnicas de 
grande precisão, são mais resistentes, que os outros, de uma fonna geral. 
Plásticos de Engenharia 
a) pC: "pollcarbonato" 
Tem alto desempenho mecânico. resistente ao Impacto. tem boa estabilidade 
ténnlca. e qulmJcamente fraco. e é razoável seu dimensional e sua resistência 
elétrica. 
bl POM: "pollacetal" 
Tem boa estabilidade d.Jmenslonal. é usado em função dinâmica (engrenagens. 
etc.). tem uma capacidade de alto lubrificar. e não tem boa resist~ncla ténnica. 
c) PPO: "noryl" 
Tem pequeno desempenho mecânico, e sua vantagem é de ter pequeno índice 
de contmção. geralmente é usado para peças de grande porte. como: painéis de 
carro. etc. 
d) PBT: "pollester" 
Tem ótima estabilidade dimensional. mínima contração. boa establlidade 
química, resistência elétr1ca, tennlcamente bom. sem multa estabilidade 
mecânica. 
e) PA: "nylon ou polJamJda" 
Tem como principais caracteristlcas. altas propriedades mecânicas e ténntcas, 
tendo um baixo índice dimensional . 
12 
INJEÇÃO 
ETAPAS DO PROCESSO DE MOLDAGEM POR iNJEÇÃO 
PREPARACÃO DO MATERIAL 
ENCHI",ENTO DO MOLDE 
ABERTURA DO MOLDE 
EXTRACÃO DA PEÇA 
DO MATERiAL 
Eliminação d. umidGd. EliminaçJSo d. imp.uruas Aditivos, P.ig~, 
p-Igstiticont", coronf,s. 
13 
Funcionamento de um molde 
Um molde. seja ele de Injeção. compressão ou transferência. basicamente é 
composto de: 
\u2022 base superlor 
\u2022 placa da cavldade superior 
\u2022 placa da cavldade inferior 
\u2022 placa suporte 
\u2022 placas extratoras 
\u2022 calços ou paralelos 
\u2022 base inferior. 
E outros componentes como: buchas. colunas e parafusos. como mostra a 
figura ao lado. 
14 
o@)" @ "X" 
O@)" 
Ao projetar um molde, devemos levar como base quatro 
vistas: planta, elevação, lateral e planta superior, após 
tennos detenninado o posicionamento das cavidades. As 
vistas de elevação e lateral são desenhadas sempre em 
cortes. 
16 
/I 
10 
Ã'. ' ~' 
16 P"R"~. ALLEN 04 sro 
/J PAlIAr.. Al.LEN (}4 sro
'4 ANfl DE CENr. OI 10ZO 
IJ COLUNA fiUiA 04 8620 
lI! I/lICHA ""IA O. tl6~O 
I1 CALFO OI! 10ZO 
la PARP ALLFN 04 srO 
09 BASE iN~. OI 1020 
08 pINO rOP O. ACO PRArA 
ar PiNO DE !lEr O. AÇO PRATA 
O. p!'ACA EXTRA'. OI tOPO 
OS PORTA EXTRAr. OI 1020 
Of PLACA SVPORn OI 1020 
OS PLACA CAv. iNF. OI 1020 
02 PUG:A CAV: SuP OI 1020 
OI BASE SUP. OI 1020 
i~ OENOlltiNACÃo aro NArERiAl. 
rJTU(/): 
.otDE" INJa.io 
~SC: ~.r. 
() 1118$9(} 
fJ /1t18.t1!rJ 
~ /20120 
~ ~5x60 
d 25x20 
IOIJOxlOS 
"4,tIS 
/5x8(hr(05 
d /5120 
~ 6x./OO 
15x"01105 
12x40d05 
2Ox7$x.I05 
20,,5 !t IOS 
25xl'SIIOS 
15x80x 105 
OiMENSAO 06.$ . 
DATA : 
U . tn. <fO 
-
.... 
&quot;&quot;-I 
COMPONENTES sAsic(}s DE UM 
MOLDE' 
18 
DenominaçAo do. itens: 
1. 	 Base superior. SeIVe para fixação da parte (Fixa do Molde) na Injetora. 
2. 	 Parafuso de fixação. É usado para fixação das placas do molde. 
3. 	 Coluna de gula. SeIVe para guiar e centralizar a parte fixa com