04 - Construção de pav rígido simples
72 pág.

04 - Construção de pav rígido simples

Pré-visualização2 páginas
CONSTRUÇÃO DE PAVIMENTOS 
DE CONCRETO SIMPLES COM 
EQUIPAMENTO REDUZIDO 
NBR 7583 
Mas o que é um pavimento de concreto 
simples ? 
Pavimento de concreto simples é um pavimento 
rígido constituído de placas de concreto de 
cimento portland, apoiadas sobre a fundação, 
nos quais os esforços, tanto de compressão 
quanto os de tração, são resistidos apenas pelo 
concreto. 
Comparação entre a estrutura de um 
pavimento rígido e flexível 
 Pavimento rígido Pavimento flexível 
 A alta rigidez da placa distribui o carregamento para uma 
grande área de solo. A maior parte da capacidade estrutural 
é provida pela própria placa 
Equipamento Reduzido de Concretagem 
 
Mais aplicável a centros 
urbanos e utiliza 
basicamente: 
 
\u2022 Formas de contenção 
lateral do concreto, 
preferencialmente 
metálicas; 
\u2022 Serra de disco ; 
\u2022 Régua acabadora; 
\u2022 Vibradores de imersão; 
\u2022 Régua ou treliça vibratória, com motor a gasolina e de 
deslocamento manual. 
Produção do Equipamento Reduzido 
De 50 a 100m/dia 
Produção de equipamentos de formas 
deslizantes 
De 500 a 700m/dia 
 ETAPAS DE EXECUÇÃO DO PAVIMENTO 
 a) Preparação do Subleito 
O pavimento de concreto necessita de subleito 
homogênio e estável, isto é, não sujeito a recalque 
diferencial e compactação a 95% do Proctor Normal. 
b) Execução da Sub-base (DNIT 056/2004-ES) 
Camada normalmente de concreto rolado \u2013 CCR (concreto 
compactado com rolo) com a finalidade de: 
 
\u2022 Aumentar o coeficiente de recalque k do subleito gerando economia 
na espessura da placa de concreto; 
 
\u2022 Evitar a erosão sob a placa que tem como consequência o efeito de 
bombeamento de finos. 
ESPECIFICAÇÕES DO CCR: 
 
\u2022Consumo de cimento: 85 a 120 Kg/m³ 
\u2022Deve exceder 50 cm a largura total da placa 
\u2022GC \u2265 100% Proctor normal 
\u2022Resistência a compressão fck = 1,5 MPa aos 7 dias 
 
 
NÚMERO DE ENSAIOS: 
 
\u2022Densidade: 3/dia 
\u2022Umidade: 1/caminhão (de 4 a 7 %) 
\u2022Granulometria: 1/dia 
\u2022Corpo de prova cilíndrico: 6 por jornada e no mínimo 1/caminhão 
com rompimento aos 7 dias (até esta data os corpos de prova 
deverão ser mantidos em cura úmida ou cura saturada). 
Equipamentos necessários para execução da 
sub-base de CCR 
\u2022 Caminhões basculantes ou caminhões betoneira 
\u2022 Motoniveladora 
\u2022 Rolo compactador vibratório liso 
\u2022 Placa vibratória ou sapo mecânico 
 
COMPACTAÇÃO DO CCR 
 
O tempo decorrido entre a adição de água na mistura na central e o 
término da compactação deverá ser no máximo de 2 horas. A viagem 
que exceder este limite deverá ser encaminhada para o bota fora. 
 
Rolo liso de 10 a 15 t 
IMPERMEABILIZAÇÃO E ISOLAMENTO DO 
CCR 
 É prática garantir que a fundação: 
\u2022 não absorva a água de amassamento do concreto da placa; 
\u2022 não impeça a movimentação horizontal do concreto, devida à retração 
volumétrica inicial. 
 
 Proteção: Pintura betuminosa tipo RR 2C a uma tacha de 0,8 a 1,6 l/m² ou 
lençol plástico espessura de 0,2 a 0,3 mm. 
CUIDADOS COM O CCR EXECUTADO 
\u2022 Deverá ser respeitado 3 dias de cura tanto para liberação de tráfego 
ou para execução de concreto simples. 
 
\u2022 O CCR executado deverá estar nivelado e regularizado de acordo 
com as cotas de projeto. 
c) COLOCAÇÃO DAS FORMAS 
\u2022Servirão de guia para a régua vibratória; 
 
\u2022Devem ser metálicas; 
 
\u2022O alinhamento verificado com uma régua de 3m nenhum ponto no topo 
deve afastar-se mais de 3 mm e, na face lateral , de mais de 5 mm; 
 
\u2022Nas curvas com raio inferior a 30 m devem ser usadas formas curvas 
ou flexíveis. 
 
\u2022A desmoldagem se dará 12 horas após a concretagem e no máximo 
24h. 
d) COLOCAÇÃO DAS BARRAS DE TRANFERÊNCIA 
Finalidade : promover uma certa transferência de carga de uma placa para outra 
quando a carga passa pelas juntas de retração,reduzindo o deslocamento vertical 
diferencial . 
\u2022 São colocadas transversalmente às placas de concreto antes da 
concretagem das mesmas e no local onde serão executadas as juntas de 
retração; 
\u2022 Barras aço CA25 lisa; 
\u2022 Marcar a posição do eixo longitudinal delas antes da concretagem. 
DNIT (2005) 
e) LANÇAMENTO, ESPALHA E ADENSAMENTO 
DO CONCRETO SIMPLES 
\u2022 O período máximo entre a mistura (a partir da adição da água) e o lançamento 
do concreto deverá ser de 30 minutos; 
 
\u2022 Com o uso de caminhões betoneira pode se ampliado até 90 minutos; 
 
\u2022 Períodos maiores deve-se usar aditivos plastificantes retardadores de pega; 
 
\u2022 Junto as formas usar vibradores de imersão; 
 
\u2022 Deslocar a régua ou treliça vibratória com cuidado para evitar o efeito Bump. 
CONTROLE TECNOLÓGICO DO CS 
\u2022 Slump Test 70 ± 10 mm (pavimentos executados com 
equipamento reduzido); 
 
\u2022 Um ensaio por betoneira. 
CONTROLE TECNOLÓGICO DO CS 
A resistência do concreto deverá ser determinada através da resistência 
característica à tração na flexão (fctM,k ou MR) na idade de controle 
fixada no projeto; 
 
MR \u2265 4,5 Mpa aos 28 dias; 
 
Portanto para cada caminhão recebido na obra será retirado pelo menos 
um exemplar formado por 2 corpos-de-prova cilíndricos e um 
prismático . 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CONTROLE TECNOLÓGICO DO CS 
\u2022CP cilíndricos: desforma até 24h 
 
\u2022CP prismáticos: desforma até 48h 
 
\u2022Após a desforma devem ficar em câmara úmida ou imersos em água 
saturada com cal até a data prevista de ensaio, renovada a cada 7 
dias. 
CONTROLE TECNOLÓGICO DO CS 
Ensaios de ruptura 
Cilíndrico - Compressão Prismático \u2013 Tração na flexão 
 f) ACABAMENTO SUPERFICIAL 
\u2022 Logo após o adensamento do concreto com a régua vibratória, verifica-
se o nivelamento da superfície com uma régua de 3m de comprimento, 
disposta paralelamente ao eixo longitudinal do pavimento e avançando de 
cada vez em movimentos de vaivém de, no máximo,metade do seu 
comprimento em toda a largura concretada ; 
 
\u2022 Depressões serão preenchidas com concreto fresco e saliências 
retiradas e niveladas. 
 g) ACABAMENTO SUPERFICIAL COM O 
FLOATING 
 Usa-se a régua acabadora flutuante (Floating) para fechamento 
dos vazios e melhorar o nível de conforto do pavimento 
h) TEXTURIZAÇÃO DA SUPERFÍCIE 
\u2022 Aumenta a rugosidade superficial e por consequência o atrito 
entre o pavimento e os pneumáticos dos veículos. 
 
\u2022 Promove a microdrenagem superficial evitando a 
hidroplanagem 
 
\u2022 Realizada com vassouras de piaçaba assim que a superfície 
do concreto começar a perder o brilho. 
 i) CURA DO CONCRETO 
\u2022 Normalmente utiliza-se 
produto químico liquido e à 
taxa \u2265 0,25l/m² 
 
\u2022 Aplicada imediatamente 
após a texturização pois nas 
primeiras 6 h do lançamento 
do concreto a evaporação 
da água de amassamento 
chega a 20% do total. 
 
\u2022 Após a retirada das formas 
laterais também procede-se 
a aplicação do produto na 
faces laterais das placas de 
concreto 
Como possui uma grande área exposta ao ar, as placas de concreto 
estão sujeitas a grandes variações de umidade e de temperatura. 
Deve-se portanto proteger o concreto de modo a sofrer a menor 
retração possível. 
j) PROTEÇÃO DO PAVIMENTO 
Sinalização para impedir a passagem de veículos, pessoas ou animais 
 k) EXECUÇÃO DAS JUNTAS 
Função das juntas: 
 
\u2022 Promover a fissuração 
com geometria pré-
definida impedindo a 
fissuração aleatória e 
garantir o funcionamento 
estrutural previsto; 
 
\u2022 Manter o nível estético