A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
24 G2 - Custos Frota

Pré-visualização | Página 1 de 3

CUSTOS LOGÍSTICOS DE FROTA PRÓPRIA E TERCEIRIZADA 
Alexandre da Silva Paim1 
1 – Custos de uma entrega utilizando veículo próprio 
Quando uma determinada carga deve ser entregue utilizando um veículo próprio o custo do transporte é 
composto pelos custos de operação e de manutenção do veículo. Estes custos são separados em fixos e 
variáveis. 
Os custos variáveis são aqueles que variam em função da produção do serviço, ou seja, ocorrem apenas 
quando o veículo está em movimento transportando mercadorias (e.g. consumo de combustível ou de 
pneu). Eles são normalmente função da distância percorrida e são dados em R$/km no caso de veículos 
rodoviários. Já embarcações ou aviões podem ter seu custo variável dado em R$/h, mas não serão 
abordados neste capítulo. 
Os custos fixos são aqueles que não variam em função da produção do serviço, ou seja, ocorrem sempre, 
independente de o veículo estar em movimento ou não (e.g. IPVA ou depreciação do veículo). Eles são 
normalmente anuais ou mensais e são dados em R$/mês ou R$/h. 
O custo de uma entrega (ou de uma rota) rodoviária pode ser obtido utilizando a seguinte equação: 
CUSTO DA ENTREGA = (CFu*TE) + (CVu*DIST) 
onde 
CFu é o custo fixo unitário do veículo, dado em R$/h, 
TE é o tempo total em que o veículo esteve envolvido na entrega (carregamento, viagem, fila de 
espera, descarregamento) dado em h, 
CVu é o custo variável unitário médio dado em R$/km e 
DIST é a distância total percorrida na entrega em km. 
Vejamos então um exemplo. 
Exemplo 1 
Uma empresa levantou dados de custos fixos e variáveis unitários de sua frota de caminhões truck e 
chegou aos seguintes valores médios: 	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  1	
  Mestre em Ciências Empresariais, consultor e professor adjunto da Universidade Luterana do Brasil - 
ULBRA.	
  
Custo Fixounitário = 25,00 e Custo Variávelunitário = 1,25. 
Calcule o custo de uma entrega de 13t de granel para um destino a 400km de distância sabendo que: 
a) o veículo volta vazio (considerar, portanto, percurso de volta no trajeto), 
b) a velocidade média é 75 , 
c) as paradas na estrada acrescentam 20% no tempo de trajeto calculado utilizando a 
velocidade média, 
d) o veículo leva em média 2h aguardando na fila e aguardando documentação, 
e) o carregamento consome 0,18 e o descarregamento 0,16 . 
Resolução: 
Para calcularmos o custo variável total precisamos calcular o percurso total: 
DIST = 400km + 400km = 800km 
Como neste caso o veículo vai cheio e volta vazio foi incluído o percurso de volta no custo. 
Custo Variável Total = 1,25 x 800km = R$1 000,00 
Para calcularmos o custo fixo total necessitamos calcular primeiro o tempo total (TE) em que o veículo 
esteve envolvido na entrega. 
 
 
 
Tempo de paradas durante o trajeto (20%) = 10,7h x 0,20 = 2,13h 
Tempo de fila e aguardando documentação = 2h 
Tempo carregando = 0,18 x 13t = 2,34h 
Tempo descarregando = 0,16 x 13t = 2,08h 
Somando todos estes tempos temos o tempo da entrega TE = 19,25h 
Custo Fixo Total = 25 x 19,25h = R$ 481,25 
Com os dois custos (fixo e variável) é possível calcular o custo total da entrega. 
Custo da entrega = R$481,25 + R$1 000,00 = R$ 1 481,25 
h
R$
km
R$
h
km
t
h
t
h
km
R$
t
h
t
h
h
R$
h
h
km
h
km
andandoveículodeTempo 7,10
75
800
___ ==
Resposta: O custo da entrega das 13 t de granel é R$1 481,25 
 
Caso o objetivo seja calcular o custo total de uma frota de veículos rodoviários deve-se usar a equação a 
seguir. 
CUSTO TOTAL = (CF*NV) + (CVum*DIST) 
onde 
CF é o custo fixo do veículo no período dado em R$/(veículo.mês), 
NV é o número de veículos utilizados na operação, 
CVum é o custo variável unitário médio dado em R$/km e 
DIST é a distância total percorrida pelo frota em km. 
Todos estes custos de uma viagem de transporte foram aplicados a veículos rodoviários, mas no caso do 
modal aquaviário existem custos específicos de operação de embarcações que devem ser considerados 
no custo da rota que a embarcação faz para entregar suas cargas. Entre estes custos podemos citar as 
despesas com entrada e saída de navios, as taxas portuárias e custos de manuseio das cargas. Estes 
custos variam de porto para porto e são, portanto, diferentes para cada rota de transporte. 
Detalharemos cada um destes grupos de custos a seguir. 
2 – Custos de um veículo rodoviário próprio 
O exercício de custo da entrega visto anteriormente considerou que estavam disponíveis dados de custos 
fixos e variáveis unitários para um veículo. Vamos ver então como são calculados estes valores. 
Os custos fixos mensais consideram tipicamente os salários da tripulação, Seguros, IPVA, 
Licenciamento e seguro obrigatório, Depreciação e o custo do capital investido. Os custos fixos 
unitários são obtidos dividindo o custo fixo mensal pelo tempo total em horas que o veículo fica 
disponível para o transporte. 
No cálculo dos custos da tripulação (motoristas e ajudantes) pode-se considerar o piso salarial da 
categoria (sindicato de transportadores) ou estabelecer valores específicos para a empresa (mais 
indicado), as diárias, os encargos sociais, os benefícios, as gratificações por produtividade e zelo e as 
taxas relacionadas a contratação de autônomos (INSS, SENAT). São custos mensais. 
Os seguros podem ser para o veículo e equipamentos, para a tripulação, para a carga. Pode ser ainda 
incluídos custos de escolta. Em geral se consideram custos anuais e devem ser divididos por 12. 
Tributos como IPVA, Licenciamento e seguro obrigatório são anuais (dividir por 12). 
As despesas administrativas podem incluir materiais de expediente, manutenção dos sistemas de 
informação, pessoal administrativo e instalações administrativas. 
Para o cálculo da depreciação deve ser escolhido um dos possíveis métodos existentes como depreciação 
linear, exponencial ou outro ou não linear. Adotaremos aqui o modelo linear. 
No cálculo do custo de remuneração do capital investido pode-se usar um modelo simples que considera 
apenas a TMA aplicada ao capital investido (o que será feito neste capítulo) ou outro modelo mais 
complexo que utiliza fator de recuperação de capital. Consulte livros de administração financeira para 
conhecer mais sobre isso. 
O Quadro 1 apresenta as equações que serão usadas no cálculo do custo fixo unitário do veículo. 
 
 
 
 
 
 
Quadro 1: Cálculo de custos fixos de veículos 
Fonte: (LIMA, 2014) 
No cálculo dos custos variáveis unitários são tipicamente considerados o combustível, os pneus, os 
óleos de motor e de caixa, a manutenção, a lavagem e a lubrificação. Para todos eles é calculado o custo 
em R$ por km rodado. 
O Quadro 2 apresenta as equações que serão usadas no cálculo do custo fixo unitário do veículo. 
 
 
 
 
 
 
 
 
Quadro 2: Cálculo de custos variáveis de veículos 
Fonte: (LIMA, 2014) 
Vejamos então um exemplo de cálculo de custos unitários de veículo rodoviário. 
Exemplo 2 
Calcule os custos (a) fixos e (b) variáveis unitários de um caminhão cujos valores típicos são 
apresentados abaixo. 
TMA=1% a.m. (0,01a.m.) Número de pneus=10 unidades 
Valor de aquisição=R$ 240 000 Pneu novo=R$ 1 350,00/unidade 
Valor de residual=R$ 80 000 Vida do pneu novo= 75 000km/unidade 
Prazo de depreciação=60 meses Recapagem= R$385,00/unidade 
Custo total da administração=R$ 3 600,00 1 recapagem permitida 
Número de veículos da empresa=9 veículos Vida do pneu recapado=40 000km/unidade

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.