clostridiose revisada
116 pág.

clostridiose revisada


DisciplinaDoenças Infecciosas664 materiais1.213 seguidores
Pré-visualização4 páginas
muscular 
lesado. A produção de gases é detectável clinicamente como 
creptação subcutânea. As características clínicas da toxemia na 
gangrena gasosa são semelhantes as encontradas no edema 
maligno
GANGRENA GASOSA
SINAIS CLÍNICOS
\u2022 AGUDA \u2013 causa morte 24-48 horas após observaçãos dos
primeiros sinais
\u2022 Anorexia
\u2022 Depressão
\u2022 Hipertermia
\u2022 E dependendo da localização da lesão severa claudicação
\u2022 Área afetada está aumentada de volume e pode apresentar
creptação ou edema
\u2022 Quando a infecção ocorre por ocasião do parto, o inchaço da
vulva é acompanhado de um corrimento castanho-
avermelhado.
EDEMA MALIGNO E GANGRENA GASOSA
DIAGNÓSTICO
História clínica permite associar a ocorrência de edema malígno com 
ferimentos recentes e associar com necrópsia (edema hemorrágico 
no tecido subcutâneo e entre os músculos) raramente ocorre lesões 
nos músculos. 
Pode observar-se líquido sero-hemorrágico nas cavidades
LABORATORIAL: IMUNOFLUORESCENCIA, ETC
EDEMA MALIGNO E GANGRENA GASOSA
CONTROLE E PROFILAXIA
\ufffdAnimais afetados podem ser tratados com altas doses de 
penicilina ou antibióticos de amplo espectro
\ufffdEvitar contaminação da terra, instrumentos cirurgicos e seringas 
utilizadas no rebanho
\ufffdAnimais vacinados anualmente (VACINA POLIVALENTE PODE 
SER UMA BOA OPÇÃO)
EDEMA MALIGNO E GANGRENA GASOSA
HEMOGLOBINÚRIA BACILAR
HEMOGLOBINÚRIA BACILAR
\ufffdOcorre principalmente em bovinos e eventualmente ovinos
\ufffdInfecção endógena
\ufffdAgente etiológico C. haemolyticum encontrado em zonas úmidas e 
alagadiças, nas pastagens ou na água
\ufffdO APARECIMENTO DA ENFERMIDADE DEPENDE DA 
PRESENÇA DE UM FOCO DE INJÚRIA HEPÁTICA, EM QUE 
SE ESTABELECEU CONDIÇÕES DE ANAEROBIOSE IDEIAIS 
PARA MULTIPLICAÇÃO DO AGENTE ETIOLÓGICO
\ufffdRegiões alagadiças está correlacionada com a ocorrência de 
fasciolose
\ufffdEndósporos dormentes no fígado
\ufffdMigração de fascíolas facilita a germinação de esporos e 
proliferação dos clostrídios
\ufffdHemoglobinúria é a principal característica da 
doença(consequencia da extensa destruição das hemácias)
HEMOGLOBINÚRIA BACILAR
SINAIS CLÍNICOS
\u2022 Enfermidade aguda (12-24 horas \u2013 morte)
\u2022 Animais encontrados mortos nas pastagens
\u2022 Anorexia
\u2022 Depressão
\u2022 Dificuldade de locomoção
\u2022 Tremores musculares
\u2022 urina cor vermelho-escuro
\u2022 As fezes apresentam cor marrom-escuro, podendo aparecer diarréia
sanguinolenta.
HEMOGLOBINÚRIA BACILAR
DIAGNÓSTICO
\u2022 CLÍNICO E EPIDEMIOLÓGICO
\u2022 ACHADOS DE NECRÓPSIA
\ufffdÁreas necróticas no fígado
\ufffdHemorragias generalizadas nas serosas
\ufffd hemoglobinúria
\ufffd Rigor mortis desenvolve-se rapidamente.
\ufffd Períneo com presença de urina e fezes
sanguinolentas.
\ufffd Edema subcutâneo gelatinoso,
\ufffd Icterícia em graus variados
CONTROLE E PROFILAXIA
Vacinação dos bovinos , normalmente de 4-5 meses antes da 
previsão da ocorrência de surtos e em áreas endêmicas 
revacinação anual (acima de 6 meses de idade). Quando 
vacinados pela primeira vez, repetir a dose 15 -20 dias
Embora seja uma enfermidade fatal, o uso maciço de penicilina 
ou tetraciclina nos estágios iniciais pode dar bons resultados 
com o desaparecimento da hemoglobinúria em 12 horas
CORRÊA, W.M. & CORRÊA, C.N.M. Enfermidade Infecciosa dos
Mamíferos Domésticos. 2o ed. Rio de Janeiro: MEDSI, 1992, 843p.
RIET-CORREA et al. Doenças de ruminantes e equídeos. 3ed. vol.
1. Santa Maria: Pallotti, 2007,p. 425-432
QUINN, P.J., MARKEY, B.K., CARTER, M.E., DONNELLY,
W.J., LEONARD, F.C. Microbiologia Veterinária e Doenças
Infecciosas.Porto Alegre: ARTMED, 2005, 511p.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS